Conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre sepse - estudo em um hospital universitário de Fortaleza/Ceará

  • Tales Torricelli de Sousa Costa e Silva Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Jorge Luiz Nóbrega Rodrigues Departamento de Saúde Comunitária, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Germana Perdigão Amaral Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Arnaldo Aires Peixoto Júnior Departamento de Medicina Clínica, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Palavras-chave: Síndrome de resposta inflamatória sistêmica. Sepse. Sinais e sintomas. Enfermagem.

Resumo

Objetivo: neste estudo procurou-se avaliar o conhecimento sobre sepse por profissionais de enfermagem do Hospital Universitário Walter Cantídio, Universidade Federal do Ceará (HUWC/UFC). Métodos: estudo transversal e exploratório. Os dados foram coletados por meio de questionários aplicados durante o turno de trabalho nas enfermarias e UTI. Resultados: 80 profissionais participaram do estudo, destes, 65% eram técnicos de enfermagem, 85,0% eram do sexo feminino, 33,75% tinham entre 30 e 40 anos de idade e 80,0% trabalhavam na enfermaria. O maior percentual (32,5%) tinha até 5 anos de experiência de trabalho, sendo que 25 profissionais (31,3%) possuíam pós-graduação e treinamento anterior sobre sepse foi recebido por 5,0%. O item “conceito de sepse” e os relativos aos valores dos parâmetros dos “sinais clínicos de sepse” foram respondidos de forma correta por um percentual inferior a 50,0% dos profissionais. Valores de “hipertermia ou hipotermia associados à sepse” foram os únicos identificados por 75,0% dos profissionais entrevistados. Os itens sobre “condutas ao se identificar sinais e sintomas de sepse” e “tempo recomendado para o início da administração do antibiótico” foram respondidos corretamente por 72,5 e 78,75%, dos profissionais, respectivamente. Conclusão: a avaliação sobre sepse revelou a presença de lacunas do conhecimento sobre o conceito de sepse e os sinais relativos a essa condição, justificando necessidade de treinamento para profissionais de enfermagem entrevistados do Hospital Universitário Walter Cantídio–Universidade Federal do Ceará.

Biografia do Autor

Tales Torricelli de Sousa Costa e Silva, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC)
Graduado em Medicina, Faculdade de Medicina Nova Esperança (FAMENE), residência em Clínica Médica, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC)
Jorge Luiz Nóbrega Rodrigues, Departamento de Saúde Comunitária, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Doutor em Doenças Infecciosas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Professor do Departamento de Saúde Comunitária, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Germana Perdigão Amaral, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC)
Graduada em Enfermagem, Universidade Federal do Ceará (UFC), Enfermeira da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC‑UFC)
Arnaldo Aires Peixoto Júnior, Departamento de Medicina Clínica, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (1999), Concluiu Residência Médica em Clínica Médica, Medicina Intensiva (R3) e em Geriatria, assim como Especialização em Nutrição Clínica. Especialista titulado em Medicina Intensiva (AMIB/AMB), Geriatria (SBGG/AMB) e em Suporte Nutricional Parenteral e Enteral (SBNPE/AMB). Mestre em Farmacologia pela Universidade Federal do Ceará (2008) e Doutor em Farmacologia pela Universidade Federal do Ceará (2014). Coordenador da Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará e Supervisor do Programa de Residência Médica em Medicina Intensiva do Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará. Professor Assistente do Departamento de Medicina Clínica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará, Professor do Curso de Medicina e Professor-orientador do Mestrado Profissional de Educação em Saúde do Centro Universitário Unichristus. Tem interesse na área de Medicina, com ênfase em Educação Médica, Clínica Médica, Geriatria, Medicina Intensiva, Nutrição Clínica, Enteral e Parenteral e Farmacologia.
Publicado
2017-12-04
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS