A Arte na formação do psicólogo: dispositivo de escuta ao sofrimento dos estudantes / The Arts in the psychologist’s education: a listening device to the suffering of students

Resumo

A presença de sofrimento psíquico em alunos do curso de psicologia nos levou à elaboração de um dispositivo de acolhimento a esses estudantes, de inspiração psicanalítica, cujo método foi a intervenção grupal mediada por recursos artísticos diversos. Foram realizados quatro encontros em espaços além da sala de aula. Os resultados da intervenção revelaram que o uso de objetos estéticos e culturais (objetos transformacionais) em contexto grupal contribuiu para a restituição da palavra como meio de ancoragem simbólica de angústias, abrindo um campo fecundo capaz de restituir  criatividade e poesia à vida dos estudantes.

Palavras-chaves: Arte; psicanálise; sofrimento psíquico; formação do psicólogo.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de Fátima Pessoa de Assis, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Psicóloga, Doutora em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista, UNESP. Atualmente é professora Adjunto-I, da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Alexandre Ribeiro Aquino, UFG/Universidade Federal de Goiás

Psicólogo, Bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Goiás. Mestre pelo do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Referências

Agamben, G. (2009). O que é o contemporâneo e outros ensaios. Chapecó: Argos.

Barreto, R.A. & Santana, J.P.C. (2015). A arte de grupos de discussão sobre hospitalização. Revista Estudos Psicanalíticos. 43(43), 145-151.

Biazus, C.B. & Cezne, G.O. (2010). Expressões do inacabado: encontros entre psicanálise e arte. Psicanálise & Barroco em Revista. 8(2), 49-73.

Bion, W.R. (1994). Estudos psicanalíticos revisados. Rio de Janeiro: Imago.

Birman, J. (2012). O sujeito na contemporaneidade: Espaço, dor e desalento na atualidade. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira.

Borges, S. (2015). A função profanatória da Psicanálise e da Arte. Revista Percurso – NEMO. 7(1), 171-185.

Han, B. C. (2015). Sociedade do cansaço. Petrópolis: Vozes.

Debord, G. (2007). Sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto.

Fédida, P. (2002). Dos benefícios da depressão: elogio da psicoterapia.

Figueiredo, L.C. (2014). Cuidado, saúde e cultura. São Paulo: Escuta.

Frayze-Pereira, J.A. (2011). Uma poética – psicanalítica: Christopher Bollas e a questão da experiência estética. São Paulo: Revista Ide. 34(53), 181-198.

Freud, S. (1908/2017). O poeta e o fantasiar. In: FREUD, S. Arte, literatura e os artistas. Belo Horizonte: Autêntica.

Freud, S. (2013). Observações sobre um caso de neurose obsessiva (“O homem dos ratos”, 1909). In S. Freud. Observações sobre um caso de neurose obsessiva [“O homem dos ratos”], uma recordação de infância de Leonardo da Vinci e outros textos (1909-1910) (Vol. 9, pp. 13-112). São Paulo: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1909)

Freud, S. (2014). A questão da análise leiga: diálogo com um interlocutor imparcial. In S. Freud. Inibição, sintoma e angústia e outros textos (1926-1929) (Vol. 17, pp. 124-230). São Paulo: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1926)

Giddens, A. (1991). As consequências da modernidade. São Paulo: Editora Unesp.

Klein, M. (1989). Inveja e gratidão. Rio de Janeiro: Imago.

Lacan, J. (2010). O Seminário. Livro 2: o Eu na teoria de Freud e na técnica da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar.

Lamanno-Adamo, V. (2017). Vivendo na fronteira: Psicanálise e arte. Curitiba: Appris.

Nosek, L. (2017). Dentro da psicanálise, dentro da cultura. Revista Brasileira de Psicanálise: Febrapsi, 50 anos. (Número comemorativo), 69-86.

Poli, M. C. & Faissol, K.R. (2015). Adolescer com arte (e psicanálise): projetos escolares. Revista Educação e Realidade, 41(3), 833-851.

Rivera, T. (2016). Ensaio sobre arte e testemunho: Rodrigo Braga e a invenção da experiência. Psicologia USP. 27(1), 41-48.

Safra, G. (2005). A face estética do self: teoria e clínica. São Paulo: Unimarco.

Türcke, C. (2010). Sociedade excitada – filosofia da sensação. Campinas, editora Unicamp.

Winnicott, D.W. (2010). O ambiente e os processos de maturação. Porto Alegre: Artmed

Winnicott, D, W. (2019). O brincar e a realidade. São Paulo: Ubu Editora.

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Pessoa de Assis, M. de F., & Ribeiro Aquino, A. (2020). A Arte na formação do psicólogo: dispositivo de escuta ao sofrimento dos estudantes / The Arts in the psychologist’s education: a listening device to the suffering of students. Revista De Psicologia, 12(1), 182 - 194. https://doi.org/10.36517/revpsiufc.12.1.2021.15