REFLEXOS DA REFORMA TRABALHISTA NA INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO

  • Eloy Pereira Lemos Junior Fundação Universidade de Itaúna - MG
  • Bruno Martins Teixeira Fundação Universidade de Itaúna - MG
Palavras-chave: Reforma trabalhista, Inclusão, Mercado de trabalho, Pessoas com deficiência, Inconstitucionalidade.

Resumo

O presente artigo objetiva analisar as mudanças trazidas pela Reforma Trabalhista (Lei 13.467/2017), bem como os prováveis reflexos da nova norma no processo de inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho, adotando-se como referenciais teóricos os princípios fundamentais constitucionais da valorização social do trabalho e da redução das desigualdades. Utilizando-se do método dedutivo, com estudo bibliográfico e análise documental, conclui-se que a solução para o problema passa primordialmente pelo necessário reconhecimento da inconstitucionalidade de determinados dispositivos da citada lei.

Biografia do Autor

Eloy Pereira Lemos Junior, Fundação Universidade de Itaúna - MG
Doutor em Direito Empresarial pela UFMG, Mestre e Especialista em Direito; Professor Universitário do Mestrado e da Graduação em Direito da Universidade de Itaúna (UIT), da graduação FUPAC; ex-bolsita CAPES e atual do FUNDEP/UFMG; Coordenador do Projeto Cidade Alteridade em Itaúna; e  Advogado.
Bruno Martins Teixeira, Fundação Universidade de Itaúna - MG

Mestrando em Proteção de direitos Fundamentais pela Universidade de Itaúna (Minas Gerais, Brasil). Especialista em Direito do Trabalho e Processual do Trabalho. Advogado. Assistente em Administração do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – CEFET-MG– Campus de Divinópolis (Minas Gerais, Brasil).

Referências

BRASIL. Brasília. Presidência da República. Lei n. 8.213, de 24 de julho de 1991 –. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/leis/L8213cons.htm>. Acesso em 19 jun. 2018.

______. Brasília. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil, de 05 de outubro de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm>. Acesso em 19 jun. 2018.

______. Brasília. Presidência da República. Decreto 6.949, de 25/08/2009. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm.>. Acesso em 19 jun. 2018.

______. Brasília. Presidência da República. Decreto n. 129, de 22 de maio de 1991. Promulga a Convenção n. 159, da Organização Internacional do Trabalho – OIT, sobre Reabilitação Profissional e Emprego de Pessoas Deficientes. Disponível em: . Acesso em 30 jan. 2018.

______. Brasília. Presidência da República. Decreto n. 3.298, de 20 de dezembro de 1999 – Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm.>. Acesso em 22 mar. 2018.

______. Brasília. Presidência da República. Lei 13.146, de 06/07/2015. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm.>. Acesso em 22 mar. 2018.

______. Brasília. Presidência da República. Lei n. 8.112 de 11 de dezembro de 1990 – Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8112cons.htm.>. Acesso em 22 mar. 2018.

______. Brasília. Supremo Tribunal Federal. Decisão de Julgamento na Ação Direta de Inconstitucionalidade n. 5794/DF. Relator: Edson Fachin. Brasília - DF. Publicação em 29/06/2018. Disponível em: <http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?incidente=5288954>. Acesso em: 07 jul. 2018.

______. Brasília. Supremo Tribunal Federal. STF declara constitucionalidade do fim da contribuição sindical obrigatória. Notícia em site. Disponível em http://portal.stf.jus.br/noticias/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=382819>. Acesso em: 08 jul. 2018.

______. Brasília. Tribunal Superior do Trabalho. Recurso de Revista n. RR - 204940-72.2004.5.02.0464, Julgamento 11/10/2016. Publicação 21/10/2015. Relator Ministro Douglas Alencar Rodrigues. 7ª turma. Disponível em: <http://www.tst.jus.br/processos-do-tst.> Acesso em 21 jun. 2018.

______. Brasília. Ministério Público do Trabalho. Decisão do STF sobre contribuição sindical preocupa MPT. Notícia em site. Disponível em: <http://portal.mpt.mp.br/wps/portal/portal_mpt/mpt/sala-imprensa/mpt-noticias/2af9ff31-3be0-4912-90e5-48bf05d046b2>. Acesso em: 08 jul. 2018.

CONJUR – Consultor Jurídico (Site). OIT agora diz que reforma trabalhista respeita convenções internacionais. São Paulo – SP. Publicado em 07/06/2018. Disponível em: <https://www.conjur.com.br/2018-jun-07/oit-volta-atras-reforma-trabalhista-respeita-convencoes>, Acesso em: 14 jun. 2018.

DELGADO, Gabriela Neves. A constitucionalização dos direitos trabalhistas e os reflexos no mercado de trabalho. In: PEREIRA, Flávio Henrique Unes; DIAS, Maria Tereza Fonseca (Org.). Cidadania e inclusão social: estudos em homenagem à Professora Miracy Barbosa de Souza Gustin. Belo Horizonte: Fórum, 2008. p. 145-154.

GOLDSCHMIDT, Rodrigo e PALMA, Darléa Carine. O direito fundamental do deficiente físico ao trabalho digno e sua inclusão no mercado de trabalho. Anais do Seminário Nacional de Dimensões Materiais e Eficaciais dos Direitos Fundamentais – DESCONTINUADO. 17 a 19/08/2011, Chapecó (SC) Disponível em: <http://editora.unoesc.edu.br/index.php/seminarionacionaldedimensoes/article/view/911/0> Acesso em: 25 abr. 2018.

GUGEL, Maria Aparecida. O contrato de trabalho intermitente é incompatível com a reserva de cargos para pessoas com deficiência em empresas com cem ou mais empregados. Disponível em: <http://www.ampid.org.br/v1/wp-content/uploads/2014/09/trabalhoIntermitente_reservaCargosPessoaComDefici%C3%AAncia_MGugel_2017-1.pdf> Acesso em: 06 nov. 2017.

GUGEL, Maria Aparecida. Pessoas com deficiência e o direito ao concurso público. – Reserva de cargos e empregos públicos – Administração pública direta e indireta, 3. ed. Goiânia – GO: Editora da UCG, 2016. Disponível em: <http://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/publicacoes/pessoas-com-deficiencia-e-o-direito-ao-concurso-publico-novo.> Acesso em: 06 nov. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Rio de Janeiro: Boletim estatístico - censo 2010. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2018.

MARTINS, Sérgio Pinto. Direito do Trabalho, 19. ed. São Paulo: Editora Atlas S.A, 2004.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS – ONU. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Aprovada pela Resolução n.217, durante a assembleia-Geral da ONU, em Paris, França, em 10/12/1948. Disponível em:

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT. Convenção 175 – Sobre o trabalho a tempo parcial, aprovada em 26 de janeiro de 2006. Disponível em: <http://www.ilo.org/brasilia/convencoes/WCMS_242712/lang--pt/index.htm.>. Acesso em: 16 jun. 2018.

RECONDO, Felipe. A reforma trabalhista e o poder do Supremo Tribunal Federal. Primeiras ações sobre o tema chegam ao plenário no próximo dia 28 de junho. Brasília – DF, 18 de junho de 2018. Disponível em: <https://www.jota.info/stf/do-supremo/reforma-trabalhista-poder-stf-18062018.> Acesso em: 18 jun. 2018.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE. Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa – 2013. Disponível em: <http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/Anuario%20do%20Trabalho%20Na%20Micro%20e%20Pequena%20Empresa_2013.pdf.>. Acesso em: 21 mar. 2018.

SOUTO MAIOR, Jorge Luiz. Impactos do golpe trabalhista (a Lei n. 13.467/17). Brasília – DF. Publicado em 05/09/2018. Disponível em: <https://www.anamatra.org.br/artigos/25669-impactos-do-golpe-trabalhista-a-lei-n-13-467-17>. Acesso em: 21 jun. 2018.

Publicado
2019-09-30
Seção
Artigos