Perfil sociodemográfico de cegos: associações com conhecimento, atitude e prática sobre infecções sexualmente transmissíveis

  • Andressa Kaline Ferreira Araújo
  • Inacia Sátiro Xavier de França
  • Alexsandro Silva Coura
  • Sérgio Ribeiro dos Santos
  • Ana Paula Andrade Ramos
  • Lorita Marlena Freitag Pagliuca

Abstract

Objetivo: analisar associações entre características sociodemográficas e conhecimento, atitude e prática de cegos sobreinfecções sexualmente transmissíveis. Métodos: estudo descritivo, transversal, com abordagem quantitativa. Participaram36 indivíduos cegos. Utilizou-se o questionário Conhecimento, atitude e prática sobre infecções sexualmente transmissíveis.Foram calculadas frequências absolutas e relativas. Realizaram-se testes Qui-quadrado e Exato de qui-quadrado. Resultados:a maioria dos participantes é idosa, sem companheiro, cursou ensino fundamental e não trabalha. Conhecimento, atitudee prática sobre infecções sexualmente transmissíveis são inadequados (p<0,05). Religião (p<0,001), trabalho (p<0,001),motivo de não trabalhar (p<0,001) e escolaridade (p=0,003) apresentaram associações com a atitude sobre infecçõessexualmente transmissíveis. Sexo (p<0,001), estado conjugal (p=0,019) e escolaridade (p=0,020) apresentaram associaçõescom a prática. Não houve associação entre características sociodemográficas e o conhecimento. Conclusão: as característicassociodemográficas podem interferir na atitude e prática de cegos sobre infecções sexualmente transmissíveis, devendo oenfermeiro considerar essas características na práxis profissional com esses sujeitos.
Published
2015-11-10
Section
Research Article