Produção de subjetividade de mulheres policiais de um batalhão da polícia militar do Paraná / Production of subjectivity of police women from a battle of the military police of Paraná

Resumo

Neste artigo fazemos o delineamento e problematização da produção de subjetividade de mulheres policiais militares a partir de suas experiências no cotidiano de trabalho de um Batalhão da Polícia Militar do estado do Paraná (PMPR). Como sustentação teórica de nossas discussões, resgatamos alguns pressupostos de Michel Foucault, tais como subjetividade, disciplina e práticas discursivas. Para tal, a pesquisa contou com a participação de seis policiais atuantes, através de entrevistas. Desta forma, investigamos qual a relação das experiências como policiais dessas mulheres, com a forma com que as mesmas se produzem enquanto sujeitos em uma instituição tida historicamente como masculina. A partir da análise realizada, desenvolvemos uma categoria denominada “relações de cuidado com o outro”. Consideramos que características consideradas como masculinas perpassam diretamente as produções de subjetividades de mulheres policiais que têm suas vivências nesse contexto institucional atravessadas por discursos e práticas alicerçadas em um binarismo de gênero que sustenta um ideal de feminino, ao mesmo tempo, em que reforça um ideal de masculinidade referencial. Compreendemos que há a necessidade de um aprofundamento em algumas perspectivas no que diz respeito às pesquisas em Psicologia no campo da Polícia Militar, como as relações de gênero, por exemplo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Cecilia Grisoski, Mestranda em Psicologia pela Universidade Estadual de Londrina

Graduada em Psicologia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro), Campus Irati (2017), atualamente é mestrada pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Eneida Santiago , Universidade Estadual de Londrina - UEL

Psicóloga (Unesp - Assis), Mestre em Psicologia e Sociedade e Doutora em Saúde Coletiva (Unesp-Assis). Atualmente é Professora Adjunta da Universidade Estadual de Londrina (UEL) no Departamento de Psicologia Social e Institucional e Docente do Programa de Pós Graduação Stricto Sensu em Psicologia (PPGPSI-UEL), além de ser Avaliadora Institucional do Ministério da Educação (MEC). Tem desenvolvido pesquisas na área de Psicologia, Processos de Trabalho e Saúde Coletiva, com ênfase em Saúde Mental e Coletiva, Sistema Prisional, Psicologia e Políticas Públicas, Saúde e Processos de Subjetivação, atuando principalmente nos seguintes temas: antropologia e psicologia, políticas públicas e gestão da vida, sistema prisional, instituições totais e processos de subjetivação. contato: esantiago@uel.br

Referências

Araújo, T.S. (2017). Mulheres em fardas policiais militares no Rio de Janeiro. Rev. bras. segur. Pública. 11(1), 74-96. Recuperado de http://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/view/781

Barros, A. M. (2008). Cidadania, relações de gênero e relações de trabalho. Rev. Trib. Reg. Trab, 47(77), 67-83. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9584-2018v26n347164

Beauvoir, S. (2014). O segundo sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Bezerra, C. M., Minayo, M. C. S., & Constantino, P. (2013). Estresse ocupacional em mulheres policiais. Ciência & Saúde Coletiva, 18(3), 657-666. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000300011

Bordo, S. R. (1997). O corpo e a reprodução da feminidade: uma apropriação feminista de Foucault. In A. M. Jaggar, & S. R. Bordo (Org.), Gênero, corpo, conhecimento (pp. 19-41). Rio de Janeiro: Record: Rosa dos Tempos.

Brêtas, M. L., & Rosemberg, A. (2013). A história da polícia no Brasil: balanço e perspectivas. Topoi, 14(26), 162-173. doi: http://dx.doi.org/10.1590/2237-101x014026011

Butler, J. (2019). Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Calazans, M. E. (2004). Mulheres no policiamento ostensivo e a perspectiva de uma segurança cidadã. São Paulo em perspectiva, 18(1), 142-150. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-88392004000100017

Cappelle, M. C. A., & Melo, M. C. D. O. L. (2012). Mulheres policiais, relações de poder e de gênero na Polícia Militar de Minas Gerais. RAM. Revista de Administração Mackenzie, 11(3), 71-99. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1678-69712010000300006

Fischer, R. M. B. (2001). Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, 114, 1997-223. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742001000300009

Foucault, M. (2004). Vigiar e Punir: o nascimento da prisão. Petrópolis: Editora Vozes.

Foucault, M. (2008). Microfísica do poder. São Paulo: Editora Paz e Terra

Foucault, M. (2013). A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, M. (2014). A Ordem do Discurso. São Paulo: Edições Loyola:

Foucault, M. (2017a). História da sexualidade: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz & Terra.

Foucault, M. (2017b). História da sexualidade: o cuidado de si. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz & Terra.

Giacomoni, M. P., & Vargas, A. Z. (2010). Foucault, a arqueologia do saber e a formação discursiva. Veredas on line, 2, 119-129. Recuperado de http://www.ufjf.br/revistaveredas/files/2010/04/artigo-09.pdf

Küchemann, B. A., Bandeira, L. M., & Almeida, T. M. C. (2015). A categoria gênero nas ciências sociais e sua interdisciplinaridade. Revista Do CEAM, 3(1), 63-81. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/revistadoceam/article/view/10046

Lei Estadual nº 12. 975, de 17 de novembro de 2000. Dispõe sobre a extinção do Quadro de Oficiais Policiais Militares Femininas (QOPM Fem), a Qualificação de Praças Especiais Femininas e a Qualificação de Praças Policiais Militares Femininas (Praças PM Fem). Recuperado de https://www.legislacao.pr.gov.br/legislacao/listarAtosAno.do?action=exibir&codAto=2269&codItemAto=15559#15559

Lei Estadual nº 14.804, de 20 de julho de 2005. Altera o § 2º e acresce §§ 3º, 4º e 5º ao art. 1º, da Lei nº 12.975, de 17 de novembro de 2000. Recuperado de https://www.legislacao.pr.gov.br/legislacao/listarAtosAno.do?action=exibir&codAto=2791&codItemAto=18974

Minayo, M. C. S., Souza, E. R., & Constantino, P. (2008). Missão prevenir e proteger: condições de vida, trabalho e saúde dos policiais militares do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.

Moreira, R. (2016). Entre o mito e modernidade: a entrada de mulheres na Polícia Militar do Paraná. Guarapuava: Editora UNICENTRO.

Nardi, H. C. (2006). Ética, Trabalho e Subjetividade. Porto Alegre: Editora UFRGS.

Nogueira, C. (2001). Feminismo e discurso do gênero na psicologia social. Psicologia & Sociedade, 13(1), 107-128. Recuperado de http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/4117

Petersen, M. (2011, novembro). O cuidado de si e do outro. Anais do Congresso Nacional de Educação, Curitiba, PR, Brasil, 10. Recuperado de https://educere.bruc.com.br/cd2011/pdf/5898_3584.pdf

Ribeiro, L. (2017). Polícia Militar é lugar de mulher? Revista Estudos Feministas, 26(1), 01-15. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9584.2018v26n143413

Schactae, A. M. (2015). A ordem e a margem: comportamento disciplinar para Polícia Feminina no Paraná (1977-2000). Revista Tempo, 21(37), 01-21. doi: http://dx.doi.org/10.1590/tem-1980-542x2015v213707

Silva, I. J., Oliveira, M. F. V., Silva, S. E. D., Polaro, S. H. I., Radünz, V., Santos, E. K. A., & Santana, M. E. (2008). Cuidado, autocuidado e cuidado de si: uma compreensão paradigmática para o cuidado de enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 43(3), 697-703. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342009000300028

Vinuto, J. (2016). A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, 22(44), 203-220. Recuperado de https://www.semanticscholar.org/paper/A-AMOSTRAGEM-EM-BOLA-DE-NEVE-NA-PESQUISA-UM-DEBATE-Vinuto/cd8e3ecb215bf9ea6468624149a343f8a1fa8456

Zanello, V. (2018). Saúde mental, gênero e dispositivo: cultura e processos de subjetivação. Curitiba: Appris.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Grisoski, D. C., & Santiago , E. (2020). Produção de subjetividade de mulheres policiais de um batalhão da polícia militar do Paraná / Production of subjectivity of police women from a battle of the military police of Paraná. Revista De Psicologia, 12(1), 99 - 111. https://doi.org/10.36517/revpsiufc.12.1.2021.8