O Consumo da Tradição e a Fruição do “Inautêntico”: cultura e mercado nas festas-espetáculo do ciclo junino no Nordeste

  • Elder Patrick Maia Alves
Palavras-chave: Festa-Espetáculo, Consumo Cultural, Cultura Popular, Tradição, Nordeste

Resumo

Este artigo trata das interfaces entre a consecução das festas-espetáculo do ciclo de festejos juninos no Nordeste e as práticas de consumo cultural que esses megaeventos abrigam. Explora os usos político-culturais e os agenciamentos econômicos do valor de tradição/autenticidade atribuído à cultura popular sertanejo-nordestina. Tais agenciamentos ocorrem com maior regularidade durante a consecução do ciclo de festejos juninos, no qual as festas-espetáculo desempenham um papel decisivo, principalmente em cidades como Caruaru (PE) e Campina Grande (PB). Tais eventos movimentam duas moedas simbólico-econômicas: de um lado, ofertam os conteúdos artístico-culturais que celebram, narram e comercializam os bens da tradição, como o chamado forró pé de serra; de outro, investem nas principais atrações do forró pop-eletrônico, reputado como menos autêntico/tradicional.

Biografia do Autor

Elder Patrick Maia Alves

Graduado em ciências sociais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), mestre e doutor em sociologia pela Universidade de Brasília (UnB), professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia do Instituto de Ciências Sociais da Universidade Federal de Alagoas (ICS/UFAL).

Referências

ALVES, Elder P. Maia. A economia simbólica da cultura popular

sertanejo-nordestina. Maceió: Edufal, 2011.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar,

BELL, Daniel. O advento da sociedade pós-industrial. São Paulo: Cultrix,

BOURDIEU, Pierre. As estruturas sociais da economia. Lisboa: Instituto

Pieget, 2001.

CAMPBELL, Collin. A ética romântica e o espírito do consumo moderno.

Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

CHERNATONY, Leslie de. Adapting brand theory to the contexto of nation

branding, in Keith Dinnie (Org), Nation Branding: concepts, issues, practice,

Amsterdam, BH, 2008.

DEEZER. Digital Music Report, 2015.

DREYFUS, Dominique. Vida de viajante: a saga de Luiz Gonzaga. São

Paulo: Editora 34, 2007.

ELIAS, Norbert. A sociologia de um gênio: Mozart. Rio de Janeiro: Jorge

Zahar Editor, 1994.

FARIAS, Edson. Ócio e negócio: festas populares e entretenimento-turismo

no Brasil. Curitiba: Appris, 2011.

Governo da Bahia. Balanço das Ações da Secretaria de Turismo da Bahia.

Salvador, 2008.

Governo Federal. Secretaria de Comunicação Social da Presidência da

República. Pesquisa brasileira de mídia. Brasília, 2015.

LIPOVETSKY, Gilles e SERROY, Jean. A estetização do mundo: viver na

era do capitalismo artista. São Pulo: Cia das Letras, 2015.

IBGE. Pesquisa de informações básicas estaduais. Pesquisa de informações

básicas municipais. Brasília, 2015.

JORDÃO, Gilsele e RENATA, Alucci. Panorama Setorial da Cultura

Brasileira. São Paulo, 2014.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

JENKINS, Henry. Cultura da conexão. São Paulo: Aleph, 2014.

MARTEL, Frédéric. Smart: o que você não sabe sobre a internet. Civilização

Brasileira: São Paulo, 2015.

MAZUCATO, Mariana. O estado empreendedor. São Paulo: Portfólio, 2014.

RIDENTI, Marcelo. Em busca do povo brasileiro, São Paulo: Record, 2000.

NETO, Nicolau M. "Os sentidos da diversidade e da modernidade nas

campanhas promocionais contemporâneas da Embratur". In: Geraldo Pontes

Jr.; Maurício Barros de Castro; Myrian Sepúlveda dos Santos.

(Org.). Diálogos Interdisciplinares: Literatura e Políticas Culturais. Rio de

Janeiro: Eduerj, 2014, v. p. 1-26.

ORTIZ, Renato. Mundialização, saberes e crenças. Brasiliense: São Paulo,

SÁNCHEZ, Fernanda. A reinvenção das cidades para um mercado mundial.

Chapecó: 2010, Argos.

YUDICE, Georg. A conveniência da cultura: usos da cultura na era global.

Belo Horizonte: UFMG, 2004.

WILLIAMS, Raymond, Cultura São Paulo: Paz e terra, 2000.

TAYLOR, Charles. A ética da autenticidade. São Paulo: Realização Editora,

URRY, John. O olhar do turista: lazer e viagens nas sociedades

contemporâneas. São Paulo: Editora Studio Nobel/SESC, 1996.

Publicado
2017-06-07
Como Citar
Patrick Maia Alves, E. (2017). O Consumo da Tradição e a Fruição do “Inautêntico”: cultura e mercado nas festas-espetáculo do ciclo junino no Nordeste. Revista De Ciências Sociais, 48(1), 208-244. Recuperado de http://www.periodicos.ufc.br/revcienso/article/view/18886

Artigos do(s) mesmo(s) autor(es) mais lidos