IMAGENS DE VIGILÂNCIA E VIOLÊNCIA: UMA EDUCAÇÃO DOMESTICADORA E SUA SUPERAÇÃO

Palavras-chave: Flusser, Educação, Imagem

Resumo

O presente artigo busca discorrer sobre o processo criativo da obra OQUEVEMOS. Além de tratar das escolhas estéticas e das metodologias de criação da obra, este trabalho pretende pôr em diálogo os conceitos filosóficos, artísticos e científicos que, reunidos diante de uma mesma proposta, contribuíram para a elaboração de OQUEVEMOS. A investigação sobre os conceitos de Aparelhamento, programação e jogo do Filósofo Vilém Flusser se entrelaça aos estudos de montagem e formalização de imagens técnicas e seus efeitos sobre o espectador, bem como da superação de uma pedagogia da violência econtrada em imagens de câmeras de vigilância.

Biografia do Autor

George Ulysses Rodrigues de Sousa, Universidade Federal do Ceará
George Ulysses é Bacharel em Cinema e Audiovisual pelo Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará. Estuda a Ontologia do objeto comunicacional e suas implicações na Arte, Educação e Política.

Referências

ARAÚJO, Marcelo Matos et al. Muntadas: informação, espaço, controle. São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2011.

ARISTÓTELES. Metafísica. São Paulo: Editora Abril, 1984.

BAUDRY, Jean-Louis. Cinema: efeitos ideológicos produzidos pelo aparelho de base. In. XAVIER, Ismail (org.) A experiência do cinema. Rio de Janeiro: Edições Graal: Embrafilmes, 1983.

COUCHOT, Edmond. A tecnologia na arte: da fotografia à realidade virtual. Traduzido por Sandra Rey. Porto alegre: Editora da UFRGS, 2003.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Que emoção! Que emoção? São Paulo: Editora 34. 2016.

DUBOIS, Philippe. Cinema, Vídeo, Godard. Traduzido por Mateus Araújo Silva. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

FLUSSER, Villém. Pós-História: vinte instantâneos e um modo de usar. São Paulo: Annablume, 2011.

LABAKI, Amir (org.). A Verdade de cada um. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

MACHADO, Arlindo. A televisão levada a sério. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2014.

MACHADO, Arlindo. O Sujeito na Tela: Modos de enunciação no cinema e no ciberespaço. São Paulo: Paulus, 2007.

MCLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensões do homem. Tradução de Décio Pignatari. São Paulo: Cultrix, 2007.

MERLEAU-PONTY, Maurice. O Olho e o Espírito. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

PLATÃO. A República. São Paulo: EDIPRO. 2012.

SANTOS, César A. Baio. Máquinas de imagem: arte, tecnologia e pós-virtualidade. São Paulo: Annablume, 2015.

SOUSA, George Ulysses R. OQUEVEMOS. Video-Ensaio disponível em https://www.youtube.com/watch?v=_6E2qksoHuI&app=desktop (17/10/2018).

Publicado
2019-03-31
Como Citar
RODRIGUES DE SOUSA, G. U. IMAGENS DE VIGILÂNCIA E VIOLÊNCIA: UMA EDUCAÇÃO DOMESTICADORA E SUA SUPERAÇÃO. Revista Labor, v. 1, n. 20, p. 145-161, 31 mar. 2019.
Seção
Artigos