A importância das espécies e tipologias documentais para a mediação dos procedimentos assistenciais e administrativos nos organismos produtores de serviços de atenção à saúde

  • Gillian Leandro de Queiroga Lima Universidade Federal da Bahia
  • Louise Anunciação Fonseca de Oliveira Amaral Universidade Federal da Bahia
  • Maria Teresa Navarro de Britto Matos Universidade Federal da Bahia
  • Hernane Borges de Barros Pereira Universidade do Estado da Bahia
  • Francisco José Aragão Pedroza Cunha Universidade Federal da Bahia

Resumo

Introdução: O tratamento e a organização dos registros e das informações em saúde são imprescindíveis para a promoção, prevenção e atenção à saúde. Esses registros são considerados informações orgânicas em saúde e se configuram por meio das tipologias documentais. Objetivo: O objetivo deste artigo é o de mapear as espécies e as tipologias documentais existentes em hospitais que são mais utilizadas para esclarecer dúvidas, para compartilhar informações e as que mais contribuem para o desenvolvimento de procedimentos laborais. Método: A pesquisa é exploratória e descritiva com uma abordagem qualiquantitativa. A técnica de análise das informações coletadas em campo foi a estatística descritiva. Resultado: Os resultados revelam a escassa utilização dos instrumentos arquivísticos de gestão nos Organismos Produtores de Serviços de Atenção à Saúde (OPSAS) analisados, o que proporciona o acúmulo desordenado dos documentos. Conclusão: Concluise que existe a necessidade da conscientização dos formuladores de políticas e gestores dos OPSAS assimilarem os procedimentos e técnicas arquivísticas nos processos organizacionais destes locais de trabalho com o intuito de potencializar os processos decisórios e a transparência de suas ações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gillian Leandro de Queiroga Lima, Universidade Federal da Bahia

Bacharel em Arquivologia pela Universidade Federal da Bahia – UFBA. Pós-graduado no MBA em Gestão da Informação da Universidade Salvador – UNIFACS, Mestre em Ciência da Informação pelo Instituto de Ciência da Informação da UFBA e Doutorando em Difusão do Conhecimento pelo DMMDC/UFBA. Possui experiência em pesquisas na área da Arquivologia e em organização de arquivos. Atualmente é Professor concursado da UFBA, lotado no Departamento de Fundamentos e Processos Informacionais do Instituto de Ciência da Informação da UFBA.

Louise Anunciação Fonseca de Oliveira Amaral, Universidade Federal da Bahia

Doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade Federal Fluminense. Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Bahia (2012). Possui graduação em Relações Públicas pela Universidade Católica do Salvador (2006), em Arquivologia pela Universidade Federal da Bahia (2008) e especialização em Gestão da Comunicação Organizacional Integrada pela Universidade Federal da Bahia (2008). Arquivista da Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia (UFBA). 

Maria Teresa Navarro de Britto Matos, Universidade Federal da Bahia

Graduada em História (1988) e especialista em Arquivologia (1989) pela Universidade Federal da Bahia; mestre em Biblioteconomia e Ciência da Informação pela Université de Montréal (1995), com concentração em Arquivologia; e doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2004). 

Hernane Borges de Barros Pereira, Universidade do Estado da Bahia

Doutorado em Engenharia Multimídia pela Universitat Politècnica de Catalunya em 2002. Atualmente é Professor Pleno do Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia e Professor Associado do SENAI ClMATEC. É docente do Programa de Pós-graduação em Modelagem Computacional e Tecnologia Industrial e do Doutorado Multi-institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento. É consultor ad-hoc do Ministério da Educação.

Francisco José Aragão Pedroza Cunha, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Difusão do Conhecimento pelo Programa de Pós-gradução Multi-institucional e Multidiciplinar da Faculdade de Educação da UFBA (2012). Possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Católica do Salvador (1985) e mestrado em Ciência da Informação pela UFBA (2005). Professor Adjunto do Departamento de Documentação e Informação da UFBA. Professor permanente dos Programas de Pós-graduação em Ciência da Informação (PPGCI) da UFBA e do Doutorado Multi-institucional e Multidiciplinar em Difusão do Conhecimento (DMMDC) da Faculdade de Educação da UFBA. 

Referências

Franzese, C. Administração pública em contexto de mudanças: desafios para o gestor de políticas públicas. In: Política e gestão pública em saúde. Organizadores: Nelson Ilbañes, Paulo Eduardo Mangeon Elias, Paulo Henrique D’Ângelo Seixas. São Paulo: Hucitec, Editora, 2015, p. 19-53.

Paim JS. Desafios para a saúde coletiva no século XXI. Salvador: EDUFBA, 2006.

Cunha FJAP. Gestão de documentos, aprendizagem e inovação organizacional em hospitais. In: Informação Arquivística, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 29-42, jul./dez., 2014a.

Cunha FJAP. O complexus do conhecimento, inovação e comunicação em serviços de atenção à saúde. In: CUNHA, Francisco J.A. Pedroza; LÁZARO, Cristiane P.; PEREIRA, Hernane B.de B. (Orgs.). Conhecimento, inovação e comunicação em serviços de saúde. Salvador: EDUFBA; Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2014b, p. 221-236.

Elias PEM, Dourado DA. Sistema de saúde e SUS: saúde como política social e sua trajetória no Brasil. In: Política e gestão pública em saúde. Organizadores: Nelson Ilbañes, Paulo Eduardo Mangeon Elias, Paulo Henrique D’Ângelo Seixas. São Paulo: Hucitec, Editora, 2015,p. 102-125. 6. Escrivão Junior A, Kishima VSC. Panorama do setor suplementar de saúde brasileiro. In: Política e gestão pública em saúde. Organizadores: Nelson Ilbañes, Paulo Eduardo Mangeon Elias, Paulo Henrique D’Ângelo Seixas. São Paulo: Hucitec, Editora, 2015, p. 126-146.

Cunha FJAP. Da adesão à participação em uma rede de hospitais como promoção da aprendizagem organizacional e da inovação gerencial: um olhar sobre a Rede InovarH-BA. Tese do Programa de Doutorado Multi-institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento. UFBA – Faculdade de Educação, Salvador, 2012.

Cunha FJAP, Melo FMMAde, González JAM. Políticas de información y archivos de unidades de salud em Brasil. Anais... V Seminario Hispano-Brasileño de Investigación em Información, Documentación y Sociedad, celebrado em Madrid los dias 14, 15, 16 y 17 de noviembre de 2016.

Lima GlQde, Oliveira Lfde, Cunha FJAP, Pereira HBB. A organização dos documentos no contexto dos serviços assistenciais e administrativos existentes em organismos produtores de serviços de saúde. Anais... V Reunião Brasileira de Ensino e Pesquisa em Arquivologias - “Ensino e Pesquisa em Arquivologia: cenários prospectivos”. Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais/ 7 a 10 de novembro de 2017.

Lousada M, Valentim MLP. A relação ente a informação orgânica e a gestão documental. In: Valentim M. (Org.). Gestão, mediação e uso da informação. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. 390 p. [Acesso em 13 ago 2014]. Disponível em: http://books.scielo.org/id/j4gkh/pdf/valentim-9788579831171-18.pdf.

Duff WM. Mediação arquivística. In: Eastwood T, MacneilH. (Org). Correntes atuais do pensamento arquivístico. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016.

Rodrigues AC. Identificação como requisito metodológico para a gestão de documentos e acesso a informações na administração pública brasileira *. Ciência da informação, v. 42, n. 1, p. 64–80, 2013. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/ciinf/article/view/2262.

Rodrigues AC. Identificação: uma metodologia de pesquisa para a Arquivística. In: Marta Lígia Pomim Valentim. (Org.). Estudos avançados em Arquivologia. 1 ed. Marília; São Paulo: Oficina Universitária; Cultura Acadêmica, 2012, v. , p. 197-215.

Cunha FJAP, Ribeiro NM, Pereira HBB. Records management: a basis for organizacional learning and innovation. In: TransInformação, Campinas, SP, v. 25, n.2, maio/ago, 2013, p. 159-165.

Cunha FJAP, Lima GLQde, Oliveira LAF. Arquivos como mecanismos de difusão de conhecimentos para a aprendizagem e inovação em organismos produtores de saúde. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM ARQUIVOLOGIA – REPARQ, 4. 2015, João Pessoa. Anais... João Pessoa, 3 a 6 de agosto de 2015

Souza MDPFde, Meirelles RF, Cunha FJAP. Representação da informação e do conhecimento nos repositórios arquivísticos em saúde. Anais... Colóquio Internacional Medinfor IV - A Medicina na Era da Informação. Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar e na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, nos dias 15, 16 e 17 de novembro de 2017.

Arquivo Nacional. Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística. Publicaçõe ed. Rio de Janeiro: [s.n.], 2005. [Acesso em 14 nov. 2017]. Disponível em: http://www.arquivonacional.gov.br/images/pdf/Dicion_Term_Arquiv.pdf.

Conselho Internacional de Arquivos. ISDF: Norma Internacional para Descriçã de Funções. Tradução de Vitor Manoel Marques da Fonseca. 1. ed. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2008.

Bellotto HL. Arquivos Permanentes - Tratamento Documental. 2. ed. Rio de Janeiro: [s.n.], 2004.

Troitiño-Rodriguez SM. A tipologia documental como instrumento para a seriação de documentos. In: Marta Lígia Pomim Valentim. (Org.). Estudos avançados em Arquivologia. 1 ed. Marília; São Paulo: Oficina Universitária; Cultura Acadêmica, 2012, v. , p. 243-258.

Bardin L. Análise de conteúdo. Tradução de Luis Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2011.

Vieira S. Princípios de estatística. São Paulo: Guazzelli, 1999.

Publicado
2018-11-27