Entre desigualdades no trabalho

classe, raça, gênero e o emprego doméstico no Rio de Janeiro

Palavras-chave: Gênero, Raça, Trabalho Doméstico Remunerado, Mulheres Negras

Resumo

O artigo analisa o cotidiano de desigualdades ao qual estão submetidas trabalhadoras domésticas, em sua maioria negras, no Rio de Janeiro. Para isto, foram realizadas entrevistas em profundidade com roteiro semiestruturado nas quais o fio condutor fundamental foram os marcadores sociais de gênero, raça e classe e suas imbricações enquanto eixos estruturantes das dinâmicas de desigualdade. Desta forma, a partir dos relatos destas trabalhadoras, esta pesquisa busca compreender, através de uma perspectiva interseccional, como as relações sociais podem moldar   e   interferir   no   relacionamento   desigual   entre patroa/patrão e empregada em diferentes âmbitos. Foi possível constatar o escasso universo de escolhas das trabalhadoras em relação à ocupação; a estrutural exploração e desvalorização à qual estão submetidas, por realizarem diretamente o trabalho de reprodução social de forma remunerada e os estereótipos racializados articulados a este tipo de emprego.

Biografia do Autor

Tamis Porfirio Costa Crisóstomo Ramos Nogueira, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Mestra em Ciências Sociais na UFRRJ

Moema Guedes, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Professora Associada I do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ).

Publicado
2020-09-15