Transtorno desafiador de oposição em crianças: uma revisão da literatura brasileira<br>doi: 10.20513/2447-6595.2016v56n1p38-43

  • Lucas de Holanda Leite Residência em Psiquiatria do Hospital Universitário Walter - Universidade Federal do Ceará
  • Eugenio de Moura Campos Doutor em Farmacologia, professor adjunto da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade de Fortaleza (UNIFOR).
Palavras-chave: Serviços de Saúde Mental. Transtornos Mentais. Transtornos de Déficit de Atenção e Comportamento Diruptivo. Crianças.

Resumo

O presente estudo analisou a literatura brasileira, a partir da integração entre o transtorno desafiador de oposição e crianças. Foi feita a seleção dos trabalhos, por meio de busca das publicações da literatura científica, no período de setembro de 2015, em todas as bases de dados indexadas na Biblioteca Virtual em Saúde, a qual se consolidou com uma amostra de sete artigos. Não foram encontrados trabalhos específicos sobre o transtorno desafiador de oposição, mas somente como associação a outras patologias. Aspectos sociais, tais como fatores ambientais, problemas familiares e escolares influenciam no transtorno desafiador de oposição, assim como ser (ou não) comórbido a outros transtornos. Diante dos altos índices de comorbidades, é preciso que o enfoque terapêutico envolva todo esse contexto social, bem como se tenha diagnóstico preciso acerca dos transtornos relacionados ao caso.

Biografia do Autor

Lucas de Holanda Leite, Residência em Psiquiatria do Hospital Universitário Walter - Universidade Federal do Ceará
Residência em Psiquiatria do Hospital Universitário Walter - Universidade Federal do Ceará
Eugenio de Moura Campos, Doutor em Farmacologia, professor adjunto da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade de Fortaleza (UNIFOR).
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Pernambuco (1982), mestrado em Ciências Médicas na área de Saúde Mental pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e doutorado em Farmacologia pela Universidade Federal do Ceará (2007). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Ceará e da Universidade de Fortaleza. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Psiquiatria, atuando principalmente nos seguintes temas: interconsulta psiquiátrica, qualidade de vida, distúrbios do sono e esquizofrenia.
Publicado
2016-06-30
Seção
ARTIGOS DE REVISÃO