Desenvolvimento de um canal virtual e avaliação dos temas mais acessados com foco em metabolismo e fisiologia endócrina

Resumo

Objetivo: A procura de material complementar para os estudos ou atualização em ambientes virtuais, com ênfase em videoaulas, é uma prática frequente. Embora os estudantes relatem satisfação e melhora na aprendizagem com o material, a duração dos vídeos e falta de organização dos materiais parecem ser um problema recorrente. Diante disso, o objetivo foi criar um canal de divulgação de videoaulas de curta duração com foco em endocrinologia e metabolismo e avaliar sua utilização. Método: Foram utilizados um tablet e uma caneta digital para confecção do material, além de uma câmera para filmagem do condutor dos vídeos. Dezesseis videoaulas foram produzidas e divulgadas no site YouTube® sob custódia do Canal Metabolizando. Resultados: O Canal teve mais de 700 inscritos e somou mais de 48 mil visualizações. Cinco vídeos correspondem à 70% do tempo de reprodução e 75% das visualizações. As buscas pelos vídeos se originam predominantemente no próprio YouTube®. Além disso, mais de 90% das visualizações do material foram realizadas por usuários do Brasil. Conclusão: Dessa forma, é possível concluir que existe demanda por videoaulas de curta duração com foco em metabolismo. Os vídeos podem contribuir para o aprendizado dos estudantes e demais interessados no tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henver Simionato Brunetta, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorado em andamento em Programa de Pós-Graduação Multicêntrico em Ciências Fisiológicas da Universidade Federal de Santa Catarina.

Everson Araujo Nunes, Universidade Federal de Santa Catarina

Docente no Departamento de Ciências Fisiológicas da Universidade Federal de Santa Catarina. Co-fundador e responsável pelo Laboratório de Investigação de Doenças Crônicas (LIDoC) em parceria com os Profs. Dr. Alex Rafacho e Gustavo Jorge dos Santos. Também é co-fundador e responsável pelo laboratório de fisiologia cardiometabólica em parceria com o Prof Dr. Guilherme F. F. Speretta.

Referências

Schmid RF, Bernard RM, Borokhovski E, Tamim RM, Abrami PC, Surkes MA, et al. The effects of technology use in postsecondary education: A meta-analysis of classroom applications. Comput Educ. 2014; 1;72:271–91

Penciner, R. Does PowerPoint enhance learning? Canadian Journal of Emergency Medicine, 2013; 15(2):109-112

Wistia. Does length matter? It does for video!

http://wistia.com/blog/does-length-matter-it-does-for-video, Sept. 2013.

Guo PJ, Kim J, Rubin R. How Video Production Affects Student Engagement: An Empirical Study of MOOC Videos. First ACM Conference on Learning. New York, NY, USA: ACM; 2014. p. 41–50. DOI: http://doi.acm.org/10.1145/2556325.2566239

Araujo SRF, Rocha LVM, Veleda AMS, Maciel MV, Neto JFR. PRODUÇÃO DE VÍDEO EDUCACIONAL: modelo interativo usando o PBL. Rev de Saud Digit e Tecnol. Educ, jan-ago 2017; 2(3): 51-58.

Google. https://www.google.com.br/search?q=glicolise+video. (realizada em janeiro 2018).

Publicado
2018-12-27