Negritude como foco para intervenções artísticas e terapêuticas

  • Manoel Nogueira Maia Neto Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Susana Kramer de Mesquita Oliveira

Resumo

Este texto parte da experiência do projeto L’ABRI no Bosque: Intervenções Artísticas”, associado ao Laboratório de Relações Interpessoais (L’ABRI), do curso de Psicologia da Universidade Federal do Ceará (UFC). No semestre 2017.1, o projeto guiou-se pela temática “Negritude e Protagonismo Negro”, promovendo atividades, como: rodas de conversa, cinedebates e oficinas na universidade. O planejamento das ações seguiu a Matriz de Identidade, conceito-chave do Psicodrama de Moreno, que discute o processo relacional de construção da identidade através do reconhecimento de si próprio como protagonista, do outro também como protagonista e da interação de complementaridade entre estes – condição essencial para a saúde do sujeito. As intervenções artísticas permitiram registro das falas espontâneas dos participantes, observando-se a recorrência dos seguintes conjuntos temáticos: “infância, racismo e reconhecimento da negritude”, “universidade, pertencimento e empoderamento” e “afetividade e solidão da pessoa negra”. Baseando nisso, foram propiciados momentos para a realização de atos psicodramáticos à população negra da UFC, em 2017.2, por meio da intervenção psicodramática de aquecimento (pré-dramatização), dramatização (produção de contato com consigo para criativamente elaborar novas atitudes) e compartilhamento grupal. Nesse trabalho, objetiva-se apresentar o modelo do Psicodrama utilizado no planejamento e execução das ações e discutir a experiência dos participantes, relacionando os elementos teóricos e vivenciais para a compreensão da saúde mental da população negra. O alcance do projeto pode ser percebido em todas as fases do projeto a partir dos ricos depoimentos apresentados, e em especial nos atos psicodramáticos, quando os protagonistas puderam (re)configurar suas percepções acerca de suas experiências e relações.

Biografia do Autor

Manoel Nogueira Maia Neto, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Acadêmico negro do Departamento de Psicologia da UFC e ex-bolsista do Laboratório de Relações Interpessoais (L'ABRI).
Susana Kramer de Mesquita Oliveira
docente do Departamento de Psicologia da UFC e coordenadora do Laboratório de Relações Interpessoais (L'ABRI).

Referências

BUBER, M.; ZUBEN, N. A. Eu e tu. São Paulo, 1995.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA (CFP). Racismo e Saúde Mental: Carta aos gestores e participantes do Encontro Nacional da Rede de Atenção Psicossocial, Curitiba, 2013. Disponível em: <http://www.crpsp.org.br/portal/comunicacao/diversos/cd-saude-mental/racismo-e-saúde-mental/racismo-e-saude-mental.pdf>.

FONSECA FILHO, J. Psicodrama da Loucura. São Paulo: Ágora, 1980.

FONSECA FILHO, J. Psicoterapia da Relação: elementos de Psicodrama contemporâneo. São Paulo: Ágora, 2000.

FOX, J. O essencial de Moreno: textos sobre psicodrama, terapia de grupo e espontaneidade. São Paulo: Ágora, 2002.

MALAQUIAS, M. C.; NONOYA, D. S.; CESARINO, A. C.; NERY, M. P. Psicodrama e relações raciais. Revista Brasileira de Psicodrama, 2016, v. 24, n. 2, p. 91-100.

ROJAS-BERMUDEZ, J. Introdução ao Psicodrama. São Paulo: Ágora, 2016.

MORENO, J. L. Fundamentos do Psicodrama. São Paulo: Summus Editorial, 1983.

MORENO, J. L. Quem sobreviverá? Fundamentos da Sociometria, Psicoterapia de Grupo e Sociodrama. V.2, Goiânia: Dimensão Editora, 1994.

SCHUCMAN, L. V. Racismo e antirracismo: a categoria raça em questão. Revista Psicologia e Política, 2010, vol. 10, n. 19, p. 41-55. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2010000100005&lng=pt&nrm=iso>. ISSN 1519-549X.

Publicado
2019-07-01
Como Citar
Maia Neto, M. N., & Oliveira, S. K. de M. (2019). Negritude como foco para intervenções artísticas e terapêuticas. Revista De Psicologia, 10(2), 16 - 21. Recuperado de http://www.periodicos.ufc.br/psicologiaufc/article/view/31534