A transgeracionalidade do feminino na família: estudo de caso com três gerações de mulheres casadas // The transgenerationality of the feminine in the family: a case study with three generations of married women

Palavras-chave: Família, Casamento, Gênero, Dinâmica familiar, Geração

Resumo

A partir da teoria familiar sistêmica, o objetivo deste estudo foi compreender como ocorreu a transmissão de padrões e perspectivas sobre a família, o casamento e o feminino em três gerações de mulheres, incluindo o gênero como um marcador interseccional relevante. O estudo de caso foi composto por duas famílias, ambas representadas pelas gerações de avós, mães e filhas. Participaram seis mulheres, com idades variando de 28 a 90 anos. A média de idade da primeira geração foi 82 anos, da segunda foi 57,5 anos, enquanto a terceira foi de 32 anos. O tempo de casamento variou de cinco a 64 anos, sendo que a média de duração da primeira geração foi 60,5 anos, seguida de 33,5 anos para a segunda e 11,5 para a terceira. Todas as participantes foram entrevistadas individualmente. A análise temático-reflexiva evidenciou a transmissão de valores sobre família e casamento, havendo a emergência de relações mais flexíveis de gênero apenas na terceira geração, o que pode ser observado na dimensão da parentalidade e da carreira. No entanto, destacaram-se questões transgeracionais e de gênero para manter o legado familiar e a indissolubilidade do casamento, o que não pode ser compreendido apartado de marcadores sociais e culturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Junia Denise Alves-Silva, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Psicóloga e Mestra em Psicologia pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Psicóloga da Prefeitura Municipal de Uberaba (MG). 

Fabio Scorsolini-Comin, Universidade de São Paulo

Psicólogo, Mestre, Doutor e Livre Docente em Psicologia pela Universidade de São Paulo. Professor Associado do Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Ciências Humanas da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. 

Referências

Alves-Silva, J. D., & Scorsolini-Comin, F. (2021). Transmissão transgeracional de padrões conjugais e familiares: implicações para o cuidado em saúde. Nova Perspectiva Sistêmica, 30(70), 77-92.
Alves-Silva, J. D., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2017). Bodas para uma vida: motivos para manter um casamento de longa duração. Temas em Psicologia, 25(2), 487-501.
Ballard, M. B., Fazio-Griffith, L., & Marino, R. (2016). Transgenerational family therapy: a case study of a couple in crisis. The Family Journal: Counseling and Therapy for Couples and Families, 24(2), 109-113.
Borges, C. C., Magalhães, A. S., & Féres-Carneiro, T. (2014). Liberdade e desejo de constituir família: percepções de jovens adultos. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 66(3), 89-103.
Bowen, M. (1989). La terapia familiar en la practica clinica. Vol. I – Fundamentos teóricos. Bilbao: Editorial Desclee de Brouwer.
Bozon, M. (2003). Sexualidade e conjugalidade: a redefinição das relações de gênero na França contemporânea. Cadernos Pagu, 20, 131-156.
Braun, V., & Clarke, V. (2019). Reflecting on reflexive thematic analysis. Qualitiative Research in Sport, 11(1), 1-9. https://doi.org/10.1080/2159676X.2019.1628806
Coutinho, S. M. S., & Menandro, P. R. M. (2010). Relações conjugais e familiares na perspectiva de mulheres de duas gerações: “que seja terno enquanto dure”. Psicologia Clínica, 22(2), 83-106.
Fasang, A. E., & Raab, M. (2014). Beyond transmission: intergenerational patterns of family formation among middle-class American families. Demography, 51, 1703-1728.
Figueiredo, M. G., & Diniz, G. R. S. (2018). Mulheres, casamento e carreira: um olhar sob a perspectiva sistêmica feminista. Nova Perspectiva Sistêmica, 27(60), 100-119. https://doi.org/10.38034/nps.v27i60.393
Fleck, A. C., Falcke, D., & Hackner, I. T. (2014). Crescendo menino ou menina: a transmissão dos papéis de gênero na família. In A. Wagner (Org.), Como se perpetua a família? A transmissão dos modelos familiares (pp. 107-121). Porto Alegre: EDIPUCRS.
Grizólio, T. C., Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. A. (2015). The perception of parenting couples engaged in long-term marriages. Psicologia em Estudo, 20(4), 657-667.
Gutierrez, I. A., Goodwin, L. J., Kirkinis, K., & Mattis, J. S. (2014). Religious socialization in african american families: the relative influence of parents, grandparents, and siblings. Journal of Family Psychology, 28(6), 779–789.
Heckler, V. I., & Mosmann, C. P. (2014). Casais de dupla carreira nos anos iniciais do casamento: compreendendo a formação do casal, papéis, trabalho e projetos de vida. Barbarói, 41(1), 119-147.
Jablonski, B. (2010). A divisão de tarefas domésticas entre homens e mulheres no cotidiano do casamento. Psicologia: Ciência e Profissão, 30(2), 262-275.
McGoldrick, M. (2011). A união das famílias através do casamento: o novo casal. In B. Carter, & M. McGoldrick (Orgs.), A mudança do ciclo de vida familiar: uma estrutura para a terapia familiar (2a ed.), (pp. 184-205). Porto Alegre: Artmed.
Nichols, M. P., & Schwartz, R. C. (2007). Terapia Familiar: conceitos e métodos (7a ed.). Porto Alegre: Artmed.
Oliveira, A. C. G. A., Leônidas, C., & Scorsolini-Comin, F. (2020). Gender roles in long-term marriages: continuance or rupture?. Psicologia Clínica, 32(2), 251-272.
Quissini, C. & Coelho, L. R. M. (2014). A influência das famílias de origem nas relações conjugais. Pensando Famílias, 18(2), 34-47.
Scorsolini-Comin, F., Fontaine, A. M. G. V., Barroso, S. M., & Santos, M. A. (2015). Relações entre conjugalidade dos pais, conjugalidade dos filhos e bem-estar subjetivo. Psico-USF, 20(3), 481-492.
Tong, A., Sainsbury, P. & Craig, J. (2007). Consolidated criteria for reporting qualitative research (COREQ): a 32-item checklist for interviews and focus groups. International Journal for Quality in Health Care, 19(6), 349-357.
Wang, M., Xing, X., & Zhao, J. (2014). Intergenerational transmission of corporal punishment in China: the moderating role of marital satisfaction and gender. Journal of Abnormal Child Psychology, 42, 1263-1274.
Yin, R. K. (2015). Estudo de caso: planejamento e métodos (5a ed.). Porto Alegre: Bookman.
Publicado
2022-06-30
Como Citar
Alves-Silva, J. D., & Scorsolini-Comin, F. (2022). A transgeracionalidade do feminino na família: estudo de caso com três gerações de mulheres casadas // The transgenerationality of the feminine in the family: a case study with three generations of married women. Revista De Psicologia, 13(2), 153 - 167. https://doi.org/10.36517/10.36517/revpsiufc.13.2.2022.11
Seção
Relatos de Pesquisa