Plantão psicológico: ampliando possibilidades de escuta

  • Jurema Barros Dantas Universidade Federal do Ceará
  • Adryssa Bringel Dutra Universidade Federal do Ceará
  • Aline Cajado Alves Universidade Federal do Ceará
  • Gabriela Gomes Freitas Benigno Universidade Federal do Ceará
  • Liliana de Sousa Brito Universidade Federal do Ceará
  • Renata Eudócia Melo Barreto Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Plantão Psicológico, sofrimento, acolhimento, saúde.

Resumo

O Plantão Psicológico, enquanto uma modalidade clínica contemporânea que se caracteriza por realizar atendimentos psicoterapêuticos de caráter emergencial destinados à comunidade que a ele recorre espontaneamente, sem a necessidade de agendamento prévio, foi reimplantado em meados de 2015 na Clínica Escola da UFC. Servindo como espaço de acolhimento e de informação e auxiliando as pessoas a terem uma maior autonomia emocional, o Plantão Psicológico vem sendo realizado por estagiários e extensionistas, desenvolvendo e consolidando a partir da sedimentação desta modalidade clínica, o caráter necessariamente transdisciplinar da Clínica Escola. O projeto de extensão do Plantão Psicológico prioriza a qualificação da formação dos discentes do curso de Psicologia com a vivência de diferentes experiências frente às demandas variadas; o fortalecimento de parcerias com instituições de saúde do Estado e, sobretudo, a otimização da fila de espera da Clínica Escola, promovendo atendimento imediato e de qualidade. Acredita-se que o Plantão consolida o ensino, a pesquisa e a extensão no âmbito da universidade, estabelecendo diálogo e intervenção efetiva junto à comunidade em geral. Trata-se do processo de ampliação das possibilidades de escuta clínica que, gradativamente, vem tornando o Plantão Psicológico da Clínica Escola da UFC uma referência no Estado do Ceará.

Biografia do Autor

Jurema Barros Dantas, Universidade Federal do Ceará
Professora Adjunta do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Ceará. Coordenadora do Laboratório de Estudos em Psicoterapia,
Fenomenologia e Sociedade da UFC (LAPFES).
Adryssa Bringel Dutra, Universidade Federal do Ceará
Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Membro do Laboratório de Estudos em Psicoterapia, Fenomenologia e Sociedade
–LAPFES.
Aline Cajado Alves, Universidade Federal do Ceará
Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Membro do Laboratório de Estudos em Psicoterapia, Fenomenologia e Sociedade
–LAPFES.
Gabriela Gomes Freitas Benigno, Universidade Federal do Ceará
Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Membro do Laboratório de Estudos em Psicoterapia, Fenomenologia e Sociedade
–LAPFES.
Liliana de Sousa Brito, Universidade Federal do Ceará
Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Membro do Laboratório de Estudos em Psicoterapia, Fenomenologia e Sociedade
–LAPFES.
Renata Eudócia Melo Barreto, Universidade Federal do Ceará
Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Membro do Laboratório de Estudos em Psicoterapia, Fenomenologia e Sociedade
–LAPFES.
Publicado
2016-07-30
Como Citar
Dantas, J. B., Dutra, A. B., Alves, A. C., Benigno, G. G. F., Brito, L. de S., & Barreto, R. E. M. (2016). Plantão psicológico: ampliando possibilidades de escuta. Revista De Psicologia, 7(1), 232-241. Recuperado de http://www.periodicos.ufc.br/psicologiaufc/article/view/5597
Seção
Relatos de Experiência