Prevalência da utilização de tecnologias leves pela equipe de enfermagem de um hospital estadual

  • Pabliane Matias Lordelo Marinho Universidade Federal de Sergipe
  • Thialla Andrade Carvalho Universidade Federal de Sergipe
  • Maria Cláudia Tavares de Mattos Universidade Federal de Sergipe
  • Eliana Ofélia Llapa-Rodríguez Universidade Federal de Sergipe
  • Maria Pontes de Aguiar Campos Universidade Federal de Sergipe
Keywords: Tecnologia em Saúde, Enfermagem de Cuidados Críticos, Unidade de Terapia Intensiva.

Abstract

Objetivo: descrever a prevalência da utilização de tecnologias leves pela equipe de Enfermagem de um hospital estadual. Métodos: estudo transversal e de natureza observacional. A amostra foi composta por 19 Enfermeirose 67 Técnicos de Enfermagem. Os dados foram coletados por meio de observação simples direta, utilizando instrumento validado. Utilizou-se qui-quadrado para comparação do uso de tecnologias leves entre as categorias de enfermagem. Resultados: prevaleceu técnico de enfermagem, do sexo feminino, sem companheiro e comum vínculo empregatício. Na dimensão “Vínculo” prevaleceram as intervenções presença para os técnicos e aumento da segurança para enfermeiros. Na dimensão “Acolhimento”, supervisão e segurança foram as mais utilizadas pelas duas categorias. Conclusão: a avaliação da prevalência das tecnologias leves mostrou que as dimensões mais utilizadas pela equipe de enfermagem foram “Acolhimento” e “Vínculo” e que os enfermeiros utilizam-nas mais que os Técnicos de Enfermagem na unidade do estudo.

Author Biographies

Pabliane Matias Lordelo Marinho, Universidade Federal de Sergipe
Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal da Bahia - UFBA (2003), especialista em Administração em Saúde pela Faculdades Jorge Amado (2005) e mestra em Enfermagem pela UFS. Atualmente é doutoranda do Programa Enfermagem Fundamental (CAPES 7) na USP
Thialla Andrade Carvalho, Universidade Federal de Sergipe
Enfermeira, mestra em enfermagem pelo Programa de Mestrado Acadêmico em Enfermagem da Universidade Federal de Sergipe (PPGEN), especialista em Epidemiologia Hospitalar pela Residência Multiprofissional em Epidemiologia Hospitalar da UFS. Professora Substituta do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Sergipe.
Maria Cláudia Tavares de Mattos, Universidade Federal de Sergipe
Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Sergipe (1987), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Sergipe (2000) e doutorado em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo / Ribeirão Preto (2010). Professor Associado do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Coordenadora da Câmara Técnica de Educação e Pesquisa -CTEP do COFEN (Portaria nº 655/2013). Atualmente Presidente do COREN/SE, gestão 2015/2017
Eliana Ofélia Llapa-Rodríguez, Universidade Federal de Sergipe
Eliana Ofelia Llapa-Rodríguez possui Licenciatura, Bacharelado em enfermagem revalidado pela Universidade de São Paulo (1995), mestrado em saúde da mulher criança e adolescente (1998) e doutorado em Enfermagem Fundamental na linha de pesquisa, dinâmica da organização dos serviços de saúde e de enfermagem (EERP-USP 2006), diplomatura em saúde do escolar INHEM (2005)
Maria Pontes de Aguiar Campos, Universidade Federal de Sergipe
Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal do Maranhão (1982), Mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal da Bahia (1989) e Doutorado pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP(2010). É professor Associado IV da Universidade Federal de Sergipe
Published
2017-09-18
Section
Article