EXPECTATIVAS FUTURAS PARA A CONJUGALIDADE DE MULHERES CASADAS NA ÓTICA DO RELACIONAMENTO INTERPESSOAL // FUTURE MARITAL EXPECTATIONS OF MARRIED WOMEN FROM THE PERSPECTIVE OF INTERPERSONAL RELATIONSHIPS

Palavras-chave: Relações interpessoais; casamento; mulheres.

Resumo

 

Este estudo teve por objetivo pesquisar as diferenças e as semelhanças entre as expectativas futuras para a conjugalidade de mulheres casadas, de três faixas etárias, na óptica do relacionamento interpessoal (Hinde, 1997). Entrevistaram-se 35 mulheres casadas, sendo 11 de 20 a 30 anos (grupo A), 12 de 35 a 54 anos (grupo B), e 12 de 60 a 78 anos (grupo C) com filhos, na classe média. Perguntou-se a elas quais seriam as suas expectativas futuras para a vida conjugal. Realizou-se a análise temática dos dados. Constataram-se mais diferenças que semelhanças entre as respostas das mulheres. As expectativas das entrevistadas incluíram o desejo de conviver e envelhecer junto, o trabalho, o lazer (grupos A, B e C), a compreensão mútua, a vontade de ter mais filhos e de vê-los crescer (grupos A e B), a saúde do casal, Deus e a religião, o companheirismo, o respeito mútuo (grupos B e C), a união e a sexualidade (grupo B). Este trabalho contribuiu para que as participantes pudessem refletir acerca de suas expectativas a respeito da conjugalidade, coopera para os estudos no campo dos relacionamentos interpessoais e para profissionais que trabalham com o referido tema.

Palavras-chave: Relações interpessoais; casamento; mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jussara Abilio Galvao, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Psicóloga e Doutora em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (PPGP/UFES). No doutorado, foi bolsista da CNPq - Brasil. 

Agnaldo Garcia, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutorado em Psicologia pela Universidade de São Paulo. Pós-Doutorado em Psicologia pela USP e Universidade Católica de Brasília. Professor Titular aposentado do Departamento de Psicologia Social e do Desenvolvimento da UFES. Docente do Programa de Pós- Graduação em Psicologia da UFES.

Referências

Albertoni, L. B., & Lages, S. R. C. (2018). Relacionamento amoroso conjugal duradouro na contemporaneidade: Uma análise fenomenológica de vivências. Phenomenological Studies - Revista da Abordagem Gestáltica, 24(3), 275-286. doi:10.18065/RAG.2018v24n3.2
Ando, H., Cousins, R., & Young, C. (2014). Achieving saturation in thematic analysis: Development and refinement of a codebook. Comprehensive Psychology, 3(4), 1-7. doi:10.2466/03.CP.3.4
Arias, C. J., & Polizzi, L. (2013). The couple relationship - support functions and sexuality in Old Age. Journal Kairós Gerontologia, 16(1), 27-48.
Batistoni, S. S. T., & Neri, A. L. (2007). Percepção de classe social entre idosos e suas relações com aspectos emocionais do envelhecimento. Psicologia em Pesquisa, 1(02), 03-10.
Braun, V., & Clarke, V. (2014) Thematic analysis. In T. Teo (Org.), Encyclopedia of critical psychology (pp. 1947-1952). Springer.
Ciscon-Evangelista, M. R., & Menandro, P. R. M. (2011). “Casados para sempre”: Casamento e família na concepção de casais evangélicos neopentecostais. Psicologia Argumento, 29(66), 343-352.
Costa, C. B., & Mosmann, C. P. (2015). Relacionamentos conjugais na atualidade: Percepções de indivíduos em casamentos de longa duração. Revista da SPAGESP, 16(2), 16-31.
Delatorre, M. Z,. & Wagner, A. (2018). Marital conflict management of married men and women. Psico-USF, 23(2), 229-240. doi:10.1590/1413-82712018230204
Del Priore, M. (2014). Histórias e conversas de mulher: Amor, sexo, casamento e trabalho em mais de 200 anos de história. São Paulo: Planeta.
Emídio, T.S., & Souza, J.B.F. (2019). “Até que algo os separe”: Um estudo sobre o estabelecimento e a manutenção do casamento na contemporaneidade. Vínculo - Revista do NESME, 16(1), 98-112. doi:10.32467/issn.1982-1492v16n1p98-113
Fernandes, I., & Duque, E. (2017). Qualidade de vida do idoso e a existência de netos: Estudo comparativo no distrito de Lisboa. Revista Kairós-Gerontologia, 20(1), 171-185. doi:10.23925/2176-901X.2017v20i1p171-185
Ferrari, T. K., Cesar, C. L. G., Alves, M. C. G. P., Barros, M. B. A., Goldbaum, M., & Fisberg, R. M. (2017). Estilo de vida saudável em São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 33(1), 1-12. .doi:10.1590/0102-311x00188015
Galvão, J. A. (2017). Depoimentos de amor e moralidade: Estudo sob a ótica de mulheres de diferentes gerações (Dissertação de mestrado). Recuperado de: https://sappg.ufes.br/tese_drupal//tese_9793_disserta%E7%E3o%20Jussara%20Abilio%20Galvao.pdf
Galvão, J. A., Alencar, H. M., & Rossetti, C. B. (2016). Moralidade e amor: Estudo de caso com mulheres casadas. Revista de Ciências Humanas-UNITAU, 9(2), 142-155.
Galvão, J. A., Alencar, H. M., & Alves, A. D. (2017). Perspectivas futuras sobre os relacionamentos amorosos de mulheres de duas diferentes gerações. Pensando Famílias, 21(2), 89-104.
Galvão, J. A., Alencar, H. M., & Alves, A. D. (2019). Mudanças nos relacionamentos amorosos nas últimas décadas na concepção de mulheres de duas gerações: Moralidade e fragilidade dos vínculos. Schème: Revista Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas, 11(especial), 51-85.
Gildersleeve, S., Singer, J. A., Skerrett, K., & Wein, S. (2017). Coding “We-ness” in couple’s relationship stories: A method for assessing mutuality in couple therapy. Psychotherapy Research, 27(3), 313–325. doi:10.1080/10503307.2016.1262566
Hinde, R. A. (1997). Relationships: A dialectical perspective. New York, NY: Psychology Press.
Hoffmeister, A., Carvalho, L. M., & Marin, A. (2019). Compreendendo o amor e suas expressões em diferentes etapas do desenvolvimento. Revista Subjetividades, 19(3), 1-14.
Krzemien, D., Richard's, M. M., & Biscarra, M. A. (2018). Conocimiento experto y autorregulación en adultos mayores jubilados profesionales y no profesionales. Avances en Psicología Latinoamericana, 26(2), 331-344. doi:10.12804/revistas.urosario.edu.co/apl/a.4793
Limeira, M. I. C. A., & Féres-carneiro, T. (2019). Personal values: The foundation of the relationship in the remarriage with the ex-spouse. Estudos de Psicologia (Campinas), 36, 1-13. doi:10.1590/1982-0275201936e180106
Manente, M. V. (2019). Casamento de longa duração à luz da terapia sistêmica familiar: Um levantamento da produção contemporânea. Pensando Famílias, 23(1), 47-57.
Moraes, T. M., Ortega, A. C., Alencar, H. M., & Galvão, J. A. (2019). Aspectos morais na decisão para o casamento segundo mulheres de duas gerações. Revista de Psicologia, 10(2), 130-139.
Oliveira, G. C., & Sei, M. B. (2018). Vínculo amoroso homoafetivo e psicanálise: Um estudo qualitativo. Temas em Psicologia, 26(4), 1787-1801. doi:10.9788/tp2018.4-04pt
Padilha, C. S., Zaparoli, D., Damo, D. D., & Pereira, L. T. (2018). Representações sociais sobre casamento em uma cidade do oeste catarinense. Revista Saberes-Psicologia, 2(1), 1-19.
Pereira, G. C., Zuffo, S., & Moura, E. G. (2019). Juventudes e qualidade de vida. Pesquisas e Práticas Psicossociais, 14(2), 1-9.
Porreca, W. (2019). Relação conjugal: Desafios e possibilidades do “nós”. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 35(especial), 1-12. doi:10.1590/0102.3772e35nspe7
Resolução Nº 510/2016 do Conselho Nacional de Saúde (2016). Diretrizes de pesquisa em ciências humanas e sociais. Recuperado de: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/reso510.pdf
Riter, H. R. (2015). Projetos de vida de adolescentes quanto aos relacionamentos afetivos. (Trabalho de Conclusão de Curso). Recuperado de: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/138303
Schlösser, A., & Camargo, B. V. (2019). Elementos Caracterizadores de Representações Sociais sobre Relacionamentos Amorosos. Pensando Famílias, 23(2), 105-118.
Silva, J. D. A. (2018). Transgeracionalidade e os modos familiares de transmitir significados do casamento entre as gerações (Dissertação de mestrado). Recuperado de: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/818
Stengel, M., & Tozo, S. M. P. S. (2010). Projetos afetivo-sexuais por adolescentes e seus pais. Pesquisas e Práticas Psicossociais, 5(1), 72-82.
Publicado
2022-06-30
Como Citar
Abilio Galvao, J., & Garcia, A. (2022). EXPECTATIVAS FUTURAS PARA A CONJUGALIDADE DE MULHERES CASADAS NA ÓTICA DO RELACIONAMENTO INTERPESSOAL // FUTURE MARITAL EXPECTATIONS OF MARRIED WOMEN FROM THE PERSPECTIVE OF INTERPERSONAL RELATIONSHIPS. Revista De Psicologia, 13(2), 139 - 152. https://doi.org/10.36517/10.36517/revpsiufc.13.2.2022.10
Seção
Relatos de Pesquisa