A mulher enquanto signo na arte de rua produzida nos territórios palestinos ocupados

  • Vitoria Paschoal Baldin Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Resumo

 Este trabalho analisará a forma pela qual as mulheres são mobilizadas enquanto signo nos grafites produzidos nas regiões de Gaza e Cisjordânia. Para tanto, faremos uma breve apresentação dos movimentos femininos na região, objetivando compreender a construção social da imagem da mulher. Na sequência, discutimos brevemente como esse tema tem sido abordado nas bibliografias levantadas para esse estudo. Ao adentrarmos na análise das produções, focaremos na forma pela qual as mulheres são representadas nesses panoramas e as formas pelas quais essas imagens carregam significações simbólicas dos imaginários dessa população.

Biografia do Autor

Vitoria Paschoal Baldin, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

A graduanda em História da Arte desenvolve pesquisa de Iniciação Cientifica orientada pelo Prof. Dr. Youssef Alvarenga Cherem com bolsa cedida pela PIBIC-CNPq. Esse trabalho objetiva analisar os grafites produzidos nas duas primeiras décadas do século XXI (2000-2020) nas regiões da Faixa de Gaza e da Cisjordânia, articulando-os com outras expressões de arte de rua produzidas em outras localidades da região. Dessa forma, argumenta-se que o grafite produzido em Gaza e na Cisjordânia são parte de um sistema comunicativo e estético amplo, articulando tradições locais, demandas sociopolíticas das populações locais e os repertórios internacionais ali mobilizados.

Publicado
2022-02-16
Como Citar
Baldin, V. P. (2022). A mulher enquanto signo na arte de rua produzida nos territórios palestinos ocupados. Passagens, 12(2), 143-170. Recuperado de http://www.periodicos.ufc.br/passagens/article/view/70465
Seção
Dossiê Semiótica e Culturas da Comunicação