Origem de classe e chances de vida no Brasil

Resumo

O trabalho investiga as relações entre origem de classe e chances de vida no Brasil com os dados de mobilidade social da PNAD 2014. Os efeitos da origem foram estimados sob a forma de médias preditas e diferenças proporcionais na renda com um Modelo Linear Generalizado. A magnitude e a evolução entre as coortes dos efeitos total e direto da origem privilegiada na renda coloca em questão o papel equalizador da educação. A origem no topo social tanto impulsiona a renda de quem tem escolaridade superior quanto protege quem fracassa na escola. Os retornos da escolaridade superior e média estão caindo entre as coortes. Esta queda afeta quem ter origem na base social, porém não no topo social. Maior desigualdade originária parece favorecer a vantagem de origem.  A menor desigualdade de renda atual, no entanto, não reduziu a vantagem de origem entre a primeira e a última coorte.

Biografia do Autor

José Alcides Figueiredo Santos, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Doutor em Sociologia pelo IUPERJ (2000), com Pós-Doutorado na Universidade de Wisconsin-Madison, é Professor Titular da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Integra o Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UFJF e o Centro de Pesquisas Sociais (CPS) da UFJF.

Publicado
2019-08-28