Revista de Psicologia v.5, n.2 (2014)

  • Aluísio Ferreira de Lima Universidade Federal do Ceará / Professor

Resumo

A edição especial do segundo número de 2014 da Revista de Psicologia da UFC tem como tema escolhido a Psicologia Social, área que tem ocupado um privilegiado espaço acadêmico e profissional e se caracteriza por incluir e desenvolver uma multiplicidade de referenciais teórico-metodológicos e dispositivos de intervenção. Essa especificidade possibilita a produção de conhecimento multidisciplinar, favorece sua inclusão em equipes compostas por diversos campos de atuação e intervenção, produzindo um emaranhado de saberes e fazeres que se renovam, reconfiguram e reinterpretam constantemente o que se convencionou chamar de construção social da realidade.
Para esse número contamos com esses diferentes saberes, fazeres e análises, enviadas por pesquisadores(as) de diferentes instituições e regiões do Brasil. Os trabalhos representam a confiança, a expansão e a consolidação da Revista de Psicologia da UFC, oferecendo aos leitores uma diversidade de temas e discussões que certamente serão bem recebidas.
Os três primeiros artigos escritos por Soraia Ansara “Memória política e Direitos Humanos: resistência de mulheres-mães de adolescentes em medidas socioeducativas”; Cristiano Neves da Rosa e Nadir Lara Junior “Outras formas de controle nas periferias do Brasil: a paz social”; e Camila Moreira Maia e Idilva Maria Pires Germano “Economia solidária e o novo espírito do capitalismo: uma análise do discurso dos trabalhadores do assentamento coqueirinho”, analisam os processos de marginalização e de violação de direitos humanos de grupos minoritários (mulheres, jovens, pessoas com deficiência, homossexuais e negros), assim como assinalam as estratégias de controle direcionadas às favelas/periferias e discursos de trabalhadores de empreendimentos solidários, identificando se os mesmos se apresentam como uma alternativa a lógica de produção capitalista.
O dois artigos seguintes discutem o campo da Saúde Mental e tratam, cada um partindo de uma metodologia distinta, o potencial terapêutico de dois dispositivos de cuidado; Maria Stella Brandão Goulart apresenta uma pesquisa acerca de um hospital psiquiátrico mineiro, na cidade de Belo Horizonte (MG), que articula o campo da História da Psicologia e da Psicologia Social e discute as limitações do uso dos espaços asilares “Comunidades Terapêuticas: conceito e prática de uma experiência dos anos sessenta”; Raquel Malheiros Teixeira e Vladia Jamile dos Santos Jucá, por sua vez, apresentam no texto “Caracterização dos usuários de um centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil do município de Salvador (BA)” o perfil dos pacientes diagnosticados com Transtorno Global do Desenvolvimento atendidos em um CAPSi do Município de Salvador (BA) e assinalando os limites e potencialidades dessa instituição.
O estudo de caso “O papel do grupo na relação entre mediação e construção do conhecimento” é a contribuição de Janailson Monteiro Clarindo e Veriana de Fátima Rodrigues Colaço e analisa o papel do grupo como ferramenta cultural no processo de construção do conhecimento histórico, tendo por base a Psicologia Histórico-Cultural.
Em seguida são apresentadas a reflexão sobre os conceitos de crise e situação-limite realizada por Lucian Borges de Oliveira, Ana Paula Gomes Moreira e Raquel Souza Lobo Guzzo no trabalho “Ampliando o conceito de situação-limite de Martín-Baró: diálogos com o conceito de crise” e o artigo de Emanuel Messias Aguiar de Castro e Aluísio Ferreira de Lima
intitulado “O freudismo e a escola de frankfurt: ensaio sobre a relação entre metapsicologia e Teoria Crítica” que discute a relação entre a Teoria Crítica da Escola de Frankfurt com a Psicanálise de Sigmund Freud.
Os últimos quatro artigos discutem a questão da identidade como temática comum e foram organizados em forma de Dossiê, inaugurando uma nova modalidade da revista. O primeiro deles “Identidade sob a perspectiva da Psicologia Social Crítica: revisitando os caminhos da edificação de uma teoria” de autoria de Sheila Ferreira Miranda, revisita os caminhos tomados por Antonio da Costa Ciampa, partindo da leitura de sua Tese de Doutorado em direção à construção teórica do sintagma identidade-metamorfose-emancipação, assinalando os principais elementos conceituais e o delineamento epistemológico desse autor. O segundo artigo é uma contribuição de Sérgio Silva Dantas e Antonio da Costa Ciampa e tem como título “Projeto de vida e identidade política: um caminho para a emancipação”. No terceiro artigo “Violência contra a mulher: análise da identidade de mulheres que sofrem violência doméstica” de Carolina Barbosa Vigário e Fernando César Paulino-Pereira é apresentada a análise da identidade de mulheres na relação de violência com seus parceiros, identificando valores e processos identitários nas circunstâncias e dinâmicas cotidianas dos atores envolvidos. Finalmente, Simone Jörg oferece-nos como contribuição seu artigo “Clínica da identidade: um estudo sobre o sofrimento psicossocial coletivo” onde apresenta sua análise do sentido emancipatório da identidade dos moradores da primeira Vila-Ferroviária do estado de São Paulo, a Vila de Paranapiacaba, no município de Santo André.
Para concluir, gostaríamos de desejar boa leitura e agradecer aos colaboradores deste número especial. Do mesmo modo, aproveitamos para manifestarmos, nossa gratidão e reconhecimento ao trabalho que tem sido realizado, sempre que necessário, por nosso Conselho Editorial, além da colaboração dos bolsistas da revista, orientandos de iniciação científica e mestrado.
Aluísio Ferreira de Lima
Editor convidado da Revista de Psicologia da UFC

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aluísio Ferreira de Lima, Universidade Federal do Ceará / Professor
Departamento de Psicologia / Centro de Humanidades
Publicado
2015-12-19
Como Citar
de Lima, A. F. (2015). Revista de Psicologia v.5, n.2 (2014). Revista De Psicologia, 5(2). Recuperado de http://www.periodicos.ufc.br/psicologiaufc/article/view/1463
Seção
Capa, Editorial e Sumário