Trabalhadores migrantes no mercado de trabalho formal brasileiro

Autores

  • Michele Romanello Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i25.60691

Palavras-chave:

educação; retornos; imigração; Brasil; trabalho

Resumo

Na última década, o Brasil viveu um novo ciclo de migração internacional. A população migrante residente no Brasil cresceu cerca de 20%, segundo a Organização Internacional para as Migrações. O objetivo deste artigo é analisar a inserção de trabalhadores estrangeiros no mercado de trabalho formal brasileiro, investigando os retornos à escolaridade dos migrantes em comparação com os nativos e a discriminação positiva ou negativa que pode existir no mercado formal de trabalho. Para a realização da pesquisa deste artigo, é utilizada a base de dados do Relatório Anual de Informações Sociais, que analisa o período de 2010 a 2017. A metodologia de cálculo da taxa de retorno da educação de trabalhadores nativos e estrangeiros é baseada na equação de Mincer. A equação de Mincer é estimada econometricamente, na qual a variável dependente, o log do salário ou renda do trabalho, é regredida nos anos de escolaridade da pessoa e outros controles. O retorno da educação demonstra uma discriminação positiva dos trabalhadores formais estrangeiros no Brasil e uma convergência nas taxas de retorno entre nativos e imigrantes: a taxa de retorno internacional é de aproximadamente 37% em 2010 e cerca de 20% em 2017, enquanto a taxa de retorno dos nativos permanece constante no período, aproximadamente 15%.

Biografia do Autor

Michele Romanello, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Economia pela Università Degli Studi Di Udine (Itália), mestrado em Economic Management and Policy pela University of Strathclyde (Reino Unido) e doutorado em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 2014. Foi trainee no Banco de Desenvolvimento do Conselho de Europa em Estrasburgo (França), onde trabalhou na análise dos aspectos econômicos e sociais dos projetos do Banco. Foi pesquisador no Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo do PNUD, onde adquiriu experiência sobre a análise de políticas públicas e projetos sociais. Atualmente é professor adjunto no Departamento de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A principal área de atuação é Desenvolvimento Econômico, especialmente nos seguintes temas: educação, desigualdade, políticas públicas, microeconometria.

Referências

ARAUJO, Ana Paula Correia de; FILARTIGAS, Danilo Magno Espíndola; CARVALHO, Luciani Coimbra de. Bolivianos no Brasil: migração internacional pelo corredor fronteiriço Puertoquijarro (BO)/Corumbá (MS). Interações, v. 16, n. 1, p. 131-141, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-70122015000100012&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 15/02/2020.

BARBOSA FILHO, Fernando de Holanda; PESSÔA, Samuel. Educação e desenvolvimento no Brasil; In: FERREIRA, Pedro et al. Desenvolvimento econômico: uma perspectiva brasileira. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

BESHAROV, Douglas; LOPEZ, Mark; SIEGEL, Melissa. International conference news: trends in migration and migration policy. Journal of Policy Analysis and Management, v. 32, n. 3, p. 655-660, 2013. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/42001554. Acesso em: 23/02/2020.

BOGUS, Lucia Maria; FABIANO, Maria Lucia. O Brasil como destino das migrações internacionais recentes: novas relações, possibilidades e desafios. Ponto e Vírgula - PUC SP, n. 18, pp. 126-145, 2015. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/pontoevirgula/article/view/29806. Acesso em: 18/02/2020.

COSTA DE SÁ, P.R., SILVA, R. F. Desafios à inclusão dos imigrantes haitianos na sociedade brasileira. Seminar “International Migrations, Refuge and Policies”, São Paulo: UNICAMP, 2016.

DE MARIA, Pier Francesco, MORETTO, Amilton José. Inserção do imigrante latino-americano no mercado formal de trabalho brasileiro (2006-2016): características e implicações para as políticas públicas. Espacio Abierto v.27, n.3, pp. 49-73, 2018. Disponível em: http://abep.org.br/xxencontro/files/paper/111-86.pdf. Acesso em: 02/04/2020.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR MIGRATION (IOM) World Migration Report, 2018. Disponível em: https://www.iom.int/sites/default/files/country/docs/china/r5_world_migration_report_2018_en.pdf. Acesso em: 30/01/2020.

LOUREIRO, P., GALRÃO, F. Discriminação no mercado de trabalho: uma análise dos setores rural e urbano no Brasil. Economia Aplicada, v.5, n.3, pp.519-545, 2001.

MARTINE, George. A globalização inacabada: migrações internacionais e pobreza no século 21. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 19, n. 3, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-88392005000300001. Acesso em: 14/03/2020.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT (OECD) OECD Employment Outlook 2008. Statistical Annex. OECD: Paris, p. 358, 2008. Disponível em: http://www.oecd.org/els/emp/oecdemploymentoutlook2008.htm. Acesso em: 26/02/2020.

PATARRA, Neide Lopes Migrações internacionais: herança XX, agenda XXI. São Paulo: FNUAP, 1996.

RESENDE, M., WYLLIE, R. Retornos para a educação no Brasil: evidências empíricas adicionais. Economia Aplicada, v.10, n.3, pp.349-365, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-80502006000300003. Acesso em: 18/02/2020.

RIZEK, Cibele Saliba; GEORGES, Isabel; SILVA, Carlos Freire da. Trabalho e imigração: uma comparação Brasil-Argentina. Lua Nova n.79, pp.111-142, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-64452010000100006&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 26/03/2020.

SACHSIDA, A, LOUREIRO, P., MENDONÇA, M. Um estudo sobre o retorno em escolaridade no Brasil. Revista Brasileira de Economia, v.58, n.2, pp.249-265, 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-71402004000200006&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 03/03/2020.

UEDA, E., HOFFMANN, R. Estimando o retorno em educação no Brasil. Economia Aplicada, v.6, n.2, pp.209-238, 2002.

VAN TUBERGEN, Frank; MAAS, Ineke; FLAP, Hen. The economic incorporation of immigrants in 18 western societies: origin, destination, and community effects. American Sociological Review [S.I.], v. 69, n. 5, pp. 704-727, 2004. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/3593035. Acesso em: 24/01/2020.

VILELA, Elaine Meire. Desigualdade e Discriminação de Imigrantes Internacionais no Mercado de Trabalho Brasileiro. Dados – Revista de Ciências Sociais: Rio de Janeiro, v. 54, n. 1, pp. 89 – 128, 2011. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/187079262.pdf. Acesso em: 02/03/2020.

VILELA, Elaine Meire; SAMPAIO, Daniela Portela. Um olhar sobre as autorizações de permanência a estrangeiros no Brasil, entre 2005 e 2011. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 32, n. 1, p. 25-48, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-30982015000100025. Acesso em: 03/01/2020.

Downloads

Publicado

2021-05-02

Como Citar

ROMANELLO, Michele. Trabalhadores migrantes no mercado de trabalho formal brasileiro. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 25, p. 475–492, 2021. DOI: 10.29148/labor.v1i25.60691. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/60691. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.