INFLUÊNCIAS DA PRECARIZAÇÃO NA QUALIDADE JORNALÍSTICA: Construção de uma matriz de indicadores

  • Janara Nicoletti Universidade Federal de Santa Catarina
  • Jacques Mick Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Qualidade jornalística, precarização social do trabalho, processos e rotinas produtivas, sociologia do jornalismo

Resumo

Este artigo propõe uma matriz de indicadores para analisar a relação entre a precarização das condições de trabalho dos jornalistas e seus reflexos na qualidade da informação veiculada para a sociedade. A construção das categorias de análise e indicadores baseia-se na bibliografia internacional sobre precarização, condições de trabalho dos jornalistas, qualidade jornalística e qualidade do trabalho (job quality). Ela foi desenvolvida como parte dos instrumentos de pesquisa da tese em desenvolvimento intitulada “Condições de trabalho dos jornalistas brasileiros: impactos sobre a qualidade da informação”.

Biografia do Autor

Janara Nicoletti, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre em Jornalismo e doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina, bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - Demanda Social (DS) e Doutorado-sanduíche no Exterior (PDSE), período abril-julho 2018.

Jacques Mick, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Sociologia Política, professor dos Programas de Pós-Graduação em Jornalismo e em Sociologia Política da Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

ACCARDO, Alain. Journalistes au quotidien: essais de socioanalyse des pratiques journalistiques. Bordeaux: Le Mascaret, 1995.

ADGHIRNI, Zélia Leal. O jornalista: do mito ao mercado. Florianópolis: Insular, 2017.

ALVES, Giovanni. Dimensões da precarização do trabalho: ensaios de Sociologia do Trabalho. Bauru: Canal 6 Editora, 2013.

ANDERSON, C. W.; BELL, Emily; SHIRKY,Clay. Jornalismo Pós-Industrial: adaptação aos novos tempos. Revista de Jornalismo ESPM, abril - junho, p. 30 - 89, 2013.

ANDERSON, Peter J. Defining and measuring quality news journalism. In.: ANDERSON, Peter J.; OGOLA, George; WILLIAMS, Michael. The future of quality news journalism: a cross-continental analysis. New York: Routledge, 2014, p. 35-51.

ANTUNES, Ricardo. O caracol e sua concha: ensaios sobre a nova morfologia do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2015.

BOGART, Leo. Reflections on content quality in newspapers. Newspaper Research Journal, v.1, n.1, p. 40-53, 2004.

CERQUEIRA, Luiz augusto Egypto. Qualidade jornalística: ensaio para uma matriz de indicadores. Unesco: Representação do Brasil, Brasília, 2010.

COELHO, José Manuel de Pablos; MARTÍN, Concha Mateos. Estrategias informativas para acceder a un periodismo de calidad, en prensa y TV: patologías y tabla de ‘medicación’ para recuperar la calidad en la prensa. Ámbitos, n. 111-12, p.341-365, 2004.

CLARK, Andrew E. What makes a good job? Job quality and job satisfaction. In.: IZA World of Labor, Institute for the Study of Labor (IZA), Bonn, 2015. DOI.: http://dx.doi.org/10.15185/izawo.

DRUCK, Graça. Trabalho, precarização e resistências: novos e velhos desafios? Caderno CRH. Salvador, v. 24, n. 01, p. 37-57, 2011.

DUBET, François. Injustiças: a experiência das desigualdades no trabalho. Florianópolis: Editora UFSC, 2014.

EUROFOUND. Working conditions and job quality: Comparing sectors in Europe. Dublin, 2014.

____________. Trends in job quality in Europe. Luxemburg: Publications Office of the European Union, 2012.

FIGARO, Roseli, NONATO, Claudia, GROHMANN, Rafael. As mudanças no mundo do trabalho dos jornalistas. São Paulo: SALTA/ATLAS, 2013.

GARCIA, José Luís (Org.). Estudos sobre os jornalistas portugueses. Metamorfoses e encruzilhadas no limiar do século XXI. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2009.

HANUSCH, FOLKER; HANITZSCH, Thomas. Comparing journalistic cultures across nations. Journalism Studies, v. 18, n. 5, p. 525–535, 2017 DOI: http://dx.doi.org/10.1080/1461670X.2017.1280229.

HARVEY, David. A condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Loyola, 1992.

HELOANI, José Roberto. Mudanças no mundo do trabalho e impactos na qualidade de vida do jornalista. Relatório de pesquisa nº 12/2003. EAESP/FGV/NPP: São Paulo, 2003.

LACY, Stephen; ROSENSTIEL, Tom. Defining and Measuring Quality Journalism. New Brunswick: Rutgers, 2015.

LITMAN, Barry R.; BRIDGES, Janet. An economic analysis of daily newspaper performance. Newspaper Research Journal, v. 7, n. 3, p. 9-26, 1986.

MARINHO, Sandra Cristina dos Santos Monteiro. Formação em Jornalismo numa sociedade

em mudança - modelos, percepções e práticas na análise do caso português. Tese de Doutoramento em Ciências da Comunicação Especialidade de Estudos de Jornalismo, Instituto de Ciências Sociais, Universidade do Minho, Portugal, 2011.

MIRANDA, João. Dossiê. A corrosão do trabalho: precariedade, flexibilidade, reprodução de desigualdades. Le Monde Diplomatique - edição portuguesa, janeiro de 2017.

MELLADO, Claudia et al. Journalistic performance in Latin America: a comparative study of professional roles in news content. Sage Journals. v. 18 n. 19, 2017, p. 1087-1106. DOI: 10.1177/1464884916657509.

MÉSZÁROS, István. A crise estrutural do capital. 2.ed. São paulo: Boitempo, 2011b.

MEYER, Philip; KIM, Koang-Hyub. Quantifying Newspaper Quality: “I Know It When I See It”. In.: Atas do Newspaper Division, Association for Education in Journalism and Mass Communication, Kansas, 30 de julho de 2003.

MICK, Jacques; LIMA, Samuel. Perfil do jornalista brasileiro: características demográficas, políticas e do trabalho jornalístico em 2012. Florianópolis: Insular, 2013.

MOREIRA, Sônia V. Country Report: Journalists in Brazil State University of Rio de Janeiro. In.: HANITZSCH, T.; HANUSCH, F. et al. The Worlds of Journalism Study, p. 1 - 4, 2017. Disponível em: www.worldsofjournalism.org

NEVEU, Erik. As notícias sem jornalistas uma ameaça real ou uma história de terror? [dossiê] Brazilian Journalism Research, [S.I.], v. 6, n. 1, 2010. (Não paginado)

ÖRNEBRING, Henrik. Journalists thinking about precarity: Making sense of the “new normal”. In.: Anais ISOJ, 2018, [s.p.]. Disponível em: http://isoj.org/research/journalists-thinking-about-precarity-making-sense-of-the-new-normal/

________________. Newsworkers: a comparative European perspective. New York: Bloomsbury Academic, 2016.

PICARD, Robert G. Measuring and interpreting productivity of journalists. Newspaper Research Journal, v. 19, n. 4, p. 71-84, 1998.

__________________. Measuring quality by journalistic activity. In.: PICARD, Robert (Org.). Measuring media content, quality, and diversity: approaches and issues in content research. Turku: Kirjapaino Grafia Oy, p. 97-101, 2000.

ROTHBERG, Danilo. Jornalistas e suas visões sobre qualidade: teoria e pesquisa no

contexto dos 'indicadores de desenvolvimento da mídia' da Unesco. Unesco: Representação do Brasil, Brasília, 2010.

SCHUDSON, Michael. Discovering the news: a social history of American newspapers. New York: Basic Books, 1981.

SENNET, Richard. A corrosão do caráter: As conseqüências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 2015.

STANDING, Guy. O precariado: a nova classe perigosa. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

THIBES, André; NICOLETTI, Janara. Evolução salarial dos jornalistas de 2005 a 2015: Indicativos de precarização do trabalho. In: Anais do 15º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo – SBPJOR. São Paulo: ECA/USP, 2017.

WEAVER, David H. WILLNAT, Lars. The Global journalist in the 21st Century. ROUTLEDGE: New York, 2012.

WEAVER, David H; WILLNAT, Lars. The American Journalist in the digital Age: key findings. School of Journalism, Indiana University: Indiana, 2014. Disponível em: https://goo.gl/LvHcQj.

WEISCHEINBERG, Siegried. MALIK, Maja. SCHOLL, Armin. Journalism in Germany in the 21st Century. In.: WEAVER, David H. WILLNAT, Lars. The Global journalist in the 21st Century. ROUTLEDGE: New York, 2012.

Publicado
2018-12-03
Como Citar
Nicoletti, J., & Mick, J. (2018). INFLUÊNCIAS DA PRECARIZAÇÃO NA QUALIDADE JORNALÍSTICA: Construção de uma matriz de indicadores. Passagens, 9(1), 127-141. Recuperado de http://www.periodicos.ufc.br/passagens/article/view/39734
Seção
Dossiê Praxisjor