Ensino Médio Integrado no CEFET/RJ campus Maracanã: concepções de integração em disputa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i28.71653

Palavras-chave:

Ensino Médio Integrado, Integração, Análise documental

Resumo

O Ensino Médio Integrado (EMI) deve articular educação profissional técnica e ensino médio, com o compromisso ético e político de assegurar aos estudantes o direito à formação profissional, sem que esta substitua a formação geral. Partindo-se desse pressuposto, o objetivo deste artigo é identificar concepções de integração que emergiram em reuniões de uma comissão formada para tratar do EMI no contexto do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) campus Maracanã. Tal comissão trabalhou entre 2016 e 2018 realizando discussões coletivas para avaliar os cursos e fazer as alterações pertinentes. Foi realizada uma pesquisa documental, de caráter qualitativo, tendo como base as atas das reuniões da Comissão do Integrado. A análise dos dados visou tanto a compreender as diferentes concepções sobre EMI como a capturar a subjetividade inerente às discussões realizadas. Os resultados apontam que a necessidade de redução da carga horária e da duração dos cursos de EMI, atribuída ao CONIF no contexto investigado, teve grande centralidade nas discussões da Comissão.  Também foi identificada uma concepção de EMI pautada por determinantes liberais, com ênfase em habilidades e competências que se alinham às necessidades do mercado, tal como proposto pela UNESCO. Já a concepção politécnica, preocupada com uma formação mais humanística e com o equilíbrio entre o trabalho manual e o desenvolvimento do trabalho intelectual, foi praticamente inexistente nas atas.

Biografia do Autor

Cristiana Rosa Valença, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) campus Maracanã

Doutora em Ensino de Ciências e Saúde pelo NUTES/UFRJ (bolsa Capes DS) onde também cursou o mestrado. É professora de biologia do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/ RJ) e colaboradora do Observatório da Laicidade na Educação (OLÉ). Atuou no projeto de pesquisa Ciência e Religiosidade- crenças religiosas entre cientistas e estudantes: estudos comparados. Possui Bacharelado e Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) onde foi bolsista de iniciação científica do Laboratório de Dinâmica de Populações Marinhas. Tem experiência em investigar as influências de aspectos socioculturais no ensino e na aprendizagem de ciências e biologia, sobretudo nas temáticas da origem e evolução da vida e na atividade científica e docente dos professores universitários. Trabalha com os referenciais de representações sociais, cultura organizacional e pesquisa-ação. Coordena o projeto de extensão Sexualidade, gênero e diversidade na juventude do CEFET/RJ desde 2016.

Vanessa de Oliveira Brunow, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) campus Maracanã

Possui graduação em História pela Universidade Federal Fluminense (2007). É mestre em História pela Universidade Federal Fluminense (2010) e doutora em Ciência Política pela mesma Universidade (2017). Tem experiência na área de História, Serviço Social e Direito, com ênfase em História Contemporânea do Brasil, Teoria Política e Educação atuando principalmente nos seguintes temas: Sociedade Civil, Democracia, Políticas Públicas Educacionais e Ensino Médio Integrado. Atualmente é professora do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca.

Fernanda Zerbinato Bispo Velasco, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) campus Nova Iguaçu

Possui Graduação em Enfermagem (licenciatura e bacharelado) pela Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense ? UFF Niterói, RJ. Durante a graduação foi bolsista de Iniciação Científica pelo CNPq, trabalhando projeto de pesquisa junto a docentes e outros estudantes no Departamento de Imunobiologia do Instituto de Biologia da UFF, realizando estudos referentes à imunidade de mamíferos contra a leishmaniose. Após concluir o Curso de Enfermagem trabalhou como Enfermeira no Hospital Municipal da Lagoa vinculado a rede pública de saúde do município do Rio de Janeiro. Participou do corpo docente do curso técnico de Enfermagem da venerável Ordem Terceira. Desde 2006 integra o corpo docente do Curso Técnico em Enfermagem do CEFET-RJ/UnEDNI.

Marta Maximo-Pereira, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) campu Nova Iguaçu

Nasceu no Rio de Janeiro, em 1983. Possui graduação em Física (julho de 2007) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), licenciatura em Física (dezembro de 2006) pela mesma instituição e licenciatura em Letras-Espanhol (dezembro de 2005) pela Fundação Educacional Unificada Campograndense (FEUC). É mestre em Ensino de Física também pela UFRJ (fevereiro de 2010) e doutora em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ensino de Ciências (modalidade Ensino de Física) da Universidade de São Paulo (USP) (dezembro de 2014). Recebeu, por sua tese de doutoramento na área de Ensino, Menção Honrosa no Prêmio Capes de Tese 2015 e Diploma de Mérito concedido pela Fundação Carlos Chagas. Realizou estágio pós-doutoral de 6 meses (2019-2020) no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atualmente é professora efetiva do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do CEFET/RJ campus Nova Iguaçu, aprovada em concurso público e atuando como professora de Física do Ensino Médio desde 2009. No âmbito do Laboratório de Pesquisa em Ensino de Ciências (LaPEC) do CEFET/RJ campus Nova Iguaçu desenvolve projetos de pesquisa e extensão e orienta alunos. É líder do grupo de pesquisa Políticas, Práticas e Currículo no Ensino Médio Integrado (PPCEMI) (http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/456817) desde 2018. Tem experiência na área de Ensino, atuando como docente de Língua Espanhola desde 2002 e como docente de Física desde 2007. Em 2010 participou da Escola de Professores no CERN em Língua Portuguesa. Foi Editora Associada da Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências (RBPEC) (de agosto de 2020 a outubro de 2021). É representante eleita da Comissão de Área de Pesquisa em Ensino de Física (CAPEF) da Sociedade Brasileira de Física (SBF) (2021.2-2025.1), sendo coordenadora da CAPEF de 2022.2 a 2023.1. Tem interesse pela pesquisa sobre o Ensino Médio Integrado na perspectiva da politecnia e pela área de Ensino de Ciências, em especial, pelos seguintes temas: ensino-aprendizagem de ciências, teoria histórico-cultural, interação discursiva, metacognição, ensino por investigação, jogos didáticos.

Renata Rufino da Silva , Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) campus Itaguaí

Bacharelado (2009) e Licenciatura (2010) em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestrado (2012) e Doutorado (2017) em História Social pelo PPGHIS/UFRJ. Desde 2015 é professora Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do CEFET/RJ Uned Itaguaí. Tem experiência na área de História, com ênfase em história do Brasil, história literária e cultural e história intelectual. Atua no grupo de pesquisa Políticas, Práticas e Currículo no Ensino Médio Integrado (PPCEMI) do CEFET/ RJ. É membro do Neabi (Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas) do CEFET/RJ Uned Itaguaí e participa da Comissão de Heteroidentificação - CHET vinculada ao Comitê de Política de Igualdade e Cotas Étnico-Raciais-CPICER/DIREG do CEFET/RJ.

Suelen Pestana Cardoso, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/ RJ)

Possui graduação em Licenciatura em Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2008).Mestrado em Ensino de Física pela UFRJ (2017). Doutorado em Ciência, Tecnologia e Educação pelo CEFET/RJ (2023).Tem interesse pela pesquisa sobre Ensino de Física, o Ensino Médio Integrado (EMI), Formação de professores, Teoria Histórico-cultural, Laboratório de Mudança e Educação em Direitos Humanos. Atua como professora de Física no CEFET/RJ desde 2015 com experiência em turmas de ensino médio integrado e de graduação em engenharia. 

Referências

ALVES, Irene de Barcelos; VILARDO, Mônica de Castro Brito; TEIXEIRA, José Claudio Guimarães. Avaliação dos Cursos Integrados (2016-2018): elaboração de uma nova organização curricular para os Cursos Técnicos no campus Maracanã. Anais do II Encontro Intercampi de Educação Profissional do CEFET/RJ: O Ensino Integrado em Foco. Rio de Janeiro: CEFET/RJ, 2019, p. 39-42.

ARAUJO, Ronaldo Marcos de Lima; FRIGOTTO, Gaudêncio. Práticas pedagógicas e ensino integrado. Revista Educação Em Questão, v. 52, n. 38, p. 61-80, 2015. https://doi.org/10.21680/1981-1802.2015v52n38ID7956

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BEMVINDO, Vitor. Por uma História da Educação Politécnica: Concepções, Experiências e Perspectivas. Tese em História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016.

BRASIL. 2004. Decreto nº 5.154 de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto/D2208.htm. Acesso em: 08 jun. 2021.

BRASIL. Lei n° 13.415 de 6 de fevereiro de 2017. Altera as Leis n º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Brasília, 2017. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato 2015-2018/2017/lei/L13415.htm. Acesso em: 08 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 11.741, de 16 de julho de 2008. Altera dispositivos da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para redimensionar, institucionalizar e integrar as ações da educação profissional técnica de nível médio, da educação de jovens e adultos e da educação profissional e tecnológica. Brasília, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11741.htm. Acesso em: 18 jan. 2021.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 6, de 20 de setembro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=11663-rceb006-12-pdf&category_slug=setembro-2012-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 18 jan. 2021.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 1 de 05 de janeiro de 2021.Define as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Profissional e Tecnológica. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-cne/cp-n-1-de-5-de-janeiro-de-2021-297767578?fbclid=IwAR1cguC7vHF27D0foope_s3a68oiqVPd56KayaTGSkrWd6Ey8lWTkl12CHg. Acesso em: 30 mar. 2021?

BRUNOW, Vanessa de Oliveira. Politecnia, Política Pública Educacional Brasileira e a Implantação do Ensino Médio Integrado no CEFET-RJ: avanços e contradições (2004-Atual). Tese em Ciência Política, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017. Disponível em: dcp.uff.br/wp-content/uploadas/sites/327/2020/10/tese-de-2017-vanessa-de-brunow.pdf Acesso em:12ago.2021.

CIAVATTA, Maria. O ensino integrado, a politecnia e a educação omnilateral. Por que lutamos?. Trabalho & Educação, v. 23, n. 1, p. 187-205, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9303 Acesso em: 12 ago.2021.

CONIF/FDE. Diretrizes indutoras para a oferta de cursos técnicos integrados ao ensino médio na Rede federal de educação profissional, científica e tecnológica. Brasília, 2018. Disponível em: https://portal.conif.org.br/images/Diretrizes_EMI_-_Reditec2018.pdf Acesso em: 15 nov. 2018.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. Trad. Joice Elias Costa. 3. ed., Porto Alegre: Artmed, 2009.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. (org). Ensino Médio Integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A relação da educação profissional e tecnológica com a universalização da educação básica. In: MOLL, Jaqueline (Org.). Educação profissional e tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 25-41.

GASKELL, George. Entrevistas individuais e grupais. In: Martin. W. Bauer, & George Gaskell (Orgs.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático Petrópolis: Vozes, 2002. p. 64-89.

GODOY, Arilda Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995. Disponível em: https://rae.fgv.br/rae/vol35-num2-1995/introducao-pesquisa-qualitativa-suas-possibilidades Acesso em: 12 ago. 2021.

GONÇALVES, Leonardo Dorneles; SANTOS, Magda Gisela Cruz dos; SANTOS, Franciele Soares dos. A atualidade das contribuições de Karl Marx e Friedrich Engels para a crítica das reformas neoliberais na educação no Brasil. Revista Labor, v. 1, n. 25, p. 52-75, 27 abr. 2021.

LIMA, Marcelo; ALMEIDA, Jaqueline Ferreira de. Ensino médio integrado: tensões, desarticulações e articulações. Revista Cadernos de Pesquisa em Educação, v. 39, p. 76-85, 2014. https://doi.org/10.22535/cpe.v0i39.10248

LOMBARDI, José Claudinei. História e historiografia da educação: atentando para as fontes. In: LOMBARDI, José Claudinei.;NASCIMENTO, Maria Isabel Moura (Orgs.). Fontes, história e historiografia da educação. Campinas: Autores Associados, 2004. p. 141-176.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. A pesquisa em educação: abordagens qualitativas, São Paulo: EPU, 1986.

MENDES, Ronivaldo; MARQUES, Wellison. Sentidos do ensino médio integrado: um estudo de caso no instituto federal do norte de Minas Gerais - IFNMG - campus Almenara. Revista Práxis Educacional. v. 17, n. 45, p. 1-19, 2021. https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i45.666

MOURA, Dante Henrique. Ensino médio integrado: subsunção aos interesses do capital ou travessia para a formação humana integral?. Educação e Pesquisa, v. 39, p. 705-720, 2013.

PASTORE, Dayse Haime; DEVONISH, Isabela Menezes da Silva; CARDOSO, Tereza Fachada L. (Orgs.). Registros de uma instituição centenária: CEFET/RJ. Rio de Janeiro: CEFET/RJ, 2017.

RAMOS, Marise. Ensino Médio Integrado: Lutas Históricas e Resistências em Tempos de Regressão. Educação Profissional e Tecnológica em Revista, v. 1, n. 1, p. 27-49, 2017. Disponível em: https://ojs.ifes.edu.br/index.php/ept/article/view/356 Acesso em: 12ago.2021.

SAVIANI, Demerval. Escola e democracia. 36. ed. Campinas: Autores Associados, 2003.

SILVEIRA, Zuleide Simas da. Concepção de Educação Tecnológica: das Escolas Técnicas Industriais ao CEFETs. Revista Educação Pública (Rio de Janeiro), v. 10, p. 1-15, 2010.

TRINDADE, Arlene Vieira. A Permanência Estudantil: Uma análise da primeira turma de ensino médio integrado e a política de assistência estudantil no Cefet/RJ- campus Maria da Graça. Dissertação em Serviço Social e Desenvolvimento Regional, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019.

UNESCO. Ensino Médio e Educação Profissional: desafios da integração. Brasília: UNESCO, 2009. Disponível em: http://www.ceeja.ufscar.br/em-e-educacao-profissional Acesso em: 02 de ago. 2021.

UNESCO. Protótipos curriculares de Ensino Médio e Ensino Médio Integrado: resumo executivo. Brasília: UNESCO, 2011. Disponível em https://inee.org/system/files/resources/192271por.pdf Acesso em: 02 de ago. 2021.

UNESCO. Currículo Integrado para o Ensino Médio: das normas à prática transformadora. Brasília: UNESCO, 2013. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/in/documentViewer.xhtml?v=2.1.196&id=p::usmarcdef_0000222630&file=/in/rest/annotationSVC/DownloadWatermarkedAttachment/attach_import_050c4a71-2140-4ee0-814f-fee231a89bdd%3F_%3D222630por.pdf&locale=es&multi=true&ark=/ark:/48223/pf0000222630/PDF/222630por.pdf#%5B%7B%22num%22%3A872%2C%22gen%22%3A0%7D%2C%7B%22name%22%3A%22XYZ%22%7D%2C0%2C842%2Cnull%5D Acesso em: 08 de set. 2020.

UNESCO apoia uma estrutura curricular que torne o ensino mais atraente. EXTRA, Rio de Janeiro, 13 jun. 2011. Disponível em: <https://extra.globo.com/noticias/educacao/unesco-apoia-uma-estrutura-curricular-que-torne-ensino-mais-atraente-2026929.html>. Acesso em: 21 abr. 2021.

VELASCO, Fernanda Zerbinato Bispo. Juventude, Trabalho, Formação e Futuro: O Discurso dos Discentes do Curso Técnico de Enfermagem do CEFET/RJ UNED-NI. Dissertação em Educação Profissional em Saúde, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2018. https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/29806. Acesso em: 12 de ago. 2021.

VELASCO, Fernanda Zerbinato Bispo; MARTINS, Carla Macedo. Análise da lei 13.415 de fevereiro de 2017 e o seu impacto na formação do técnico de enfermagem do CEFET/RJ UNED-NI. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 12, 2019. Disponível em: https://brasilianjouenals.com/index.php/BRJD/view/5663. Acesso em: 12 de ago. 2021.

Downloads

Publicado

2024-05-01

Como Citar

VALENÇA, Cristiana Rosa; BRUNOW, Vanessa de Oliveira; VELASCO, Fernanda Zerbinato Bispo; MAXIMO-PEREIRA, Marta; SILVA , Renata Rufino da; CARDOSO, Suelen Pestana. Ensino Médio Integrado no CEFET/RJ campus Maracanã: concepções de integração em disputa. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 28, p. 29–52, 2024. DOI: 10.29148/labor.v1i28.71653. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/71653. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.