Furtado e a educação pela pedra, entranhada

Resumo

A importância de Celso Furtado para a história brasileira pós-Segunda Guerra Mundial tem sido amplamente estudada e reconhecida. O rigor acadêmico, aliado ao esforço incansável em promover uma política voltada ao desenvolvimento regional do Nordeste e do país, deu-lhe notoriedade internacional. Porém, tento evidenciar, neste ensaio, que Furtado teve algo anterior que lhe serviu de motivação primeira. Refiro-me à experiência que teve, ainda quando criança, no sertão paraibano. Algo que lhe imprimiu bem o descrito por João Cabral de Melo Neto: a educação pela pedra, entranhada. Além disso, o contexto social, próprio da década de 1950, instigou no Brasil o desejo de mudança, motivado por Juscelino Kubitschek e personagens como Dom Hélder Câmara e Victor Nunes Leal. Assim, busca-se explorar a relação entre indivíduo e sociedade e seus desdobramentos no campo político, evidenciando a importância e atualidade de Furtado.

Biografia do Autor

Luciano Albino, Universidade Estadual da Paraíba

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba (1999), mestrado em Sociologia pela Universidade de Brasília (2002) e doutorado em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba (2010). Professor adjunto da Universidade Estadual da Paraíba no departamento de Ciências Sociais, onde leciona Teoria Antropológica e Etnologia Brasileira para o curso de Licenciatura em Sociologia. Pró-Reitor de Planejamento da Universidade Estadual da Paraíba. É credenciado como professor permanente no Mestrado em Desenvolvimento Regional -UEPB.

Publicado
2020-01-09
Seção
Dossiê: Centenário de Celso Furtado