O Corpo e suas relações

concepções em educação profissional e tecnológica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i23.44085

Palavras-chave:

Corpo, Trabalho, Educação, Dicotomias, Percepção corporal

Resumo

Neste ensaio propomos três tópicos para análise e reflexão de como o corpo tem sido pensado, visto e apropriado na sociedade atual: corpo e trabalho como essência do homem; dualismos e dicotomias do corpo, trabalho e educação; as concepções de corpo nas relações contemporâneas. O primeiro se refere à construção histórica do corpo em função da sua relação com o trabalho, a essência do homem. A composição do segundo implica uma análise dos muitos dualismos e dicotomias existentes no mundo do trabalho e da educação que refletem numa visão fragmentada do corpo físico/motor e psicológico/cognitivo. Finalmente, o terceiro tópico propõe considerações sobre a apropriação do corpo pelo mercado, mídia e tecnologia, e a percepção que os jovens têm sobre os padrões estabelecidos por estes setores. Ao concluir a análise traçamos algumas breves considerações e possibilidades para a Educação Profissional e Tecnológica (EPT) neste contexto. É relevante lançar mão dos princípios da concepção de ser humano, sociedade, cultura, ciência, tecnologia, trabalho e educação, propostos pelos projetos políticos pedagógicos da EPT, no sentido de uma educação integral. Porque o corpo é a morada dos processos onde se dá a aprendizagem, e carrega nele toda a bagagem de vida do indivíduo. 

Biografia do Autor

Janaína Scopel Faé, IFRS - CAMPUS PORTO ALEGRE

Licenciada em Educação Física pela Universidade de Caxias do Sul (2010). Especialização em Educação F´ísica Escolar pelo Grupo Educacional Signorelli (2016). Mestranda do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica ProfEPT do IFRS - Campus Porto Alegre (Linha de pesquisa: Práticas Educativas em EPT). Atua como professora de Educação Física no Ensino Fundamental da Rede Municipal de Ensino da cidade de Ipê - RS, desde 2010. Trata de temas relacionados ao corpo e tem experiência com adolescentes e crianças a partir dos 5 anos, inclusive com alunos com necessidades educacionais específicas. 

Andréa Poletto Sonza, Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS)

Possui graduação em Ciência da Computação pela UCS (1994), especialização em Psicopedagogia Institucional pela UNISUL (2000), mestrado em Educação (2004) e doutorado em Informática na Educação (2008) pela UFRGS. Atua como Assessora de Ações Afirmativas, Inclusivas e Diversidade do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), tratando de temas relacionados às ações afirmativas, inclusão de pessoas com necessidades educacionais específicas, valorização etnicorracial, questões de gênero e sexualidade. Tem experiência em EAD e na área de Informática na Educação Inclusiva/Especial.

Referências

BATISTA, A. P.; OLIVEIRA, I. P. B.; MELO, J. P. Corpo, aprendizagem e cultura do movimento: uma experiência pedagógica com o ensino do conteúdo jogo nas aulas de educação física do IFRN. Holos. Natal, Ano 28, v. 6, p. 237-248, 2012.

BATISTA, A. P.; SOUZA FILHO, M.; OLIVEIRA, I. P. B.; SOUZA, H. A. G.; MELO, J. P. Possibilidades e desafios da educação física como componente curricular no processo de expansão regional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN. Holos. Natal, Ano 30, v. 4, p. 492-501, 2014.

BORGES, Liliam Faria Porto. Educação, escola e humanização em Marx, Engels e Lukács. Revista Educação em Questão, Natal, v. 55, n. 45, p. 101-126, jul/set. 2017.

CASAQUI, Vander; HOFF, Tânia. Imagens do trabalho nos séculos XX e XXI: movimentos do sentido nas representações do corpo associados à esfera produtiva. Revista Galáxia. São Paulo, n. 20, p. 44-56, dez. 2010.

DAOLIO, Jocimar. A representação do trabalho do professor de educação física na escola: do corpo matéria-prima ao corpo cidadão. 1992. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1992.

______. Os significados do corpo na cultura e as implicações para a Educação Física. Movimento. Porto Alegre, Ano 2, n. 2, p. 24-28, jun/1995.

DAOLIO, J.; RIGONI, A. C. C.; ROBLE, O. J. Corporeidade: o legado de Marcel Mauss e Maurice Merleau-Ponty. Pro-Posições. Campinas, v. 23, n. 3 (69), p. 179-193, set./dez. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-73072012000300011&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 05 maio 2020.

GOLDENBERG, Mirian. O corpo como capital: para compreender a cultura brasileira. Arquivos em Movimento, Rio de Janeiro, v.2, n.2, jul./dez, 2006.

______. Gênero, “o Corpo” e “Imitação Prestigiosa” na Cultura Brasileira. Saúde Soc. São Paulo, v. 20, n. 3, p. 543-553, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-12902011000300002&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em 13 maio 2020.

HEROLD JUNIOR, Carlos. As relações entre corpo e trabalho: contribuição crítica à educação. 2006. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2006.

______. Corpo, inteligência e transformações no mundo do trabalho: reflexões a partir da mediação dos saberes tácitos. Educação e Sociedade. Campinas, v. 30, n. 107, p. 515-537, mai./ago. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v30n107/11.pdf. Acesso em: 05 maio 2020.

______. Corpo no trabalho e corpo pelo trabalho: perspectivas no estudo da corporalidade e da educação no capitalismo contemporâneo. Trabalho, Educação e Saúde. Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 11-35, mar./jun. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1981-77462012000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 05 maio 2020.

LEFEVRE, Fernando; LEFEVRE, Ana Maria Cavalcanti. O corpo e seus senhores: Homem, mercado e ciência: sujeitos em disputa pela posse do corpo e mente humana. Rio de Janeiro: Vieira & Lent, 2009.

LIMA, Marisa Mello de. Mercadorização do corpo, corpolatria e o papel do profissional de educação física. Estudos. Goiânia, v. 36, n. 9/10, p. 1061-1071, set./out. 2009.

MANACORDA, M. A. História da educação: da Antiguidade aos nossos dias.. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1992.

MERLEAU-PONTY, Maurice. O visível e o invisível. Tradução José Artur Gianotti e Amando Mora d’Oliveira. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2014.

MARX, Karl. Crítica do programa de Gotha. Seleção, tradução e notas Rubens Enderle. São paulo: Boitempo, 2012.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. Tradução, prefácio e notas Edmilson Costa. Apresentação Anníbal Fernandes. 3. ed. São Paulo: EDIPRO, 2015.

MAUSS, M. Sociologia e Antropologia. Tradução Paulo Neves. São Paulo: Ubu Editora, 2017. v. 2.

MOURA, D. H. Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectivas de integração. Holos. Ano 23, v. 2, p. 4-30, 2007.

RIGONI, Ana Carolina, Capellini; NUNES, Felipe Gustavo Barros; FONSECA, Karina das Mercês. O culto ao corpo e suas formas de propagação na rede social Facebook: implicações para a Educação Física Escolar. Motrivivência. Florianópolis, v. 29, n. esp., p. 126-143, dez. 2017.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 12, n. 34, p. 152-180, jan./abr. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782007000100012. Acesso em 13 maio 2020.

SILVA, G. C. Tecnologia, educação e tecnocentrismo: as contribuições de Álvaro Vieira Pinto. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v. 94, n. 238, p. 839-857, set./dez. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2176-66812013000300010&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em 13 maio 2020.

SOUZA FILHO, M.; SOUZA, H. A. G. Olhares e reflexões sobre o corpo na cultura contemporânea. Dialektiké. Natal, v. 3, n. 2, p. 2-9, 2015.

STALYBRASS, P. O casaco de Marx: roupas, memória e dor. Editora Autêntica, 2008.

TOMASI, David; GATES, Sheri; REYNS, Emily. Positive patient response to a structured exercise program delivered in inpatient psychiatry. Global Advances in Health and Medicine. V. 8, p. 1-10, 2019. Disponível em https://journals.sagepub.com/doi/full/10.1177/2164956119848657. Acesso em 05 maio. 2020.

ZANELLA. Andrisa Kemel. Escrituras do corpo biográfico e suas contribuições para a educação: um estudo a partir do imaginário e da memória. 2013. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2013.

Publicado

2020-06-15

Como Citar

SCOPEL FAÉ, JANAÍNA; POLETTO SONZA, Andréa. O Corpo e suas relações: concepções em educação profissional e tecnológica. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 23, p. 295–312, 2020. DOI: 10.29148/labor.v1i23.44085. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/44085. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.