UMA PROPOSTA METODOLÓGICA PARA A ANÁLISE DAS POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: A ANÁLISE DE CONJUNTURA E AS DISPUTAS PELO BLOCO NO PODER DO ESTADO.

Autores

  • Lucas Barbosa Pelissari

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i13.6595

Resumo

O objetivo principal deste artigo é o de propor alternativas metodológicas para a análise das políticas públicas de Educação Profissional, discutindo a questão conceitual das classes sociais e a categoria da dependência. A influência da luta de classes na definição das políticas é tomada a partir da compreensão da conjuntura como elemento analítico essencial, com auxílio do aporte teórico-metodológico da teoria política marxista. Trata-se, pois, de uma contribuição para o debate no campo dos estudos sobre trabalho e educação no Brasil. O caso da frente neodesenvolvimentista que governa o país desde 2003, reconfigurando o bloco no poder do Estado brasileiro, é analisado, ainda em uma primeira aproximação, no esforço de localizar a recente política de unificação da Educação Profissional no Brasil, o PRONATEC, nessa conjuntura.

Biografia do Autor

Lucas Barbosa Pelissari

Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) e em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Paraná (UFPR); mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR); doutorando em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Downloads

Publicado

2017-03-16

Como Citar

PELISSARI, Lucas Barbosa. UMA PROPOSTA METODOLÓGICA PARA A ANÁLISE DAS POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: A ANÁLISE DE CONJUNTURA E AS DISPUTAS PELO BLOCO NO PODER DO ESTADO. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 13, p. 144–160, 2017. DOI: 10.29148/labor.v1i13.6595. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/6595. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos