Rememoriar para resistir:

Especificidade e interlocução de políticas curriculares de EJA e Educação Profissional

Autores

  • Adriana Pereira da Silva Prefeitura do Município de São Bernardo do Campo -SP

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i25.60236

Palavras-chave:

Políticas públicas. Educação profissional. Currículo.

Resumo

O presente artigo traz em memória uma experiência de política pública municipal de Educação Profissional integrada com a Educação de Jovens e Adultos na etapa do Ensino Fundamental. A pesquisa objetiva evidenciar o processo de construção da política pública local, observando suas especificidades curriculares e sua aproximação com a política nacional de formação integral de trabalhadores (as), no período de 2004 a 2016. A investigação é de caráter qualitativo, sistematizada  num perfil de estudo de documentos. Para organização dessa metodologia tem-se um tratamento do perfil da política municipal e há uma análise dessa experiência em atenção ao Decreto 5154/04 e ao Documento do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na modalidade da Educação de Jovens e Adultos (PROEJA). Assim, a sistematização partiu dos documentos específicos do município em estudo e dos documentos das políticas nacionais citadas. A reflexão está fundamentada na análise das categorias formação integral e trabalho como princípio educativo. O referencial teórico filia-se a concepção de educação critico-humanística. A conclusão evidenciou que a política municipal teve proximidades com a política nacional, pois apresentava um compromisso de educação de trabalhadores (as) em perspectiva emancipatória, sustentada nos princípios fundantes da formação integral, além disso, elucidou caminhos próprios, retratando especificidades curriculares que mostraram ser significativas para uma proposta de Educação Profissional de base crítica.

Biografia do Autor

Adriana Pereira da Silva, Prefeitura do Município de São Bernardo do Campo -SP

Doutorada em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2016), mestre em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2012), graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário Fundação Santo André (1998). Atuou como Professora universitária de pós-graduação, pela UNICASTELO, no curso "Formação de Professores". Participou em Santo André do movimento social MOVA como assistente pedagógica. Exerceu durante o período de 2009 à 2016 a gestão pública de políticas de EJA e Educação Profissional no cargo de chefe de divisão da Prefeitura do Município de São Bernardo do Campo. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Currículo, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação de Jovens e Adultos, Paulo Freire, Cultura, Alfabetização, Currículo e Práticas Pedagógicas.

https://orcid.org/0000-0002-5502-0936

Referências

BRASIL, 2004. Decreto no. 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do artigo 36 e os arts. 39 a 41 da lei no. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional e dá outras providências.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: Ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.
___________. Pedagogia da Autonomia. 11. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.
FRIGOTTO, G. (Org..) Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.
LÖWY, M. Romantismo e messianismo: ensaios sobre Lukács e Benjamin. São Paulo: Perspectiva, 1990.
MARX, Karl e ENGELS, Frederic. Textos sobre Educação e Ensino. E-book. Campinas: Navegando Publicações, 2011. Disponível em: <https://www.marxists.org/portugues/marx/ano/mes/ensino.pdf>. Acesso em: 31 maio de 2019.
POULANTZAS, Nicos. O Estado, o poder, o socialismo. 2. Ed. Rio de Janeiro: Graal, 1985.
RAMOS, M. N. A pedagogia das competências: autonomia ou adaptação? São Paulo: Cortez, 2001.
____________. (Orgs.). Ensino médio integrado: concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.
SACRISTAN, José. G. O currículo: Uma reflexão sobre a prática. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.
SALVADOR, A. D. Métodos e técnicas de pesquisa bibliográfica. Porto Alegre: Sulina, 1986.
SÃO BERNARDO DO CAMPO. Departamento de Ações Educacionais e Divisão de EJA e Educação Profissional. Catálogo de educação profissional Municipal. São Bernardo do Campo, SP: [s.n.], fev. 2014. 91 p.
SÃO BERNARDO DO CAMPO. Conselho Municipal de Educação. Deliberação de n. 2/10. Notícias do Município, São Bernardo do Campo, n. 76, 2010, p. 31.
SÃO BERNARDO DO CAMPO. Departamento de Ações Educacionais e Divisão de EJA e Educação Profissional. Diretrizes curriculares da EJA. São Bernardo do Campo, SP: [s.n.], jan. 2012. 122 p.
SAVIANI, Dermeval. A nova lei da educação: trajetória, limites e perspectivas. 5 ed. Campinas (SP): Autores Associados, 1999. (Coleção educação contemporânea)
VIDIGAL, Carmen Silva. Educação de jovens e adultos trabalhadores de qualidade: regime de colaboração e Sistema Nacional de Educação. Educação e Sociedade, in: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302013000300017&lng=pt&tlng=pt- vol.34 no.124 Campinas jul./set. 2013

Downloads

Publicado

2021-05-02

Como Citar

SILVA, Adriana Pereira da. Rememoriar para resistir:: Especificidade e interlocução de políticas curriculares de EJA e Educação Profissional. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 25, p. 390–407, 2021. DOI: 10.29148/labor.v1i25.60236. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/60236. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.