Perfil de internações e prevalência de condições sensíveis à atenção primária em hospital universitário

  • Lucia Aparecida de Souza Enfermeira da Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil.
  • Ricardo Mattos Russo Rafael
  • Anna Tereza Miranda Soares de Moura
  • Mercedes Neto Departamento de Enfermagem de Saúde Pública. Faculdade de Enfermagem da UERJ.
Keywords: Serviços de Saúde, Hospitais Universitários, Assistência Integral à Saúde, Indicadores de Serviços.

Abstract

Objetivo: descrever o perfil das internações e a prevalência de condições sensíveis à atenção primária no setor de clínica médica. Métodos: estudo exploratório transversal com 197 sujeitos internados há mais de 24 horas. A coleta de dados ocorreu com entrevistas e coleta de prontuário de pacientes hospitalizados no setor. A análise foi estatística descritiva. Resultados:observou-se predomínio de internações de adultos, do sexo feminino, negros, com estudo entre quatro e 12 anos, de classe C e residentes da zona urbana. A prevalência de internações por condições sensíveis foi de 20,8% (Intervalo de Confiança de 95,0%:15,7/27,1). As doenças do aparelho respiratório, pele e tecido celular subcutâneo apresentaram prevalências superiores à estimativa geral de internações por condições sensíveis à Atenção Primária. Conclusão: as internações ocorreram, predominantemente, em adultos de classe média e com até 12 anos de estudo. As internações por condições sensíveis se demonstraram elevadas, sobretudo por doenças do aparelho circulatório, respiratório, digestivo egeniturinário.

Author Biographies

Lucia Aparecida de Souza, Enfermeira da Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil.
Mestranda em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Servidora da Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil.
Ricardo Mattos Russo Rafael
Enfermeiro. Doutor em Ciências pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).
Anna Tereza Miranda Soares de Moura
Médica. Doutora em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IMS / UERJ).
Mercedes Neto, Departamento de Enfermagem de Saúde Pública. Faculdade de Enfermagem da UERJ.
Doutora em Ciências. Especilista em Imunização e Saúde do Viajante. Atua na área de Imunização, Vigilância em Saúde e Epidemiologia.
Published
2017-09-18
Section
Article