A educação e a formação do sujeito potencialmente revolucionário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v1i29.85181

Palavras-chave:

Práxis político-educativa. Educação. Formação humana.

Resumo

A presente exposição parte de uma crítica à educação direcionada pelo currículo formal, que por sua vez se apresenta na escola pública como instrumento de ação para manter objetivos que negam a formação humana integral. Nesse sentido em meio ao contexto de crise estrutural do capital emerge a oportunidade de resgatarmos o método dialético desenvolvido por Marx e Engels a fim de verificar a possibilidade de empreender uma crítica a educação institucionalizada pelos moldes capitalistas. Para contextualizar tal problemática cabe destacar a ausência do proletariado na cena revolucionária, dado o esvaziamento no processo crítico-formativo da classe trabalhadora, sobretudo, quanto ao papel da práxis político-educativa para a formação do sujeito potencialmente revolucionário. Partimos do pressuposto da não restrição de luta apenas pela aquisição do patrimônio do saber acumulado, mas por uma compreensão crítica deste, como instigadora do caráter revolucionário de classe. A discussão teórica contempla uma metodologia com base em um estudo de cunho bibliográfico mediada pelas obras de Marx e Engels, bem como de seus intérpretes e estudiosos.

Biografia do Autor

Vanessa Mariano de Castro, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ - UFC

Atuo na área de educação no ensino de Geografia e tenho experiência na área de saúde, trabalho e educação quanto as demandas de educação especial e neuropsicopedagogia, bem como questões sociais, ambientais e da estética. Tenho experiência em caráter acadêmico e empresarial, além de ter desenvolvido projetos e ações exitosas na área de gestão social e ambiental, sobretudo em práticas de Educação Ambiental e tutoria em EAD. Sou estudante do PPGE/UFC.

Justino de Sousa Junior, Universidade Federal do Ceará - UFC

Possui graduação em Letras pela Universidade Estadual do Ceará (1988), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (1994), doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000), Pós-doutorado pelo PPFH-UERJ (2006-2007) e Pós-doutorado pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL, 2018). Atualmente é professor titular da Universidade Federal do Ceará. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Trabalho e Educação com dedicação mais concentrada nos seguintes temas: educação, trabalho, práxis, estado e política educacional. De sua autoria destacam-se os livros: Marx e a crítica da educação - da ascensão liberal-democrática à crise regressivo-destrutiva do capital (Ideias e Letras, 2011), A crise da escola (Editora UFC, 2014), Educação, Cultura e Luta de Classes: Crônicas Brasileiras (Nova Civilização, 2018) e Práxis, ontologia e formação Humana (Lisbon Press, 2021).

Referências

ALTHUSSER, L. Aparelhos ideológicos de estado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983.

ARROYO, M. Currículo, território em disputa. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

ENGELS, F. A origem da família, da propriedade privada e do Estado: em conexão com as pesquisas de Lewis H. Morgan. 1 ed. São Paulo: Boitempo, 2019.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2002.

_________. A teoria da Alienação. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo, 2013. Disponível em: https://gpect.files.wordpress.com/2016/12/ff130318ae9d9b74571de73bdc7d1509.pdf. Acesso em: 10 jan. 2020.

SANTOS, D. Educação e precarização profissionalizante: crítica à integração da escola com o mercado. São Paulo: Instituto Lukács, 2017.

SEN, A. A ideia de justiça. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

SOUSA JUNIOR, J. de. Educação, Cultura e Luta de Classes: Crônicas Brasileiras. Fortaleza: Nova Civilização, 2018.

_________. A crise da escola. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2014.

________. Marx e a crítica da educação: da expansão liberal-democrática à crise regressivo destrutiva do capital. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2010.

_________. O programa marxiano de educação e o fundamento da práxis. In: Revista Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v.7, suplemento, p. 51-66, 2009.

_________. A crítica marxiana da educação em tempos de mundialização do capital e crise da escola. In: Revista Trabalho necessário, ano 2, n. 2, 2004. p. 1-24.

TONET, Ivo. Educação contra o capital. vol 2. Brasil: Terra Sem Amos, 2020.

_________. Educação contra o capital. 3. ed. Maceió: Coletivo Veredas, 2016.

_________. Educação contra o capital. 2. ed. São Paulo: Instituto Lukács, 2012.

Downloads

Publicado

2024-05-12

Como Citar

CASTRO, Vanessa Mariano de; SOUSA JUNIOR, Justino de. A educação e a formação do sujeito potencialmente revolucionário. Revista Labor, [S. l.], v. 1, n. 29, p. 29–43, 2024. DOI: 10.29148/labor.v1i29.85181. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/85181. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.