Analgesia obstétrica farmacológica: um estudo sobre os desfechos obstétricos e neonatais

  • Ruanna Lorna Vieira Fernandes Universidade Federal do Ceará
  • Ana Kelve de Castro Damasceno Universidade Federal do Ceará
  • Marta Maria Soares Herculano Maternidade Escola Assis Chateaubriand
  • Raquel de Serpa Torres Martins Universidade Federal do Ceará.
  • Mônica Oliveira Batista Oriá Universidade Federal do Ceará.
Keywords: Analgesia Obstétrica, Parto Humanizado, Dor do Parto, Enfermagem Obstétrica.

Abstract

Objetivo: investigar a associação entre a analgesia obstétrica farmacológica e os desfechos obstétricos e neonatais. Métodos:estudo retrospectivo do tipo caso-controle, com 393 parturientes, sendo 131 casos que realizaram analgesia obstétrica farmacológica e 262 controles que não realizaram. Foram investigados o perfil sociodemográfico e obstétrico, as circunstâncias da admissão da parturiente, as condutas obstétricas e os desfechos obstétricos e neonatais. Resultados: parturientes submetidas à analgesia farmacológica durante o trabalho de parto apresentaram risco aumentado para o uso de ocitocina exógena (p<0,001), episiotomia (p=0,001), manobra de Kristeller (p=0,036) e fórceps (p=0,004).Conclusão: a analgesia farmacológica não aumenta o risco de laceração perineal espontânea, parto abdominal e internação em unidade neonatal, contudo influencia no aumento do risco de uso de ocitocina sintética, realização de Manobra de Kristeller, episiotomia, fórceps e ocorrência de escores menores de APGAR no 1º minuto.

Author Biographies

Ruanna Lorna Vieira Fernandes, Universidade Federal do Ceará
Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e Residência em Enfermagem Obstétrica também pela UFC. Atua como enfermeira obstetra na Equipe Gestaluz (assistência humanizada à gestação, parto, pós parto e amamentação). É supervisora (bolsista) do Curso de Qualificação em Desenvolvimento Infantil da Escola de Saúde Pública do Ceará. Atua como preceptora de estágio de Cursos de Pós-Graduação em Enfermagem Obstétrica (4 Saberes e Universidade Federal do Ceará). Trabalhou como enfermeira obstetra no Hospital Cura d'Ars e no Hospital Distrital Gonzaga Mota do José Walter, como preceptora de estágio supervisionado do curso de graduação em Enfermagem no Centro Universitário Estacio FIC e como docente de curso técnico em enfermagem no Instituto Centec e na Escola Técnica de Maracanaú. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Assistência à Saúde Sexual e Reprodutiva, atuando principalmente nos seguintes temas: enfermagem, obstetrícia, parto, humanização obstétrica, parto domiciliar planejado, planejamento reprodutivo, educação em saúde e IST.
Ana Kelve de Castro Damasceno, Universidade Federal do Ceará
Possui Pos-doutorado na University of British Columbia (UBC) no Canadá como bolsista do Programa Ciências sem Fronteiras/CNPq (2015-2016). Doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará/UFC (2005), Mestrado em Enfermagem pela UFC (2002), Especialista em Enfermagem Obstétrica/UFC (2000) e Especialista em Saúde da Família/UFC (1999). Atualmente é Professora Associado I da Universidade Federal do Ceará do curso de Enfermagem a nível de graduação e membro do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem a nível de mestrado e doutorado. Coordenadora Didático-Pedagógica da Residência em Enfermagem Obstétrica- RESENFO/UFC e do Curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica MS/Rede Cegonha CEEO/UFC/UFMG. Coordena o grupo de pesquisa/CNPq: Enfermagem na Promoção da Saúde Materna. Coordena o projeto de Extensão (Projeto Integrado de Educação em Saúde na Comunidade- PIESC/PREX/UFC). Membro da diretoria da Associação Brasileira de Enfermeiros Obstetras - ABENFO, secional Ceará. Foi Tutora do Programa de Educação Tutorial-PET/Enfermagem UFC do MEC/SESU desde janeiro de 2009 a agosto de 2015.
Marta Maria Soares Herculano, Maternidade Escola Assis Chateaubriand
Possui graduação em ENFERMAGEM pela Universidade Federal do Ceará (1993) e Mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (2010). Atualmente é Docente da UNICHRISTUS- Centro Universitário Christus- Disciplina Enfermagem na Saúde da Mulher e RN, - Enfermeira Obstetra da MEAC-UFC- Universidade Federal do Ceará. e Preceptora da Residência Multiprofisional- Saúde da Mulher e da Criança, da Universidade Federal do Ceará. e da RESENFFO- Residência em Enfermagem Obstetra.Tem experiência na área da Saúde da Mulher, com ênfase em Enfermagem, atuando principalmente nos seguintes temas: Boas Prática de Atenção ao Parto e Nascimento, Síndrome Hipertensiva Gestacional e Mortalidade Materna.
Raquel de Serpa Torres Martins, Universidade Federal do Ceará.
Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Especialização em Saúde da Família pela Universidade Estadual do Ceará e Residência em Enfermagem Obstétrica também pela UFC. Atua como enfermeira obstetra na Equipe Gestaluz (assistência humanizada à gestação, parto, pós parto e amamentação), como preceptora de estágio do curso de graduação em Enfermagem da Faculdade ATENEU e como precptora do curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica da empresa 4 Saberes. Trabalhou como enfermeira obstetra no Hospital Distrital Gonzaga Mota do José Walter e do Hospital Distrital Gonzaga Mota de Messejana. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em obstetrícia.
Mônica Oliveira Batista Oriá, Universidade Federal do Ceará.
Possui graduação em Enfermagem pela Universidade de Fortaleza (1998), Mestrado (2003) e Doutorado em Enfermagem (2008) pela Universidade Federal do Ceará e Pós-Doutorado pela University of Virginia (2008). Atualmente é Professor Associado I da Universidade Federal do Ceará. Possui 105 artigos publicados em periódicos especializados incluindo parcerias internacionais (Dra Cindy Lee Dennis, University of Toronto; Doris Glick e Richard Guerrant, University of Virginia). É coordenadora do Núcleo de Estudo e Pesquisa em Promoção da Saúde Sexual e Reprodutiva (NEPPSS), grupo certificado pelo CNPq. Formou 7 mestres e 2 doutores e tem mais 1 aluno de mestrado e 5 de doutorado em formação. Já aprovou 3 projetos financiados por órgãos de fomento à pesquisa (CNPq e FUNCAP). Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem de Saúde Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: construção de materiais educativos e protocolos clínicos, estudos metodológicos, validação de instrumentos, enfermagem, saúde sexual e reprodutiva e prevenção de câncer ginecológico.
Published
2017-11-21
Section
Article