A Política Nacional de Educação Permanente em Saúde com Foco na Segurança do Paciente

Resumo

Introdução: A temática da pesquisa refere-se às estratégias da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde (PNEPS) com foco na segurança do cuidado ao paciente. Destaca-se que uma importante estratégia para a gestão de risco nos serviços de saúde é a adoção de políticas públicas, como a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Métodos: Esta pesquisa é de natureza aplicada e tem abordagem qualitativa com objetivo exploratório e descritivo, de caráter documental. O universo da pesquisa foi a região do Planalto Norte Catarinense. Na coleta de dados, explorou-se o Plano Regional de Educação Permanente em Saúde do Planalto Norte-Catarinense, publicações da Comissão de Integração Ensino-Serviço e documentos da Secretaria Estadual de Saúde de SC. Resultados: Foi possível identificar que a PNEPS tem reconhecida importância na região, pois por meio da implementação de uma política pública idealizada em nível nacional, considera as especificidades e necessidades regionais para traçar objetivos com foco nos profissionais e indicadores de saúde. Conclusão: Os dados evidenciaram as iniciativas que se concretizaram ou estão em consolidação sob influência de aspectos históricos, políticos e culturais de cada município, e a existência ou não de um Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) atuante.

Biografia do Autor

Fernanda Vandresen, Universidade do Contestado - Campus Mafra

Enfermeira, docente na graduação de enfermagem desde 2014, Mestre em Desenvolvimento Regional. Especialista em: Pediatria e Cuidados Intensivos Neonatais, MBA de Gestão em Saúde e Controle de Infecção, Qualidade e Segurança do Cuidado ao Paciente, Enfermagem em Urgência e Emergência, Liderança e Coaching.

Maria Luiza Milani, Universidade do Contestado

Doutora em Serviço Social: Serviço Social, Políticas Sociais e Movimentos Sociais, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2004), Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (1999) e Graduada em Serviço Social pela Faculdade Espírita do Curitiba (1992). Atua no ensino, pesquisa e extensão na área de Planejamento Urbano e Regional, área de concentração em Desenvolvimento Regional, é vinculada à Linha de Pesquisa: Políticas Públicas e Desenvolvimento Regional. É líder do Grupo de Pesquisa Políticas Públicas e Desenvolvimento. É docente na Universidade do Contestado (UnC), no Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional. 

Referências

Ministério da Saúde (BR). Portaria n.198. Institui a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras providencias. Brasília, DF. 2004.

Ministério da Saúde (BR). Programa para o Fortalecimento das Práticas de Educação Permanente em Saúde no SUS – PRO EPS SUS. Manual Técnico. Brasília, 2018.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Assistência Segura: uma reflexão teórica aplicada à prática. Brasília, 2013.

Kalsing RMK. A percepção da equipe de enfermagem frente à notificação de eventos adversos. Trabalho de Conclusão de Curso. Lajeado, 2012.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Plano Integrado para a Gestão Sanitária da Segurança do Paciente em Serviços de Saúde: Monitoramento e Investigação de Eventos Adversos e Avaliação de Práticas de Segurança do Paciente. Brasília, 2015.

World Health Organization. 10 facts on patient safety. March, 2018. [Acesso em 10 mai 2018] Disponível em < http://www.who.int/features/factfiles/

patient_safety/en/>.

Couto RC et al. II Anuário da Segurança Assistencial Hospitalar no Brasil. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

Slawomirski L, Auraaen A, Klazinga N. The economics of patient safety: Strengthening a value–base approach to reducing patient harm at national level, OECD, mar. 2017. [Acesso em 06 out 2017] Disponível em: <https://www.oecd-ilibrary.org/social-issues-migration-health/the-economics-of-patientsafety_

a9858cd-en>..

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Mapas. Disponível em: https://mapas.ibge.gov.br/fisicos/estaduais, atualização 2013.

Vendruscolo C et al. Frutos dos movimentos de educação permanente em saúde de Santa Catarina: caminhos e oportunidades. Porto Alegre: UNIDA, 2018.

Secretaria do Estado da Saúde (SC). Plano de Ação Regional de Educação Permanente em Saúde- PAREPS. Região de Saúde do Planalto Norte. 2014/2017. Florianópolis, 2014.

Secretaria do Estado da Saúde (SC). Plano de Ação Regional de Educação Permanente em Saúde- PAREPS. Região de Saúde do Planalto Norte. 2018/2021. Florianópolis, 2017.

Gadelha CAG, Costa L. A Saúde e territorialização na perspectiva do desenvolvimento. Revista Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, 2011.

Nuske M A et al. A saúde e sua relação com o desenvolvimento: um olhar crítico acerca da contribuição da saúde nas múltiplas escalas do desenvolvimento regional. In: VIII Seminário Internacional sobre desenvolvimento regional. Santa Cruz do Sul, 13 a 15 de setembro de 2017.

Secretaria do estado da Saúde (SC). Processos Avaliativos de Educação Permanente em Saúde Em Santa Catarina: uma roda que nunca parou de girar. Florianópolis, 2018. [Acesso em 14 nov 2018] Disponível em: https://apsredes.org/processos-avaliativos-de-eps-em-sta-catarina-uma-roda-que-nunca-parou-de-girar/

Lino MM et al. Educação Permanente dos serviços públicos de saúde de Florianópolis, Santa Catarina. Trab. Educ. Saúde. v.7, n.1. Rio de Janeiro, mar/jun 2009.

Tondo JCA. Clima de segurança: percepção dos profissionais de enfermagem em um hospital de ensino. Unicamp, Campinas, 2015. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Enfermagem na Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

World Health Organization. Guia curricular de segurança do paciente da Organização Mundial da Saúde: edição multiprofissional. Tradução: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro- PUC-Rio, Rio de Janeiro: Autografia, 2016.

Ministério da Saúde (BR). Política de educação e desenvolvimento para o SUS: caminhos para a educação permanente em saúde: polos de educação permanente em saúde. Brasília, DF. 2004b.

Zanluca CH. Atuação dos profissionais de saúde frente ao Núcleo de Segurança do Paciente nas instituições do Planalto Norte-Catarinense. Mafra: UnC, 2016. Trabalho de Conclusão de Curso – Graduação de Enfermagem, Universidade do Contestado, Mafra, 2016.

Publicado
2019-08-27