ALIENAÇÃO E O PROCESSO DE SOFRIMENTO E ADOECIMENTO DO PROFESSOR: NOTAS INTRODUTÓRIAS

Autores

  • Flávia Gonçalves da Silva

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i7.6705

Resumo

Nos últimos anos vem aumentando significativamente os estudos sobre saúde do trabalhador, em especial do professor, buscando nas condições objetivas e subjetivas do trabalho/trabalhador fatores que possibilitem compreender e intervir nos agravos a saúde. Uma análise marxista desses processos implica não apenas compreender as relações de trabalho no modo de produção capitalista, mas compreender como tais relações promovem sofrimento/adoecimento no trabalhador. O presente texto propõe entender o tal processo a partir da categoria alienação, que se manifesta no psiquismo na consciência, especificamente na oposição e/ou ruptura entre sentidos e significados da atividade e da impossibilidade de realizar a atividade profissional tal como foi realizada e/ou prescrita. Por isso, entende-se que é a alienação um dos principais processos geradores de sofrimento e adoecimento psíquico ocupacional do trabalhador em geral, inclusive do professor.

Biografia do Autor

Flávia Gonçalves da Silva

Doutora em Educação: Psicologia da Educação pela PUC/SP. Docente do departamento de Educação Física da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM.

Downloads

Publicado

2017-03-25

Como Citar

SILVA, Flávia Gonçalves da. ALIENAÇÃO E O PROCESSO DE SOFRIMENTO E ADOECIMENTO DO PROFESSOR: NOTAS INTRODUTÓRIAS. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 7, p. 49–64, 2017. DOI: 10.29148/labor.v1i7.6705. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/6705. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)