O CAMPO DA SAÚDE DO TRABALHADOR E O CONCEITO “PROCESSO DE TRABALHO” EM MARX

Autores

  • Camila Farias Martins de Sousa
  • Francisco Pablo Huascar Aragão Pinheiro
  • Cássio Adriano Braz de Aquino

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i10.6682

Resumo

O artigo debate o modo como o conceito “processo de trabalho”, em sua acepção marxista, é apropriado pelo campo da Saúde do Trabalhador no tocante à análise dos determinantes que condicionam a produção de saúde e/ou de adoecimento laborais. Inicialmente, são apresentadas transformações conceituais e políticas que perpassaram a Medicina do Trabalho, a Saúde Ocupacional e, por fim, a Saúde do Trabalhador. É observado o modo como cada uma dessas correntes teórico-práticas define a relação entre saúde, trabalho e adoecimento, bem como são elencadas as formas de intervenção correlatas. No que tange à Saúde do Trabalhador, destaca-se a necessidade deste campo produzir conhecimento assentado numa base histórico-crítica que permita uma compreensão dialética acerca dos contextos de trabalho. Definese “processo de trabalho” a partir de Marx, considerando suas três dimensões elementares, quais sejam: objeto, instrumento e trabalho. Observa-se, ainda, a maneira como o controle exercido sobre a força de trabalho organizou-se na manufatura e na maquinaria. Tomando tais noções como suporte, demonstrase como cada uma das dimensões mencionadas pode repercutir para a saúde dos trabalhadores. São apresentados, ainda, modelos de investigação que se estruturam fundamentados no conceito “processo de trabalho”.

Biografia do Autor

Camila Farias Martins de Sousa

Camila Farias Martins de Sousa é graduada em Serviço Social pela Universidade Estadual do Ceará (2005). Possui especialização em Serviço Social pela Universidade de Brasília (2010). Atualmente, cursa Mestrado em Educação Brasileira na Universidade Federal do Ceará (UFC) e atua como assistente social junto à Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da mesma Instituição.

Francisco Pablo Huascar Aragão Pinheiro

Francisco Pablo Huascar Aragão Pinheiro é graduado em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará – UFC (2005). Possui Mestrado em Psicologia pela UFC e cursa Doutorado em Educação Brasileira nesta mesma instituição. Atualmente, é psicólogo da Coordenadoria de Qualidade de Vida no Trabalho da UFC.

Cássio Adriano Braz de Aquino

Cássio Adriano Braz de Aquino é graduado em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (1989) e em Administração pela Universidade de Fortaleza (1986), possui Suficiência Investigadora em Psicologia Social — Universidad Complutense de Madrid (2000), é Mestre em Administração pela Universidade Federal da Paraíba (1994) e Doutor em Psicologia Social — Universidad Complutense de Madrid (2003). Possui estágio Pós-doutoral na Universidad Complutense de Madrid (2009). Atualmente, é professor adjunto da Universidade Federal do Ceará, Coordenador Acadêmico e Vice-Diretor do Centro de Humanidades da UFC.

Downloads

Publicado

2017-03-16

Como Citar

SOUSA, Camila Farias Martins de; PINHEIRO, Francisco Pablo Huascar Aragão; AQUINO, Cássio Adriano Braz de. O CAMPO DA SAÚDE DO TRABALHADOR E O CONCEITO “PROCESSO DE TRABALHO” EM MARX. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 10, p. 50–69, 2017. DOI: 10.29148/labor.v1i10.6682. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/6682. Acesso em: 24 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos