Representações sociais da saúde e as relações de trabalho na contemporaneidade:

escuta de trabalhadores da construção civil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i28.72174

Palavras-chave:

Saúde, Doença, Capitalismo

Resumo

Neste artigo, de natureza histórico-analítica e abordagem qualitativa, busca-se refletir sobre o conceito de saúde a partir das narrativas de nove trabalhadores da construção civil do município de Maringá-PR. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas por meio de WhatsApp. Pauta-se na análise de conteúdo de Bardin (2016) para interpretação dos dados. Os resultados indicam que, para os entrevistados, ter saúde é, acima de tudo, estar apto ao trabalho. Assim, ser saudável é ser produtivo. A falta de registro empregatício formal, marca do neoliberalismo, e a pressão pelo cumprimento de prazos foram citados como fatores geradores de estresse. É possível compreender a existência de maior vulnerabilidade dos trabalhadores que estão na informalidade, em especial, frente à possibilidade de acidentes, comuns à área da engenharia civil. Conclui-se pela validação das críticas à lógica capitalista como comprometedora da saúde dos trabalhadores.

Biografia do Autor

Caroline Urias Challouts, Unicesumar

Caroline Urias Challouts, carolineuchallouts@gmail.com, Brasil, Universidade Cesumar. Mestranda do Programa de Pós-graduação em Promoção da Saúde. Engenheira Civil. Av. Guedner, 1.610, Jardim Aclimação CEP 87050-390. Maringá/PR, Brasil.

Lucas França Garcia, Unicesumar

Lucas França Garcia, lucasfgarcia@gmail.com, Brasil, ORCID: 0000-0002-5815-6150. Universidade Cesumar. Doutorado em Ciências Médicas/Bioética, UFRGS. Professor no Programa de Pós-graduação em Promoção da Saúde. Av. Guedner, 1.610, Jardim Aclimação CEP 87050-390. Maringá/PR, Brasil.

Marcelo Picinin Bernuci, Unicesumar

Marcelo Picinin Bernuci, mbernuci@gmail.com, Brasil, ORCID: 0000-0003-2201-5978. Universidade Cesumar. Doutor em em Fisiologia pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-Universidade de São Paulo. Professor Permanente do Programa de Pós-graduação em Promoção da Saúde Unicesumar. Av. Guedner, 1.610, Jardim Aclimação CEP 87050-390. Maringá/PR, Brasil.

Tânia Maria Gomes da Silva, Unicesumar

Tânia Maria Gomes da Silva, tania.gomes@unicesumar.edu.br, Brasil, ORCID: 0000-0002-5495-9968. Universidade Cesumar. Doutora em história pela Universidade Federal do Paraná. Professora no Programa de Pós-graduação em Promoção da Saúde. Av. Guedner, 1.610, Jardim Aclimação CEP 87050-390. Maringá/PR, Brasil.

Referências

ALMEIDA FILHO, Naomar. O que é saúde? Rio de Janeiro: Fiocruz, 2011.

AMARAL, Juliana Bezerra do; MENEZES, Maria do Rosário de; SILVA, Valdenir Almeida Da; OLIVEIRA, Cíntia Maria Souza de. A religiosidade e a espiritualidade como referências para o enfrentamento da violência doméstica contra idosos. Revista Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v. 24, n. 2, p. e7126, 2016. Disponível em: <https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-946749>. Acesso em: 07 mai. 2021.

ANTUNES, Ricardo; PRAUN, Luci. A sociedade dos adoecimentos no trabalho. Serviço Social & Sociedade (online), v. 00, n. 123, pp. 407-4027, 2015. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/0101-6628.030>. Acesso em: 30 jun. 2021.

AQUINO, Cassio Adriano Braz de et al. Terceirização e saúde do trabalhador: uma revisão de literatura nacional. Rev. Psicol. Organ. Trab., Brasília, v. 16, n. 2, p. 130-142, jun. 2016. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-66572016000200003&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 04 mai. 2021.

BANCO MUNDIAL. Pobreza e prosperidade compartilhada 2020: Reversões da fortuna. Washington, DC: Banco Mundial, 2020.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BARROS, José d’Assunção. Teoria da história: Princípios e conceitos fundamentais. RJ, Petrópolis: Vozes, 2014.

BEZERRA, Italla Maria Pinheiro; SORPRESO, Isabel Cristina Espósito. Conceitos de saúde e movimentos de promoção da saúde em busca da reorientação de práticas. J. Hum. Growth Dev. São Paulo , v. 26, n. 1, p. 11-20, 2016 . Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12822016000100002&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 12 jun. 2021.

BÍBLIA SAGRADA. Português. Bíblia sagrada. Tradução de Padre Antônio Pereira de Figueredo. Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica, Edição Ecumênica, 1980. Acesso em: 10 mai. 2021.

BUSS, Paulo Marchiori; CARVALHO, Antonio Ivo de. Desenvolvimento da Promoção da Saúde no Brasil últimos vinte anos (1988-2008). Ciência Saúde Coletiva, 2009; v. 14, n. 6, 2009, p. 2305-2316. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1413-81232009000600039>. Acesso em 14 jul. 2021.

CANGUILHEN, Georges. O Normal e o Patológico. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1985.

CARDANO, Mario. Manual de Pesquisa Qualitativa: A contribuição da teoria da argumentação. Tradução Elisabeth da Rosa Conil. Petrópolis, RJ: Editora vozes, 2017. Acesso em: 10 jun. 2021.

CHEN, Julienne; NEO, Pearlyn. Texting the waters: An assessment of focus groups conducted via the WhatsApp smartphone messaging application. Method Innov. SAGE Publications, v.12, n.3, 2019. Disponível em: <https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/2059799119884276>. Acesso em: 22 jun. 2021.

COSTA, Simone da Silva. Pandemia e desemprego no Brasil. Rev. Adm. Pública. Rio de Janeiro. 54(4).Jul. p.969-978. Ago. 2020. Disponível em <https://www.scielo.br/j/rap/a/SGWCFyFzjzrDwgDJYKcdhNt/?lang=pt&format=pdf>. Acesso em 03 abr. 2021.

DALMOLIN, Bárbara Brezolin et al. Significados do conceito de saúde na perspectiva de docentes da área da saúde. Escola Anna Nery [online]. 2011, v. 15, n. 2, pp. 389-394. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1414-81452011000200023>. Acesso em: 25 fev. 2021.

DELEUZE, Gilles, GUATARRI, Félix. O que é a Filosofia? Rio de Janeiro (RJ): Editora 34; 1991.

GADAMER, Hans-Georg. O caráter oculto da saúde. Trad. Antônio Luiz Costa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

ESTEVES, Alexandra. As mulheres e a doença: aproximações preliminares. Caderno Espaço Feminino. Uberlândia, MG,v. 34, n.1,jan./jun. 2021. Disponível em: <http://www.seer.ufu.br/index.php/neguem/article/view/62673>. Acesso em: 28 jul. 2021.

FARDOUSI, Nasser; DOUEDARI, Yazan; HOWARD, Natasha. Healthcare under siege: A qualitative study of health-worker responses to targeting and besiegement in Syria. BMJ Open. BMJ Publishing Group, v. 9, n.9, 2019. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6731863/>. Acesso em: 18 jul. 2021.

FIRMIANO, Frederico Daia; TEIXEIRA, Paula Maria Rattis. A classe trabalhadora brasileira na pandemia do novo coronavírus. NOGUEIRA, Silas; SOUZA, Wlaudemir Doniseti de (Orgs.). Cultura e diversidade na resistência ao retrocesso: aspectos de degradação e agravamento de crises na sociedade brasileira contemporânea. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2021, p. 19-40.

FOUCAULT, Michel. O nascimento da clínica. Tradução Roberto Machado. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

GEWEHR, Rodrigo Barros et al. Sobre as práticas tradicionais de cura: subjetividade e objetivação nas propostas terapêuticas contemporâneas. Psicologia USP, v. 28, p. 33-43, 2017. Disponível em <https://www.scielo.br/j/pusp/a/fvdhN9Pz9GhfnbNFLnF8Pbs/?lang=pt>. Acesso em: 15 set. 2021.

HEGENBERG, Leônidas. Doença: um estudo filosófico [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1998. 137 p. In: HEGENBERG, L. Doença: um estudo filosófico [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1998. 137 p.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2021. Disponível em: <https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/30784-pnad-continua-trimestral-desocupacao-cresce-em-oito-das-27-ufs-no-1-trimestre-de-2021>. Acesso em: 23 ago. 2021.

KUMAR, Naveen; SHARMA, Sudhansh. Survey Analysis on the usage and Impact of Whatsapp Messenger. Global Journal of Enterprise Information System, v. 8, n.3, 2017. Disponível em: <http://www.informaticsjournals.com/index.php/gjeis/article/view/15741>. Acesso em: 17 mai. 2021.

LAPLANTINE, Francois. Antropologia da doença. Walter Lelis Siqueira (Trad). São Paulo: Martins Fontes, 1991.

MACULAN, Benildes Coura Moreira dos Santos; LIMA, Gercina Angela Borém de Oliveira. Buscando uma definição para o conceito de “conceito”. Perspectivas em Ciência da Informação [online]. 2017, v. 22, n. 02, pp. 54-87. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/1981-5344/2963>. Acesso em: 15 jul. 2021.

NOGUEIRA, Roberto Passos. Higiomania: a obsessão com a saúde na sociedade contemporânea. A saúde nas palavras e nos gestos. In: VASCONCELOS, Eymard Mourão. (Org.). A saúde nas palavras e nos gestos: reflexões da rede educação popular e saúde.São Paulo: Hucitec, 2001, p. 63-72.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, Constituição da Organização Mundial de Saúde. Conferência Internacional da Saúde. New York: WHO, 1948. Disponível em: <http://www.who.int/governance/eb/who_constitution_sp.pdf>. Acesso em: 03 abr. 2021.

PERDIGÃO, Juliana Andrade; SILVEIRA, Fabrício José Nascimento da. Informação simbólica, representações sociais e identidade: aproximações conceituais. Em questão, v.25, n.1, jan./abr. 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.19132/1808-5245251.185-211>. Acesso em: 10 mai. 2021.

PITOMBEIRA, Delane Felinto; OLIVEIRA, Lucia Conde de. Pobreza e desigualdades sociais: tensões entre direitos, austeridade e suas implicações na atenção primária. Ciência & Saúde Coletiva [online]. v. 25, n. 5, pp. 1699-1708, 2020. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/1413-81232020255.33972019>. Acesso em: 09 ago. 2021.

SILVA, Luisa Aliboni de Toledo e; GOULART JÚNIOR, Edward; CAMARGO, Mário Lázaro. Terceirização é prejudicial à saúde: um estudo bibliográfico nacional sobre a precarização do trabalho. Revista Labor, v. 1, n. 21, p. 76-97, 4 abr. 2019. Disponível em: <http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/40801>. Acesso em: 01 jun. 2021.

SILVA, Marcelo José de Souza e; SCHRAIBER, Lila Blima; MOTA, André. The concept of health in Collective Health: contributions from social and historical critique of scientific production. Physis: Revista de Saúde Coletiva [online]. 2019, v. 29, n. 01. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0103-73312019290102>. Acesso em: 08 abr. 2021.

SCLIAR, Moacyr. História do conceito de saúde. Physis, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 29-41, Apr. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312007000100003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 07 mar. 2021.

SCHMIDT, Beatriz; PALAZZI, Ambra; PICCININI, Cesar Augusto. Entrevistas Online: potencialidades e desafios para coleta de dados no contexto da pandemia de covid-19. Revista família, ciclos de vida e saúde no contexto social, v.8, n.4, 2020. Disponível em: <http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/refacs/article/view/4877>. Acesso em: 19 ago. 2021.

SILVA, Carlos Alberto Borges da; VASCONCELLOS, Maria da Penha. Da doença ao milagre: etnografia de soluções terapêuticas entre evangélicos na cidade de Boa Vista, Roraima. Saúde e Sociedade [online], v. 22, n. 4 p. 1036-1044, 2013. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0104-12902013000400007>. Acesso em: 14 fev. 2021.

SILVA, Luciana Macedo Ferreira; SCORSOLINI-COMIN, Fabio. A umbanda e os processos de saúde-doença. Semina: ciências sociais e humanas, v. 41, n. 2, 2020. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/39607>. Acesso em: 04 mai. 2021.

SOUZA, Katia Reis de et al. Trabalho remoto, saúde docente e greve virtual em cenário de pandemia. Trabalho, Educação e Saúde [online], v. 19, 2021. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00309>. Acesso em: 01 set. 2021.

VIAPIANA, Vitória Nassar.; GOMES, Rogério Miranda; ALBUQUERQUE, Guilherme Souza Cavalcanti de. Adoecimento psíquico na sociedade contemporânea: notas conceituais da teoria da determinação social do processo saúde-doença. Saúde em Debate [online]. 2018, v. 42, n. spe4, pp. 175-186. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/0103-11042018S414>. Acesso em: 19 fev. 2021.

Downloads

Publicado

2024-05-01 — Atualizado em 2024-05-03

Versões

Como Citar

CHALLOUTS, Caroline Urias; GARCIA, Lucas França; BERNUCI, Marcelo Picinin; SILVA, Tânia Maria Gomes da. Representações sociais da saúde e as relações de trabalho na contemporaneidade:: escuta de trabalhadores da construção civil. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 28, p. 23–72, 2024. DOI: 10.29148/labor.v1i28.72174. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/72174. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.