Produção de riscos, consumo, necropolítica e desigualdades: expressividades midiáticas da pandemia no contexto brasileiro / Risk production, consumption, necropolitics and inequalities: media expressiveness of the pandemic in the Brazilian context

Resumo

A pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) produziu, e permanece produzindo, diversas significações em torno da vida da população brasileira, onde as mídias comunicacionais permanecem presentes nas veiculações acerca dos desdobramentos dessa conjuntura. Este estudo objetiva analisar informações veiculadas no contexto da pandemia, buscando compreender e explicitar aspectos ancorados nas produções dos discursos, os sentidos produzidos, bem como as materialidades expressas através do comportamento de consumo e acumulação da população, suscitados pela pandemia. Foram analisadas dez matérias jornalísticas, veiculadas na internet entre março e abril de 2020, à luz da psicossociologia do risco, inspirados em autores como Ulrich Beck e Mary Jane Spink; dos comportamentos de consumo, principalmente a partir de Jurandir Freire Costa, e sob as lentes da necropolítica de Achille Mbembe Os comportamentos analisados expõem problemas sociais crônicos, onde o consumo exacerbado procura sustentar o cenário ilusório de segurança frente ao avanço do vírus, esvaziando prateleiras, em atos que desassistem aqueles que não têm recursos financeiros para garantir seus próprios insumos, operando em favor de tecnologias necropolíticas. Na atividade midiática encontram-se incitações ao consumo e uma amplificação da sensação de medo diante da suposta escassez anunciada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Lira de Arruda Dias, Universidade de Pernambuco

Graduanda em Psicologia pela Universidade de Pernambuco (UPE).

Referências

Beck, U. (1992). Risk society: towards a new modernity. London: SAGE.

Beck, U. (2011). Sociedade de Risco: Rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Ed34.

Costa, J. F. (2004). Perspectiva da juventude na sociedade de mercado. In: Novaes, R.; Vannuchi, P. Juventude e Sociedade: trabalho, educação, cultura e participação. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo/Instituto Cidadania, 2004, p. 75-88.

Creswell, J. W. (2007/2010). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed.

Debord, G. (1967/1997). Sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto.

Fairclough, N. (2001). The dialectics of discourse. Textus, 14(2), 231-242.

Fernandes, A, & Ribeiro, L. (2020, 17 de março). Além do álcool, vazio no supermercado começa pela prateleira de papel higiênico. Recuperado em 18 de maio, 2020, de https://cutt.ly/XhR2Lxa

Fontenelle, L. F., & Grant, J. E. (2014). Hoarding disorder: a new diagnostic category in ICD-11?. Brazilian Journal of Psychiatry, 36(Suppl. 1), 28-39.

Foucault, M. (2010). Em defesa da sociedade: curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Gill, R. (2008). Análise de discurso. In: Bauer, M.; Gaskell, G. (Org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático (pp. 244-270). Rio de Janeiro: Vozes.

Grandin, F., Sarmento, G., & Tooge, R. (2020, 20 de março). Coronavírus e desabastecimento: veja perguntas e respostas sobre a questão dos alimentos no Brasil. Recuperado em 18 de maio, 2020, de https://cutt.ly/1hR9uBp

Han, B-C. (2015). Sociedade o Cansaço. (trad. Enio Paulo Giachini). Petrópolis: Vozes.

Lipovetsky, G. (2007). A felicidade paradoxal: ensaios sobre a sociedade de hiperconsumo (trad. Maria Lúcia Machado). São Paulo: Companhia das Letras.

Lewis, H. W. (1990). Technological risk. New York: W. W. Norton & Company.

Mbembe, A. (2017). Necropolítica: Biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte (trad. Renata Santini). Arte e ensaios, 2(32). Mendonça, É. (2018). Entre políticas de adesão e políticas de transformação: construções e expressões de subjetivação política em jovens militantes. Olinda: A Única.

Moraes, G. (2020, 18 de março). Brasileiros consomem mais produtos de limpeza e higiene por causa do coronavírus. Recuperado em 18 de maio de 2020, de https://cutt.ly/chR9zSl.

Oliveira, P. (2020, 17 de março). Coronavírus altera hábitos de consumo e impacta mercado. Recuperado em 18 de maio de 2020, de https://cutt.ly/9hR9QJb.

Pezzotti, R. (2020, 20 de março). Estudo aponta tendências do "novo consumo" em tempos de coronavírus. Recuperado em 18 de maio de 2020, de https://cutt.ly/khR9OoI.

Quintela, S. (2020, 24 de março). Indústria nega desabastecimento e reforça importância de consumo de itens locais. Recuperado em 18 de maio de 2020, de https://cutt.ly/jhR9JVG.

Sacheto, C., & Ribeiro, J. (2020, 20 de março). Crise do coronavírus gera aumento nas vendas de supermercados em SP. Recuperado em 18 de maio de 2020, de https://cutt.ly/jhR9N4M.

Santos, J. A. F. (2020) Covid-19, causas fundamentais, classe social e território. Trab. educ. saúde.[internet]. 18(3):e002801122020. Recuperado em 08 de dezembro de 2020, de https://cutt.ly/VhR3U1W.

Siqueira, J. (2020, 18 de março). Vendas de produtos de higiene e limpeza disparam nos supermercados. Recuperado em 18 de maio, 2020, de https://cutt.ly/QhR3y6I

Spink, M. J. P. (2001). Trópicos do discurso sobre risco: risco-aventura como metáfora na modernidade tardia. Cadernos de Saúde Pública, 17(6), 1277-1311.

Spink, M. J. P., Pereira, A. B., Burin, L. B., Silva, M. A., & Diodato, P. R. (2008). Usos do glossário do risco em revistas: contrastando "tempo" e "públicos". Psicologia: Reflexão e Crítica, 21(1), 1-10.

Sutto, G. (2020, 16 de março). Coronavírus esvazia prateleiras em supermercados, mas não há crise de desabastecimento. Recuperado em 18 de maio, 2020, de https://cutt.ly/dhR3jY8

UOL. (2020b, 8 de abril). Consumo de papel higiênico aumenta 211% durante pandemia, diz estudo. Recuperado em 18 de maio, 2020, de https://cutt.ly/DhR3v90

Wu, F., Zhao, S., Yu, B., Chen, Y.-M., Wang, W., … & Zhang, Y.-Z. (2020). A new coronavirus associated with human respiratory disease in China. Nature, 579(7798), 265–269. doi: 10.1038/s41586-020-2008-3

Publicado
2020-12-31
Como Citar
Lira de Arruda Dias, B., de Sousa Mendonça, Érika, & Catarine Barbosa da Silva, J. (2020). Produção de riscos, consumo, necropolítica e desigualdades: expressividades midiáticas da pandemia no contexto brasileiro / Risk production, consumption, necropolitics and inequalities: media expressiveness of the pandemic in the Brazilian context. Revista De Psicologia, 12(1), 86 - 98. https://doi.org/10.36517/revpsiufc.12.1.2021.7