Memes e narrativas escolares: uma análise sob a perspectiva da atividade mimética em Paul Ricouer

Lilian Bartira Silva, Edgard Patrício

Resumo


Os gêneros textuais emergentes, oriundos da internet, têm adentrado as salas de aula. Este artigo analisa os relatos pessoais de estudantes do 6º ano do ensino fundamental, elaborados como atividade de produção textual para a disciplina de Língua Portuguesa. A atividade teve como elemento de referenciação um meme. As narrativas foram aqui analisadas sob a perspectiva da atividade mimética (prefiguração, configuração e reconfiguração), discutida por Paul Ricoeur (1994). Autores como Motta (2001), Marscuschi (2001) e Recuero (2009) auxiliaram nas discussões. O estudo revelou a eficácia da aprendizagem ao se dialogar atividades escolares com elementos referentes às práticas sociais, cotidianas e contemporâneas dos estudantes.

Palavras-chave


Narrativas escolares; Atividade mimética; Meme

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa (5ª à 8ª série). Brasília, 1998.

HORTA, Natália Botelho. O meme como linguagem da internet: uma perspectiva semiótica. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília, 2015. Disponível em http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/18420/1/2015_NataliaBotelhoHorta.pdf. Acesso em 29 de março de 2017.

MOTTA, Gonzaga. Análise crítica da narrativa. Brasília: Unb, 2013.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa, v. I. Campinas: Papirus, 1994.

MARTIN-BARBERO, J. A comunicação na educação. São Paulo: Contexto, 2014.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2179-9938