Uma experiência de inserção de Linguagem de Programação no Ensino Médio Integrado à Educação Profissional Técnica a partir da flexibilização curricular

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i25.44110

Palavras-chave:

Diversidade curricular, Tecnologias educacionais., Python, Perfil profissional

Resumo

O princípio de flexibilização curricular pressupõe inovações nos projetos pedagógicos para atender às novas realidades, entre as quais, destacamos a imersão tecnológica da sociedade contemporânea. Nesse sentido, apresentamos uma ementa curricular como aporte teórico-metodológico ao desenvolvimento de competências relacionadas à aprendizagem de Linguagem de programação (i.e pensamento algorítmico e resolução de problemas do mundo real em linguagem computacional). A ementa foi consolidada mediante uma abordagem holística fundamentada em critérios como coerência, exequibilidade e curva de aprendizagem que proporcionem um caráter globalizante em função da heterogeneidade das formações. E seus princípios se encontram na conexão entre as formações profissionais e a implementação tecnológica. A viabilidade da proposta foi sugerida por formulários de aceitação em escala e observações realizadas no contexto da sala de aula nos cursos integrados em informática e meio ambiente do IFNMG. O nível de aprendizagem foi classificado em uma escala de 1 = muito fácil a 5 = muito difícil, com média de 2,57. Nosso resultado sugere que na linguagem adotada, Python, nenhum quesito foi considerado particularmente difícil, o que pode ser relacionado à sua sintaxe compacta e limpa, se comparada a outras linguagens A aplicação preliminar da proposta no IFNMG à diferentes perfis profissionais demonstrou boa interação dos discentes com a Python, assim como, assimilação e capacidade de ressignificar o conteúdo adquirido através da construção de propostas de trabalho conjunto e aplicação profissional.

Biografia do Autor

Bruno Lopes de Faria, IFNMG

Professor de Informática no Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) campus Diamantina. Possui graduação em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e Mestrado em Meteorologia pela UFV, e é doutorando em Ciências Florestais pela UFVJM. Atualmente coordenador dos cursos técnicos em informática do IFNMG campus Diamantina

 

Janainne Nunes Alves, IFNMG

Doutora em Físico-química pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atualmente professora no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais, onde exerce a função de Coordenadora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do Campus Diamantina. 

Claudiane Moreira Costa, IFNMG

Possuo graduação em Licenciatura em Matemática pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (2011). Pós -Graduação em Gestão em Estatística e Matemática Aplicada pela FAVAG(2012). Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica - ProfEPT . Atualmente ocupo o cargo de Técnica em Assuntos Educacionais no IFNMG Campus Diamantina.

http://lattes.cnpq.br/1732506655828239

Referências

BEHRENS, Marilda Aparecida; JOSÉ, Eliane Mara Age. Aprendizagem por projetos e os contratos didáticos. Revista Diálogo Educacional, v. 2, n. 3, p. 1-19, 2001.
AZEVEDO, Diego Napoleão Viana; DE VASCONCELLOS, Maria Lúcia Barbosa. Formação de tradutores: a Contribuição da terminologia para uma proposta de desenho de ementa de disciplina a partir de abordagem por tarefa de tradução. Traduzires, v. 2, n. 2, p. 41-52, 2013.
BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 20 de dezembro de 1996. MEC. Brasília: DF.
BRASIL. Resolução Nº 6, de 20 de setembro de 2012. Diário Oficial da União. Brasília: DF.
BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Diário Oficial da União. Brasília: DF.
CONIF. FDE. Diretrizes indutoras para a oferta de cursos técnicos integrados ao Ensino Médio na Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (2018). Disponível em: <https://www.ifsc.edu.br/documents/38101/1079513/Diretrizes+EMI+-+Reditec2018.pdf/0cd97af4-bad5-b347-4869-7293ac87eb69> Acesso em 04 de novembro de 2019.
DA SILVA, Claudia Sebastiana Rosa, & PORTILHO, Evelise Maria Labatut. Cultura Escolar, Formação Continuada E Estratégias De Ensino. Revista e-Curriculum, v.16, n.3,p. 911-933, 2018.
DA SILVA, Thiago Reis et al. Ensino-aprendizagem de programação: uma revisão sistemática da literatura. Revista Brasileira de Informática na Educação, v. 23, n. 1, 2015.
SCHOOLNET, Europian. Computing our future. computer programming and coding priorities, school curricula and initiatives across europe. Technical report European Schoolnet, 2014.
FAROOQ, Muhammad Shoaib et al. A Qualitative Framework for Introducing Programming Language at High School. Journal of Quality and Technology Management, v. 8, n. 2, 2012.
FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação. 7ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra,1969.
FERRETI, Celso João; SILVA, Monica Ribeiro da. Reforma do ensino médio no contexto da medida provisória n 746/2016: estado, currículo e disputas por hegemonia. Educação & Sociedade, v. 38, n. 139, p. 385-404, 2017.
GARDNER, Howard, CHEN, Jie-qi & MORAN, Seana.Inteligências múltiplas. Penso Editora, 2009.
GRANDELL, Linda et al. Why complicate things?: introducing programming in high school using Python. In: Proceedings of the 8th Australasian Conference on Computing Education-Volume 52. Australian Computer Society, Inc., p. 71-80,2006.
IFNMG, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (2017). Projeto pedagógico de curso. <Disponível em: http://documento.ifnmg.edu.br /action.php?kt_path_info=ktcore.actions.document.view&fDocumentId=22345> Acesso: 10/novembro/2018.
MILLMAN, K. Jarrod; AIVAZIS, Michael. Python for scientists and engineers. Computing in Science & Engineering, v. 13, n. 2, p. 9-12, 2011.
MITCHEL RESNICK, J. M. Scratch: Programming for Everyone. 2009.
PALFREY, John Gorham; GASSER, Urs. Born digital: Understanding the first generation of digital natives. ReadHowYouWant. com, 2011.
PERKEL, Jeffrey M. Programming: pick up Python. Nature News, v. 518, n. 7537, p. 125, 2015.
PINTO, A. C., BARROS, S., GARANHANI, M. L., FLORIANO, L. S. M., & SKUPIEN, S. V. Conceito de ser humano de professores do curso de enfermagem à luz do homo complexus de Edgar Morin/Human concept of teachers of nursing course in the light of edgar morin homo complexus. Brazilian Journal of Development, v.5, n.9, p.14543-14555, 2019.
SILVA, Mariane Carloto; DE OLIVEIRA PAVÃO, Silvia Maria. Possibilidades das adaptações curriculares na educação superior. Revista e-Curriculum, v. 16, n. 3, p. 621-649, 2018.
SCAICO, Pasqueline Dantas et al. Teaching Programming in High School: an approach guided by design with Scratch language. Brazilian Journal of Computers in Education, v. 21, n. 02, p. 92, 2013.
TABILE, Ariete Fröhlich; JACOMETO, Marisa Claudia Durante. Fatores influenciadores no processo de aprendizagem: um estudo de caso. Revista Psicopedagogia, v. 34, n. 103, p. 75-86, 2017.
VALENTE, José Armando. Integração do pensamento computacional no currículo da educação básica: diferentes estratégias usadas e questões de formação de professores e avaliação do aluno. Revista e-Curriculum, v. 14, n. 3, p. 864-897, 2016.

Downloads

Publicado

2021-04-29

Como Citar

FARIA, Bruno Lopes de; ALVES, Janainne Nunes; MOREIRA COSTA, Claudiane. Uma experiência de inserção de Linguagem de Programação no Ensino Médio Integrado à Educação Profissional Técnica a partir da flexibilização curricular . Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 25, p. 242–260, 2021. DOI: 10.29148/labor.v1i25.44110. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/44110. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.