Aspergilose pulmonar invasiva em receptor de transplante renal - relato de caso e revisão da literatura

  • Graziela Bastos Ribas de Aguiar Universidade Federal do Ceará (UFC) http://orcid.org/0000-0002-2437-4520
  • Claudia Maria Costa de Oliveira Universidade Federal do Ceará (UFC), Centro Universitário Christus (UniChristus)
  • Evelyne Santana Girão Universidade Federal do Ceará (UFC), Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC)
  • Sônia Leite Silva Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade de Fortaleza.
  • Paula Frassineti Castelo Branco Camurça Fernandes Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC)
Palavras-chave: Transplante. Aspergilose. Rim.

Resumo

Os autores relatam o caso de um receptor de transplante renal  com aspergilose pulmonar invasiva no primeiro mês de transplante, que evoluiu para o óbito a despeito da terapia. Uma revisão da literatura foi realizada para descrever os principais aspectos dessa enfermidade e compará-los com as manifestações clínicas e laboratoriais do paciente em questão. O conhecimento sobre esta complicação após transplante de rim ou de outros órgãos é importante pois, devido à significativa taxa de mortalidade, a rapidez do diagnóstico é um fator determinante na sobrevida do paciente.

Biografia do Autor

Graziela Bastos Ribas de Aguiar, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Ceará (2014) e residência de Clínica Médica pelo Hospital Universitário Walter Cantídio (2015-2017). Atualmente, trabalha como plantonista no Hospital Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (Hospital de Messejana) e no Hospital Geral de Fortaleza (HGF).
Claudia Maria Costa de Oliveira, Universidade Federal do Ceará (UFC), Centro Universitário Christus (UniChristus)
Graduação em Medicina pela Universidade Federal do Ceará (1985), mestrado em Medicina (Clínica Médica) pela Universidade Federal do Ceará (1998), especialização em Nutrição Clinica pela Universidade Estadual do Ceará (2005) e Doutorado em Ciências da Saúde pela Univerisdade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Atualmente é médica nefrologista da Unidade de Transplante Renal do HUWC da Universidade Federal do Ceará e do Hospital Geral de Fortaleza. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Clínica Médica e Nefrologia, atuando principalmente nos seguintes temas: transplante renal, nefrologia clínica, insuficiência renal crônica, hemodiálise e avaliação nutricional em diálise. É professora do Centro Universitário UniChristus em Fortaleza-Ceará e Coordenadora do Mestrado Profissional em Ensino em Saúde da Unichristus. É supervisora do Programa de Residência Médica em Nefrologia do HUWC da UFC.
Evelyne Santana Girão, Universidade Federal do Ceará (UFC), Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC)
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Ceará (1997), Residência em Clínica Médica no Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará (2000), Residência em Infectologia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo- FMUSP (2003), Especialização em Infecção Hospitalar pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2004) e Mestrado em Ciências Médicas pelo programa de Doenças Infecciosas e Parasitárias da Faculdade de Medicina da Unversidade de São Paulo- FMUSP (2006). Atualmente é preceptora do Programa de Residencia Médica de Infectologia do Hospital São José de Doenças Infecciosas do Estado do Ceará. É médica infectologista do Hospital Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará desde 2003 e Presidente da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Regional da UNIMED-Fortaleza desde 2006.Tem experiência na área de infectologia, com ênfase em Infecção Hospitalar e infecção em pacientes imunossuprimidos, especialmente em pacientes transplantados de órgãos sólidos.
Sônia Leite Silva, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade de Fortaleza.
Doutora em Farmacologia, Médica Nefrologista, Unidade de Transplante Renal, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC), Professora titular na Universidade de Fortaleza, Fortaleza, Ceará, Brasil.
Paula Frassineti Castelo Branco Camurça Fernandes, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC)
Doutora em Medicina Interna e Terapêutica, Médica Nefrologista, Unidade de Transplante Renal, e Chefe do Serviço do Sistema Urinário, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC).
Publicado
2017-12-04
Seção
RELATOS DE CASO