Tecnologia, trabalho e patrimônio cultural

uma abordagem na perspectiva da emancipação humana

Autores

  • Sônia Aparecida Nogueira Fundação Oswaldo Cruz

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i24.60239

Palavras-chave:

Patrimônio cultural. Tecnologia. Teoria crítica marxista

Resumo

O presente artigo tem por objetivo desenvolver uma análise epistemológica na perspectiva teórico-metodológica do materialismo histórico e dialético e da ontologia do ser social a respeito dos desafios colocados no contexto contemporâneo para a teoria e as políticas de preservação do patrimônio histórico-cultural, na ênfase da respectiva demanda colocada por uma qualificação profissional especializada voltada para o trabalho de conservação e restauração de bens culturais. desde o âmbito mais amplo das relações entre tecnologia, trabalho e educação, busca-se uma reflexão a partir de aproximações entre os conceitos de memória social, cultura material e categorias da teoria crítica marxista.

Biografia do Autor

Sônia Aparecida Nogueira, Fundação Oswaldo Cruz

Tecnologista Sênior da Fundação Oswaldo Cruz, mestre em História e Preservação do Patrimônio Cultural pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e doutora em Trabalho e Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Referências

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BALLART, Josep. El patrimonio histórico y arqueológico: valor y uso. Barcelona: Editora Ariel, 2006.
BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.
BORTOLOTTO, Chiara (Org.). Le patrimoine culturel immatériel. Enjeux d’une nouvelle catégorie. Paris: Éditions de La Maison dês sciences de l’homme, 2011.
CHOAY, Françoise. A alegoria do Patrimônio. Tradução: Luciano Vieira Machado. São Paulo: Editora UNESP, 2001.
GAMA, Ruy. A Tecnologia do Patrimônio na História. São Paulo: Nobel Edusp, 1986.
LE GOFF, Jacques. História e Memória. 4º Edição. Tradução: Bernardo Leitão.Campinas: Editora da Unicamp, 1990.
LOWENTHAL, David. Como conhecemos o passado. In: Projeto História: Trabalhos da memória. Tradução: Lúcia Haddad. São Paulo: Editora PUC, 1998. p.1-495.
MARX, Karl. O Capital. 3ª Edição. Vol.1. Tradução: Reginaldo Santana. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.
PINTO, Álvaro Vieira. O Conceito de Tecnologia. Vol.1. Rio de Janeiro: Editora Contraponto, 2008.
RAMOS, Francisco R. L. A Danação do objeto: o museu no ensino de História. Chapecó (SC): Argos, 2008.
RODIGUES, José. Dicionário da Educação Profissional em Saúde. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz. EPSJV, 2009.
SAVIANI, Demerval. O choque teórico da politecnia. Trabalho, educação e saúde, 1(1): p.131-152, 2003.

Downloads

Publicado

2020-10-19

Como Citar

NOGUEIRA, Sônia Aparecida. Tecnologia, trabalho e patrimônio cultural: uma abordagem na perspectiva da emancipação humana. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 24, p. 432–453, 2020. DOI: 10.29148/labor.v1i24.60239. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/60239. Acesso em: 25 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.