O papel da Moradia Estudantil na edificação da Educação Integral no Instituto Federal Catarinense - IFC:

limites e potencialidades

  • Eliane Juraski Camillo Doutora em Educação. Docente do IFSC.
  • Daiana Colombo Figueredo Instituto Federal Catarinense (IFC)
Palavras-chave: Moradia Estudantil, Educação Profissional, Formação Humana Integral, Juventude

Resumo

Este artigo é fruto da pesquisa realizada pelas autoras durante o Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica-PROFEPT, no ano de 2020. O objetivo geral consistiu em investigar os limites e as potencialidades da Moradia Estudantil (ME) enquanto espaço de formação integral dos/as estudantes do Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio do Instituto Federal Catarinense-IFC. A pesquisa bibliográfica contemplou os objetivos de levantar o estado da arte da produção do conhecimento teórico/empírico acerca da ME, refletir sobre o EMI na perspectiva da formação integral dos/as sujeitos/as e compreender as possíveis mediações da escola e do trabalho na (re)construção das identidades juvenis. Foram realizadas também entrevistas narrativas, baseadas na metodologia da história oral, partindo de questões geradoras e via whatsapp, um questionário semiestruturado, haja vista que essa etapa da pesquisa foi impactada pela pandemia do novo Coronavírus. O objetivo foi averiguar as percepções de estudantes e egressos/as sobre o papel da ME enquanto espaço de formação integral. O pressuposto confirmado foi de que a vivência na ME contribui na formação humana integral dos/as sujeitos/as, contemplando sua formação cidadã, mas apresenta limitações, devido a necessidade de organização institucional para o planejamento e o acompanhamento das atividades desenvolvidas durante o tempo livre. A partir desse trabalho, será possível a ressignificação da ME para além de sua função no programa de assistência estudantil.

Biografia do Autor

Eliane Juraski Camillo, Doutora em Educação. Docente do IFSC.
Doutora em Educação e docente do Instituto Federal Santa Catarina (IFSC), atuando no Centro de Referência em Formação e EaD - Cerfead, em Florianópolis-SC. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-6385-6629  
Daiana Colombo Figueredo, Instituto Federal Catarinense (IFC)
Mestra pelo Programa de Mestrado PROFEPT, doutoranda em Educação Científica e Tecnológica, no PPGECT UFSC e docente do Instituto Federal Catarinense (IFC). Orcid:  https://orcid.org/0000-0003-1526-8889

Referências

BLANC, M. V. O desafio de vir a ser: jovens universitários, moradias. Coletivas e identidades. XXVII Congreso de la Asociación Latinoamericana de Sociología. VIII Jornadas de Sociología de la Universidad de Buenos Aires. Asociación Latinoamericana de Sociología, Buenos Aires. Disponível em < http://cdsa.aacademica.org/000-062/1762> Acesso em: 12 de julho de 2020.

BRASIL, Ministério da Educação. Lei Nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Brasília, DF, 1996.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnologia. Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado ao Ensino Médio: Documento Base. Brasília, DF, 2007.

CIAVATTA, M. O Ensino Integrado, a Politecnia e a Educação Omnilateral. Por Que Lutamos? Trabalho & Educação, Belo Horizonte, MG, v. 23, n. 1, p. 187-205, 2014.

ESPIT, A. C. O Internato no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia: Pensionato ou Educandário? Tese de Doutorado em Educação nas Ciências, UNIJUÍ, Ijuí, RS, 2014.

IFC, CECOM. Institucional. Disponível em Acesso em 03 de maio de 2019.

IFC. Plano de Desenvolvimento Institucional do Instituto Federal Catarinense. Editora IFC, Blumenau, SC, 2019. Disponível em Acesso em: 04/07/2020.

IFC. Regulamento da Moradia Estudantil. 2019. Disponível em Acesso em: 04/07/2020.

KOSIK, K. Dialética do Concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

MARCELINO, D. de S. C. Tempo Livre no Internato: E agora, o que fazer? Dissertação de Mestrado em Educação Agrícola, UFRRJ, Seropédica, RJ, 2013.

MEIHY, J. C. S. B. Manual de história oral. 2ª ed. São Paulo: Loyola, 1998.

MOURA, D. H.; LIMA FILHO, D. L.; SILVA, M. R. Politecnia e Formação Integrada: Confrontos Conceituais, Projetos Políticos e Contradições Históricas da Educação Brasileira. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, RJ, v. 20, n. 63, p. 1057-1080, 2015.

NOSELLA, P. Ensino Médio: Em Busca do Princípio Pedagógico. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 32, n. 117, p. 1051-1066, 2011.

QUEIROZ, C. M.; ALVES, L. A.; SILVA, R. R. da.; SILVA, K. N. da.; MODESTO, R. V. Evolução do Ensino Médio no Brasil. IN: V simpósio internacional: O estado e as políticas educacionais no tempo presente – UFU, Uberlândia, 2009. Disponível em . Acesso em 20 de maio de 2019

RAMOS, M. Ensino Médio Integrado: Ciência, Trabalho e Cultura na relação entre Educação Profissional e Educação Básica. IN.: MOLL, J. Educação Profissional e Tecnológica no Brasil Contemporâneo: Desafios, Tensões e Possibilidades. Porto Alegre: Editora Artimed, 2010.

SANTOS, M. G. C. A Categoria de Formação Omnilateral em Marx e o Trabalho Enquanto Princípio Educativo. In: I Seminário Internacional e I Fórum de Educação do Campo da Região Sul do RS: Campo e Cidade em busca de Caminhos Comuns. Pelotas, RS, 2012. Disponível em < http://coral.ufsm.br/sifedocregional/images/Anais/Eixo%2005/Magda%20Gisela%20Cruz%20dos%20Santos.pdf> Acesso em 07 de julho de 2020.

SAVIANI, D. Trabalho e Educação: Fundamentos Ontológicos e Históricos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, RJ, v. 12, n. 34, p. 152-180, 2007.
Publicado
2021-08-16
Como Citar
CAMILLO, E. J.; FIGUEREDO, D. C. O papel da Moradia Estudantil na edificação da Educação Integral no Instituto Federal Catarinense - IFC:. Revista Labor, v. 2, n. 25, p. 32-46, 16 ago. 2021.
Seção
Artigos