Análise de óbitos por síndrome da imunodeficiência adquirida

  • Katia Barbosa Franco Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, CE, Brasil.
  • Gilmara Holanda da Cunha Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, CE, Brasil.
  • Maria Amanda Correia Lima Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, CE, Brasil.
  • Dalila Augusto Peres Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, CE, Brasil.
  • Marli Teresinha Gimeniz Galvão Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, CE, Brasil.
  • Reângela Cintia Rodrigues de Oliveira Lima Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, CE, Brasil.
Keywords: Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, Morte, Promoção da Saúde.

Abstract

Objetivo: analisar o perfil dos óbitos de pessoas com síndrome da imunodeficiência adquirida. Métodos: estudo transversal, realizado com 106 prontuários de pessoas que foram a óbito em unidade de terapia intensiva, obtendo-se variáveis sociodemográficas e clínicas. Análise realizada através do teste qui-quadrado de Pearson, teste de Fisher e teste de Mann-Whitney. Resultados: maior parte dos pacientes era do sexo masculino (80,2%), na faixa etária de 18 a 39 anos, média de idade de 39,7 anos, 81,6% de cor parda, 60,4% solteiros e 62,5% desempregados. A proporção de pacientes desempregados (p=0,002) e que não faziam uso de terapia antirretroviral (p<0,001) foram os que menos realizavam acompanhamento regular de saúde. Conclusão: a maioria dos pacientes do estudo não realizava acompanhamento regular de saúde e não utilizava terapia antirretroviral.
Published
2017-09-18
Section
Article