TRABALHO ÔNTICO-CONCRETO E A SUPERAÇÃO DIALÉTICA DO SER SOCIAL

Autores

  • Vicente Juciê Sobreira Junior
  • Maria José Pires Cardozo

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i16.6505

Resumo

O artigo propõe abordar o fragmento do estudo desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Educação, na Universidade Federal do Maranhão, tratando o trabalho enquanto categoria ontológica central na constituição do ser social. Parte-se da concepção marxiana aprofundada por Lukács na Ontologia do Ser Social, oferecendo indicativos onto-metodológicos e materialistas às complexificações contínuas e dialéticas das relações sociais em cada momento de superação. Assim, intenta-se ampliar o diálogo acerca da totalidade na práxis humana como ponto de partida necessário à compreensão das determinações constitutivas da realidade concreta fragmentária dos sujeitos, em busca de processos emancipatórios viabilizantes que se autoinvalidam na lógica antitética do capital.

Biografia do Autor

Vicente Juciê Sobreira Junior

Mestre em Educação (PPGE - UFMA). Graduado em Filosofia (UECE). Professor de Filosofia/ Filosofia da Educação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão – Campus Pinheiro (IFMA).

Maria José Pires Cardozo

Doutora em Educação (UFC/FACED). Mestre em Educação (UFMA). Especialista em Metodologia do Ensino Superior (UFMA). Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) stricto sensu da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Downloads

Publicado

2017-03-15

Como Citar

SOBREIRA JUNIOR, Vicente Juciê; CARDOZO, Maria José Pires. TRABALHO ÔNTICO-CONCRETO E A SUPERAÇÃO DIALÉTICA DO SER SOCIAL. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 16, p. 31–45, 2017. DOI: 10.29148/labor.v1i16.6505. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/6505. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos