Trabalho e Educação na agenda do Banco Mundial para juventude brasileira

Autores

  • Luiz Henrique Fernandes dos Reis UFSC
  • Eneida Oto Shiroma UFSC

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i24.60185

Palavras-chave:

Educação para o Trabalho. Relação desemprego-escolaridade. Políticas Públicas em Educação.

Resumo

Este artigo analisa a agenda do Banco Mundial para a juventude brasileira. Discute-se como constroem a narrativa do jovem “nem-nem” (nem estuda, nem trabalha); quais suas recomendações para o Estado e o que revelam sobre as tendências para a educação e trabalho no próximo período. Fundamentados no materialismo histórico, trabalhamos com o pressuposto de que recomendações pensadas nos países centrais são endereçadas à periferia, balizando reformas que atingem duramente os trabalhadores. O controle e educação da próxima geração impõe-se como necessidade imperiosa do capital. As contrarreformas implementadas nos últimos anos, visam a plena disponibilização de força de trabalho a ser explorada quer como assalariada ou empreendedora. O Banco Mundial refere-se ao jovem “nem-nem” como um problema social a ser equacionado por novas políticas públicas. Recomendam a desregulamentação do trabalho, sugerindo um salário abaixo do mínimo para os jovens. No âmbito educacional, as políticas apontam para o rebaixamento dos custos de formação da força de trabalho, pela simplificação dos currículos e flexibilização do ensino. Associa-se a isso a ideologia do empreendedorismo, com especial ênfase à formação comportamental pela via das competências socioemocionais. Conceitos como desengajamento e “acumulação de capital humano”, são utilizados para produzir uma nova compreensão sobre o desemprego, reforçando o entendimento do desemprego como uma disfunção dos estudantes e do sistema educacional.

Biografia do Autor

Eneida Oto Shiroma, UFSC

Doutora em Educação. Professora do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina. Bolsista PQ do CNPq.    

Referências

ABILIO, Ludmila Costhek. Uberização: Do empreendedorismo para o autogerenciamento subordinado. Psicoperspectivas, Valparaíso , v. 18, n. 3, p. 41-51, nov. 2019. Disponible en: http://dx.doi.org/10.5027/psicoperspectivas-vol18-issue3-fulltext-1674 Acesso em 22 jun. 2020.
ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão. O novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.
BANCO MUNDIAL. Educação e Empregos: Uma Agenda para a Juventude. Síntese de Constatações, Conclusões e Recomendações de Políticas, 2018. Disponível em http://documents.worldbank.org/curated/pt/953891520403854615/pdf/123968-WP-PUBLIC-PORTUGUESE-P156683-CompetenciaseEmpregosUmaAgendaparaaJuventude.pdf Acesso em: 12 mai 2020.
BRASIL. Emenda Constitucional Nº 103, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2019. Altera o sistema de previdência social e estabelece regras de transição e disposições transitórias.
BRASIL. Medida Provisória Nº 905, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2019. Institui o Contrato de Trabalho Verde e Amarelo, altera a legislação trabalhista, e dá outras providências.
DIEESE. Política de valorização do salário mínimo: depois de 20 anos, ajuste fica abaixo da inflação (INPC). Nota técnica número 166. Janeiro de 2017.
FONTES, V. O Brasil e o capital-imperialismo: teoria e história. Rio de Janeiro: EPSJV; Editora da UFRJ, 2010
FONTES, Virgínia. Capitalismo em tempos de uberização: do trabalho ao emprego. Marx e o Marxismo, Rio de Janeiro, v. 5, n. 8, jan./jun. 2017.
GRAMSCI, Antônio. A concepção dialética da história. 5 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1984.
GRAMSCI, Antônio. Os intelectuais e a organização da cultura. 3 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.
HARVEY, D. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.
IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua. Série Histórica. 2012-2019.
IBGE. Em 2016, PIB chega a R$ 6,3 trilhões e cai 3,3% em volume. Estatísticas Econômicas. 09/11/2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/22936-em-2016-pib-chega-a-r-6-3-trilhoes-e-cai-3-3-em-volume. Acesso de 24.jun. 2020
KUENZER, A. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D. & SANFELICE, J. L. (Orgs.) Capitalismo, trabalho e educação. 2. ed. rev. – Campinas, SP: Autores Associados, HISTEDBR, 2004.
LOPES, Kátia de Carvalho. Educação Pública como Nicho de Investimento Social Privado. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2010.
MARTINS, André Silva. Estratégias burguesas de obtenção do consenso nos anos de neoliberalismo da Terceira Via. In: NEVES, Lúcia Maria Wanderley (org.). A nova pedagogia da hegemonia: Estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.
MARX, Karl. O Capital. São Paulo: Bertrand Brasil/Difel, 1987.
NEVES, Lúcia M.W. e MARTINS, André S. A Direita para o social e a esquerda para o capital. São Paulo: Xamã, 2010.
NEVES, Lúcia Maria Wanderley (org.). A nova pedagogia da hegemonia. São Paulo: Xamã, 2005.
XXX (suprimido para avaliação)
SANTOS, Fernando S. As universidades federais e a estratégia democrático-popular: heteronomia a serviço do capital (2003-2010). Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2020
SCHULTZ, Theodore. O Capital Humano Investimento em educação e pesquisa. Rio de Janeiro: Ed Jorge Zahar, 1973
UNESCO. Educação: um tesouro a descobrir: relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. São Paulo: Cortez; 1998.

Downloads

Publicado

2020-11-04

Como Citar

FERNANDES DOS REIS, Luiz Henrique; OTO SHIROMA, Eneida. Trabalho e Educação na agenda do Banco Mundial para juventude brasileira. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 24, p. 511–537, 2020. DOI: 10.29148/labor.v1i24.60185. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/60185. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos Semelhantes

<< < 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.