CAPITAL HUMANO COMO GOVERNAMENTO: análise da promoção sem titulação 2016 dos professores da rede estadual do Ceará

Autores

  • Márcio Kleber Morais Pessoa Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • João Bosco Feitosa dos Santos Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • Sylvio de Sousa Gadelha Costa Universidade Federal do Ceará - UFC

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v2i18.33514

Palavras-chave:

Capital humano, Trabalho docente, Governamento,

Resumo

O objeto deste estudo é analisar as normas que regem a “promoção sem titulação” dos professores da rede estadual de educação básica do Ceará. Ademais, buscar-se-á saber como essas normas visam a moldar os docentes daquela rede numa tentativa de “governamentá-los” de acordo com as novas exigências do capitalismo contemporâneo, especialmente tendo como base a teoria do “capital humano”. Os objetivos específicos são: (1) descrever o perfil dos docentes pesquisados; (2) relacionar a teoria do capital humano com a noção foucaultiana de governo; (3) identificar e analisar elementos das normas da promoção que se relacionem com a teoria do capital humano e com a noção foucaultiana de governo; e (4) compreender em que medida o processo de promoção visa ao governo (FOUCAULT, 2008) de suas ações, mediante o estabelecimento de relações de tipo concorrencial com seus pares. Para tanto, foi lançada mão dos seguintes procedimentos metodológicos: análise documental das normas e leis que regulamentam o citado processo de ascensão funcional, o que permitirá se entender o contexto e a conjuntura dos documentos analisados. Ademais, foi realizada revisão de literatura. Alguns resultados são: as normas da Promoção sem Titulação contribuem para fomentar o governamento dos docentes em acordo com as novas exigências do capitalismo, o que se reflete em relações de tipo concorrencial entre aqueles trabalhadores. Os docentes estão envolvidos em uma rede de relações que os direciona quase que inevitavelmente a um tipo de sociabilidade convergente com aquela percebida no capitalismo contemporâneo.

ABSTRACT

The object of this study is to analyse the norms that governs the " non-titling promotion " of the teachers of the state network of basic education of Ceará. In addition, it will be sought to know how these norms aim to mold the teachers of that network in an attempt to "govern them" according to the new demands of contemporary capitalism, especially considering the theory of "human capital." The specific objectives are: (1) to describe the profile of the teachers studied; (2) to relate human capital theory with the Foucaultian notion of government; (3) identify and analyze elements of promotion norms that relate to the theory of human capital and with the Foucaultian notion of government; and (4) to understand to what extent the promotion process is aimed at the government (FOUCAULT, 2008) of its actions, through the establishment of competitive relations with its peers. To do so, the following methodological procedures were used: documentary analysis of the norms and laws that regulate the said process of functional ascension, which will allow to understand the context and the conjuncture of the documents analyzed. In addition, a literature review was performed. Some results are: the rules of non-titling promotion contribute to foster the government of teachers in accordance with the new demands of capitalism, which is reflected in competitive relations between those workers. Teachers are involved in a network of relationships that leads them almost inevitably to a kind of sociability convergent with that perceived in contemporary capitalism.

Biografia do Autor

Márcio Kleber Morais Pessoa, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Doutorando em Sociologia pela Universidade Estadual do Ceará.

João Bosco Feitosa dos Santos, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Docente Associado da Universidade Estadual do Ceará. Programa de Pós-Graduação em Sociologia.

Sylvio de Sousa Gadelha Costa, Universidade Federal do Ceará - UFC

Docente Adjunto do Departamento de Fundamentos da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da Universidade Federal do Ceará.

Referências

ABRAMOVAY, M.; CASTRO, M. G.; SILVA, L. B. da. Juventude e sexualidade. Brasília: UNESCO Brasil, 2004.

ATKINSON, Rowland; FLINT, John. Accessing hidden and hard-to-reach populations: snowball research strategies. Social Research Update, Guildford, n. 33, p. 1-4, 2001.

BARBOSA, Alexandre de Freitas (Org.). O Brasil real: a desigualdade para além dos indicadores. São Paulo: Outras Expressões, 2012.

BENDASSOLLI. Pedro F. Os fetiches da gestão. Aparecida, SP: Ideias e Letras, 2009.

CEARÁ. Lei Nº 9.826, de 14 de maio de 1974. Dispõe sobre o Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado. Atualizada até julho de 2011, contendo legislação complementar e correlata. 2013.

CEARÁ. Decreto Nº 32.103, de 12 de dezembro de 2016. Regulamenta a promoção dos profissionais do Grupo Ocupacional Magistério da Educação Básica-MAG, estabelecida na Lei nº12.066, de 13 de janeiro de 1993, e as suas alterações posteriores, e dá outras providências. 2016a.

CEARÁ. Instrução Normativa SEDUC Nº001/2016-GAB/SEDUC, de 27 de dezembro de 2016. Estabelece normas e procedimentos operacionais para a promoção sem titulação dos profissionais do Grupo Ocupacional MAG da Educação Básica. 2016b.

CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis-RJ: Vozes, 2014.

DELEUZE, Gilles. Post-Scriptum sobre as Sociedades de Controle. In: DELLEUZE, G. Conversações. São Paulo: Editora 34, 2013.

FERREIRA, Maurício dos Santos. Capacitações perecíveis do trabalhador: a busca de saberes comportamentais e técnicos no novo capitalismo. In: Educ. Soc., Campinas, v. 35, n. 126, p. 197-214, jan.-mar. 2014.

FOUCAULT, Michel. O nascimento da biopolítica: curso dado no Collège de France (1978-1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

______. Microfísica do poder. 4. ed. – Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

GADELHA, Sylvio. Governamentalidade neoliberal, teoria do capital humano e empreendedorismo. In: Educação e Realidade. N. 34(2): p. 171-186, mai/ago, 2009a.

______. Biopolítica, governamentalidade e educação: introdução e conexões a partir de Michel Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2009b.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

HOLANDA, S. B. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

MINCER, Jacob. Investment in human capital and personal income distribution. The Journal of Political Economy, vol. LXVI, n. 4, p. 281-302, august. 1958.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. 3. ed. – São Paulo: Cortez, 2010.

SAUL, Renato P. As raízes renegadas da teoria do capital humano. In: Sociologias, Porto Alegre, ano 6, nº 12, p. 230 – 273, jul/dez 2004.

SCHULTZ, Theodore. O valor econômico da educação. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 1967.

SENNETT, Richard. A cultura do novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 2006.

VANDERLEY, Luciano Gonzaga. Capital humano: a vantagem competitiva. In: O&S - v.8 - n.22 - Setembro/Dezembro – 2001.

Downloads

Publicado

2018-08-28

Como Citar

PESSOA, Márcio Kleber Morais; SANTOS, João Bosco Feitosa dos; COSTA, Sylvio de Sousa Gadelha. CAPITAL HUMANO COMO GOVERNAMENTO: análise da promoção sem titulação 2016 dos professores da rede estadual do Ceará. Revista Labor, [S. l.], v. 2, n. 18, p. 164–179, 2018. DOI: 10.29148/labor.v2i18.33514. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/33514. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.