Iniciação científica no Porangabuçu: impressões pessoais

  • Armenio Aguiar dos Santos Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Instrumentos para gestão da atividade científica. Atividades científicas e tecnológicas.

Resumo

Após vestibular pioneiro com redação e teste somatório de múltiplas escolhas, fui admitido na Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) em janeiro de 1979. Desde a reforma universitária de 1968, a graduação na UFC previa elenco de disciplinas básicas, ofertadas no campus do Pici (Biologia, Cálculo, Física, Química Geral, Química Orgânica, Sociologia, Bioquímica e Psicologia), seguido das próprias ao curso médico no Porangabuçu. Em julho de 1979, a atividade acadêmica da UFC e até a provinciana cena cultural de Fortaleza foi animada pela 31ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) sob o tema Cante de lá que eu Canto cá com a participação de eminentes pesquisadores, artistas e políticos recém retornados do exílio com a anistia. Assisti encantado vivos debates sobre os principais dilemas do país. Nos trajetos de ônibus até o Pici, ouvia-se falar sobre ciência, cultura e ecologia, tema inédito até então. Vislumbrei ali a verdadeira mentalidade universitária. Sob as mangueiras do Pici, repentistas e o genial Patativa de Assaré se apresentavam. Num clube de subúrbio de Fortaleza, a SBPC promoveu um baile animado por banda de forró, ritmo até então renegado por nós, filhos da burguesia e doravante preferido nas festas.

Biografia do Autor

Armenio Aguiar dos Santos, Universidade Federal do Ceará
Após obter a graduação em Medicina (1986) pela Universidade Federal do Ceará, Armenio Aguiar dos Santos partiu para Belo Horizonte onde concluiu o Mestrado em Fisiologia junto à Universidade Federal de Minas Gerais. Com o auxílio de uma Bolsa de Desenvolvimento Científico Regional pelo CNPq retornou em 1989 ao Laboratório Escola Prof. Luiz Capelo do Departamento de Fisiologia e Farmacologia da UFC, sendo admitido em 1990 como Prof. Assistente de Fisiologia Humana. Em 1993 parte para a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, onde obtêm em 1997 o Doutorado em Fisiologia. Ao retornar à Faculdade de Medicina da UFC, assumiu a supervisão científica do Laboratório Escola Prof. Luiz Capelo. De 2000 à 2006 foi tutor do Programa de Educação Tutorial (PET-Medicina). Em 2010 se tornou Prof. Titular de Fisiologia Humana. Tem experiência na área de Fisiologia de Órgãos e Sistemas, atuando principalmente no campo da Motilidade Gastrintestinal no contexto da homeostase cardiovascular. Como pesquisador bolsista do CNPq, desde 2001, participou da autoria de mais de seis dezenas de artigos originais, 3 capítulos de livros didáticos. Nas pós graduações de Cirurgia, Ciências Médicas e Farmacologia da UFC já orientou 8 mestres, 10 doutores e 2 estágios de pós-doutorado. É pesquisador atuante do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Biomedicina no SemiÁrido Brasileiro (INCT-IBISAB). Atualmente é Secretário Regional no Ceará da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência e Membro do Conselho Superior da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico, FUNCAP.
Publicado
2017-12-04