DOS PROGRAMAS OFICIAIS PARA A EDUCAÇÃO RURAL AOS PROJETOS DE EDUCAÇÃO DO CAMPO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS

Autores

  • Mara Rita Duarte de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i1.6672

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo central discutir os programas oficiais destinados à educação das populações do campo, fazendo uma incursão dos anos 1930 até os anos de 1990. Apontando nesse percurso o surgimento das experiências de propostas educativas dos Movimentos sociais ligados à luta pela terra, em especial, dos Movimentos dos Trabalhadores Rurais (MST) e da Federação dos Trabalhadores da Agricultura (FRETAGRI), tais propostas desenvolvidas no Estado do Pará, são experiências de resistência às propostas oficiais homogenizadoras que deslegitimam e aviltam a identidade camponesa. Ainda, no campo das experiências educativas dos movimentos sociais aponta o caráter emancipador de tais propostas e a contribuição dessas para novos itinerários educativo da educação campo.

Biografia do Autor

Mara Rita Duarte de Oliveira

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará. Professora do curso de Pedagogia da Universidade Federal do Pará - Campus Universitário de Marabá. 

Downloads

Publicado

2017-03-16

Como Citar

OLIVEIRA, Mara Rita Duarte de. DOS PROGRAMAS OFICIAIS PARA A EDUCAÇÃO RURAL AOS PROJETOS DE EDUCAÇÃO DO CAMPO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 68–89, 2017. DOI: 10.29148/labor.v1i1.6672. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/6672. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos