O RACISMO E A QUESTÃO RACIAL NAS INTERPRETAÇÕES DO BRASIL

  • Quenya Correa de Paula Faculdade de Direito de Vitória - FDV
  • André Filipe Pereira Reid DOS SANTOS Faculdade de Direito de Vitória - FDV
Palavras-chave: Racismo. Democracia Racial. Pobreza. Identidade Nacional

Resumo

O presente estudo visa abordar como, ao longo dos anos, as diferentes concepções intelectuais trataram o fenômeno étnico racial no Brasil. Abordando as três vertentes fundamentais: o racismo cientifico do século XIX, a teoria hegemônica na atualidade que é o mito da democracia racial e a concepção estruturalista da pobreza, a partir do estudo de raça. A população negra no país segue marginalizada e o racismo se apresenta como um dos fatores fundamentais, mas não o único explicativo desta realidade. A tese da democracia racial brasileira manteve escondido o preconceito que contribuiu para que os negros fossem vistos como culpados por suas condições econômicas periféricas.

Biografia do Autor

Quenya Correa de Paula, Faculdade de Direito de Vitória - FDV

Doutoranda em Direitos e Garantias Fundamentais pela Faculdade de Direito de Vitória (FDV). Mestre em Direitos e Garantias Fundamentais pela Faculdade de Direito de Vitória (FDV). Possui especialização em Direito Processual Civil, pela Faculdade de Direito de Vitória (FDV). Graduação em Administração com ênfase em análise de sistemas e Graduação em Direito. Membro do Grupo de Pesquisa "Direito, Sociedade e Cultura". Advogada da sociedade "Guido Pinheiro Côrtes Sociedade de Advogados".

André Filipe Pereira Reid DOS SANTOS, Faculdade de Direito de Vitória - FDV

Doutor em Ciências Humanas pelo Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente é professor/pesquisador do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Direitos e Garantias Fundamentais da Faculdade de Direito de Vitória (FDV), lecionando os seguintes temas no mestrado/doutorado e na graduação: sociologia e antropologia do direito, profissões jurídicas, ensino do direito, desigualdades sociais, acesso à justiça, violência e criminalização, arte-protesto, sociedade de consumo, racismo no Brasil, movimentos sociais e cultura política brasileira.

Referências

ANDREWS, George Reid. América Afro-Latina (1800-2000). Trad. Magda Lopes. São Carlos,SP: EdUFSCar, 2007.

BASTOS, Elide Rugai. Gilberto Freyre e a Questão Nacional em: MORAES, Regianldo, ANTUNES, Ricardo e FERRANTE, Vera. Inteligência Brasileira ed. Brasiliense, 1986.

DAMATTA, Roberto. Carnavais, Malandros e Heróis para uma sociologia do dilema brasileiro ed. Racco: Rio de Janeiro, 1997.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes: o legado da “raça branca”. São Paulo, ed. Globo, 2008.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala: formação da economia brasileira sobre a economia patriarcal. São Paulo: Global, 2003.

GOULD, Stephen Jay. A Falsa Medida do Homem. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 2014.

LEVI-STRAUSS, CLAUDE. Raça e Classe. In: Antropologia Estrutural II Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1976.

LOMBROSO, Cesare. O Homem Delinquente. São Paulo: Ícone, 2013.

OLIVEIRA VIANNA. Populações Meridionais no Brasil. Brasília, Conselho editorial do Senado federal, 2005.

ORTIZ, Renato. Cultura Brasileira e Identidade Nacional. 5º ed. São Paulo: Brasiliense, 2008.

PETRUCELLI, José Luis. Doutrinas francesas e o pensamento racial brasileiro, 1870-1930 Estudos Sociedade e Agricultura, 7, dezembro 1996.

SERAFIM, Jhonata Goulart e AZEREDO, Jeferson Luiz. A (des) criminalização da cultura negra nos Códigos de 1890 e 1940. Em Amicus Curiae V.6, N.6 (2009), 2011.

SANTOS, Joel Rufino dos. O que é Racismo; Coleção Primeiros Passos, ed Brasileiense, 1984.

SOUZA, Jesse. A construção social da subcidadania: para uma sociologia política da modernidade periférica. Belo Horizonte, Editora da UFMG, 2003.

VITA, ALVARO DE. Sociologia da Sociedade Brasileira. São Paulo: Ed. Ática, 2000.

Publicado
2019-09-30
Seção
Artigos