Campanhas online:

a construção discursiva de disputas narrativas no processo eleitoral de 2018 para o governo de Mato Grosso do Sul

Palavras-chave: Etnografia, análise do discurso, narrativas, política

Resumo

Esta pesquisa tem por objetivo descrever de forma qualitativa as construções discursivas, que ocorreram no interim das disputas narrativas no processo eleitoral de 2018 pelo governo do estado de Mato Grosso do Sul. Os recursos utilizados neste trabalho, bem como, a bibliografia, possuem como foco a realização de uma etnografia online. O foco maior da discussão irá se assentar nas campanhas de dois partidos específicos e seus candidatos: Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), Reinaldo Azambuja; e também do segundo colocado, Juiz Odilon, candidato do Partido Democrático Trabalhista (PDT). Por fim, o trabalho de campo centrou-se na avaliação da arena virtual de disputa pelo espaço e pela hegemonia política e a disputa pela legitimidade e apropriação dos conceitos-chave necessários à adaptação do ascendente conservadorismo de costumes e bandeiras típicas dos partidos aos quais os candidatos eram filiados à época da disputa.

Referências

ABRANCHES, Sérgio. Presidencialismo de coalizão: o dilema institucional brasileiro. Dados, v. 31, n. 1, p. 5-38, 1988.

BARREIRA, Irlys Alencar Firmo. Ritual e símbolo na política. Cadernos Ceru, v. 7, n. 1, p. 9-35, 1996.

BARREIRA, Irlys Alencar Firmo. Chuva de papéis: ritos e símbolos de campanhas eleitorais no Brasil. Relume-Dumara, 1998.

BARREIRA, Irlys Alencar Firmo. A política de perto: recortes etnográficos de campanhas eleitorais. Novos Estudos-CEBRAP, n. 74, p. 177-194, 2006.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. Antropologia e moralidade: etnicidade e as possibilidades de uma ética planetária. CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto; OLIVEIRA, Luis R. Cardoso de. Ensaios Antropológicos sobre moral e ética. Rio de janeiro: Tempo Brasileiro, p. 51-72, 1996.

DELEUZE, Gilles; CORDEIRO, Edmundo. O que é um dispositivo. O mistério de Ariana: cinco textos e uma entrevista de Gilles Deleuze. 1996.

EFREM FILHO, Roberto et al. Mata-mata: reciprocidades constitutivas entre classe, gênero, sexualidade e território. 2017.

FASSIN, Didier. Além do bem e do mal? Questionando o desconforto antropológico com a moral. In: Políticas Etnográficas no Campo da Moral, 2019.

FASSIN, Didier. As economias morais revisitadas. In: Políticas Etnográficas no Campo da Moral, 2019.

FOUCAULT, Michel. (1969). A Arqueologia do Saber. Trad. bras. Luis Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1986.

FOUCAULT, Michel. (1975). Vigiar e Punir. História da Violência nas Prisões. Trad. bras. Raquel Ramalhete. 18ª. Ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. (1978). Microfísica do Poder. Trad. bras. Roberto Machado. 14ª. Ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

GREGOLIN, Maria do Rosário. Discurso, história e a produção de identidades na mídia. Mídia e rede de memória, p. 39-60, 2007.

GREGOLIN, Maria do Rosário. Foucault e Pêcheux na análise do discurso: diálogos & duelos. Claraluz, 2002.

GEERTZ, Clifford.“A religião como sistema cultural”. In: A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar, 1978, p. 106.

KUSCHNIR, Karina. Antropologia e política. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 22, n. 64, p. 163-167, 2007.

MACIEL, Ana Paula Brito; DE OLIVEIRA ALARCON, Anderson; GIMENES, Éder Rodrigo. Partidos políticos e espectro ideológico: Parlamentares, especialistas, esquerda e direita no Brasil. Revista Eletrônica de Ciência Política, v. 8, n. 3, 2018.

MAGALHÃES, Hilda Gomes Dutra; DA SILVA, Luíza Helena Oliveira; BATISTA, Dimas José. Do herói ficcional ao herói político. Ciências & Cognição, v. 12, 2007.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana. Revista brasileira de ciências sociais, v. 17, n. 49, p. 11-29, 2002.

MAUSS, Marcel. Uma categoria do espírito humano: a noção de pessoa, a de" eu". Cosac Naify, 2003.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva:(in Sociologia e antropologia). Ubu Editora LTDA-ME, 2018.

MONTERO, Paula. A teoria do simbólico de Durkheim e Lévi-Strauss: desdobramentos contemporâneos no estudo das religiões. Novos estudos CEBRAP, n. 98, p. 125-142, 2014.

VALENTE, Ana Lúcia E.E. Valente. Política e relações raciais: os negros e as eleições políticas de 1982. São Paulo, FFLCH/USP, 1986. 186 p. (Antropologia, 10)

Publicado
2022-07-01