O estímulo do governo Michel Temer à financeirização da pobreza

Palavras-chave: financeirização da pobreza, pobreza, financeirização, Michel Temer

Resumo

O artigo aborda a financeirização da pobreza durante o governo Michel Temer. O objetivo principal é identificar o modo como o Estado contribuiu para o processo de enquadramento da pobreza como um problema exclusivamente financeiro que requer soluções prioritariamente financeiras. Foram analisados dados econômicos e sociais, assim como iniciativas de “inclusão financeira” promovidas pelo Estado. O argumento tem um caráter descritivo e estabelece algumas comparações com os governos anteriores que revelam dois movimentos complementares de continuidades e rupturas: (1) uma promoção indireta da financeirização articulada com as políticas de austeridade e (2) uma promoção ativa por meio da bancarização dos beneficiários dos programas sociais e dos programas de microfinanças voltados aos pobres.

Biografia do Autor

Guilherme Figueredo Benzaquen, Universidade Federal de Pernambuco

Pós-doutorando no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco (PPGS/UFPE) com financiamento pela Fundação de Amparo a Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE). Doutor em Sociologia pelo PPGS/UFPE. Foi pesquisador visitante na University of Brighton, Inglaterra (2018-2019). Mestre em Sociologia pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP/UERJ).

Referências

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Relatório de Inclusão Financeira. Brasília: Banco Central do Brasil, 2010.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Relatório de Inclusão Financeira. Brasília: Banco Central do Brasil, 2011.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Relatório de Inclusão Financeira. Brasília: Banco Central do Brasil, 2015.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. O que é cidadania financeira?. Brasília: Banco Central do Brasil, 2018a.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Relatório de Cidadania Financeira. Brasília: Banco Central do Brasil, 2018b.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Relatório de Economia Bancária. Brasília: Banco Central do Brasil, 2018c.

BARBOSA, Rogério; FERREIRA DE SOUZA, Pedro; SOARES, Serguei. Distribuição de renda nos anos 2010: uma década perdida para desigualdade e pobreza. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea, Texto para discussão 2610, 2020.

BARBOSA, Rogério. Estagnação Desigual: Desemprego, desalento, informalidade e a distribuição de renda do trabalho no período recente (2012-2019). Boletim Mercado de Trabalho – Conjuntura e Análise nº 67, 2019.

BIN, Daniel. The politics of financialization in Brazil. World View of Political Economy, v. 7, n. 1, 2016, p. 106-126.

BLYTH, Mark. Austeridade: a história de uma ideia perigosa. Editora Autonomia Literária LTDA-ME, 2018.

CARVALHO, Laura. Valsa brasileira: do boom ao caos econômico. São Paulo: Todavia: 2018.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DWECK, Esther et al. Impacto da austeridade sobre o crescimento e a desigualdade no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 23, 2018, Niterói. Anais... Niterói: [s. n.], p. 1-17, 2018.

DWECK, Esther; SILVEIRA, Fernando; ROSSI, Pedro. Austeridade e desigualdade no Brasil. In: ROSSI, Pedro; Dweck, E; Oliveira, ALM, (2018) Economia para Poucos: Impactos Sociais da Austeridade e Alternativas para o Brasil. Brasília, DF: Editora Autonomia Literária.

FAMA, Marco. The financialization of poverty. Microfinance and the rise of the neoliberal development paradigm. Autonomie locali e servizi sociali, Quadrimestrale di studi e ricerche sul welfare, vol. 2, p. 255-270, 2018.

FEIL, Fernanda; SLIVNIK, Andrej. Brazil: Latin America’s unsung hero. In: BATEMAN, Milford; BLAKENBURG, Stephanie; KOZUL-WRIGHT, Richard. The Rise and Fall of Global Microcredit. New York: Routledge, 2018.

GONZÁLEZ, Felipe. Micro-credit and the Financialization of Low-income Households. In: MADER, Philip; MERTENS, Daniel; VAN DER ZWAN, Natascha (eds.). The Routledge international handbook of financialization. New York: Routledge, 2020.

GOVERNO anuncia mais R$ 4 bilhões de recursos para o Plano Progredir. Agência Brasil. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-07/governo-anuncia-mais-r-4-bilhoes-de-recursos-para-o-plano-progredir. Acesso em: 05 mar. 2021.

GRUN, Roberto. Financeirização de esquerda? Frutos inesperados no Brasil do século XXI. Tempo Social, v. 21, n. 2, 2009, 153-184.

GRUN, Roberto. A dominação financeira no Brasil contemporâneo. Tempo Social, v. 25, n. 1, 2013, 179-213.

IBGE. 2018. Desigualdades sociais por cor ou raça no Brasil. Estudos e Pesquisas • Informação Demográfica e Socioeconômica, n. 41. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101681_informativo.pdf. Acesso em: 10/02/2021.

IBGE. 2019. Em 2018, mulher recebia 79,5% do rendimento do homem. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/23923-em-2018-mulher-recebia-79-5-do-rendimento-do-homem#:~:text=Mulher%20ganha%2079%2C5%25%20do,5%25%20daquele%20recebido%20pelos%20homens. Acesso em: 10/02/2021.

IBGE. 2020a. Séries históricas. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/contas-nacionais/9300-contas-nacionais-trimestrais.html?=&t=series-historicas&utm_source=landing&utm_medium=explica&utm_campaign=pib#evolucao-taxa. Acesso em: 12/02/2021.

IBGE. 2020b. Séries históricas. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/trabalho/9173-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-trimestral.html?=&t=series-historicas&utm_source=landing&utm_medium=explica&utm_campaign=desemprego. Acesso em: 10/02/2021.

ITAMARATY 2012. Mensagem da presidenta Dilma Rousseff por ocasião do 34º Período de Sessões da Cepal – São Salvador, El Salvador, 31 de agosto de 2012. Em: < https://www.funag.gov.br/chdd/images/Resenhas/Novas/Resenha_N111_2Sem_2012.pdf >. Acesso em 18 de agosto de 2021.

KYUNG-SUP, Chang. Financialization of Poverty: Consumer Credit Instead of Social Wage? In: KYUNG-SUP, Chang. Developmental Liberalism in South Korea. Londres: Palgrave Macmillan, 2019.

KYUNG-SUP, Chang. Financialization of poverty: Proletarianizing the financial crisis in post-developmental Korea. Risking Capitalism. Emerald Group Publishing Limited, 2016.

LAVINAS, Lena. The Takeover of Social Policy by Financialization: The Brazilian Paradox. Londres: Palgrave Macmillan, 2017.

LAVINAS, Lena. The collateralization of social policy by financial markets in the Global South. In: MADER, Philip; MERTENS, Daniel; VAN DER ZWAN, Natascha (eds.). The Routledge international handbook of financialization. New York: Routledge, 2020.

LAVINAS, Lena. Pobreza: métricas e evolução recente no Brasil e no Nordeste. Cadernos do Desenvolvimento, v.5, n.7, 2010, p. 126-148.

LEITE, Elaine da Silveira. Reconversão de habitus: o advento do ideário de investimento no Brasil. Tese (Doutorado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, UFSCar, 2011.

LEITE, Elaine da Silveira; MELO, Natália. Uma nova noção de empresário: a naturalização do “empreendedor”. Revista de Sociologia e Política, v. 16, n. 3, 2008.

MADER, Philip. The Political Economy of Microfinance. Londres: Palgrave Macmillan, 2015.

MADER, Philip; MERTENS, Daniel; VAN DER ZWAN, Natascha. Financialization: an introduction. In: MADER, Philip; MERTENS, Daniel; VAN DER ZWAN, Natascha (eds.). The Routledge international handbook of financialization. New York: Routledge, 2020.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL. Caderno de Estudos n°28. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social, 2018.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL. Plano Progredir: manual do pesquisador. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social, 2018.

MOURÃO, Gustavo Nunes. O modelo original de microcrédito e sua versão brasileira: o que deu errado? Revista da FAE, v. 22, n. 1, 2019, p. 35-50.

MÜLLER, Lúcia. Negotiating debts and gifts: financialization policies and the economic experiences of low-income social groups in Brazil. Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology, v. 11, n. 1, 2014, p. 191-221.

OREIRO, José Luiz. e PAULA, Luiz Fernando de. A economia brasileira no governo Temer e Bolsonaro: Uma avaliação preliminar, mimeo, 2019.

RODRIGUEZ, Graciela. Sobre o endividamento, as vozes das mulheres. In: RODRIGUEZ, Graciela (Org.). O sistema financeiro e o endividamento das mulheres. Rio de Janeiro: Instituto Equit, 2020.

ROLNIK, Raquel. Guerra dos lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças. São Paulo: Boitempo, 2015.

ROSSI, Pedro; MELLO, Guilherme. Choque recessivo e a maior crise da história: a economia brasileira em marcha à ré. Nota do Cecon, IE/UNICAMP. Campinas, 2017.

ROSSI, Pedro; DWECK, Esther; OLIVEIRA, Ana Luíza. Economia para Poucos – Impactos Sociais da Austeridade e Alternativas para o Brasil. Brasília, DF: Editora Autonomia Literária, 2018.

SAAD-FILHO, Alfredo. Varieties of neoliberalism in Brazil (2003-2019). Latin American Perspectives, v. 47, n. 1, 2020, p. 9-27.

SCHWITTAY, Anke F. Making poverty into a financial problem: from global poverty lines to kiva. Journal of International Development, v. 26, n. 4, 2014, p. 508-519.

SCIRÉ, Claudia. “Financeirização da pobreza”: crédito e endividamento no âmbito das práticas populares de consumo. Teoria e Pesquisa, v. 20, n° 1, 2011, p. 65-79.

VAN DER ZWAN, Natascha. Making sense of financialization. Socio-Economic Review, v. 12, n. 1, p. 99-129, 2014.

VIS DATA – Visualizador de dados sociais – Bolsa Família. Disponível em: https://aplicacoes.mds.gov.br/sagi/vis/data/data-table.php#. Acesso em: 05/03/2021.

Publicado
2022-07-01