A LEITURA ACADÊMICA NA FORMAÇÃO DOCENTE: DIFICULDADES E POSSIBILIDADES

  • Antônio Lailton Moraes Duarte Universidade Estadual do Ceará
  • Regina Cláudia Pinheiro Universidade Estadual do Ceará
  • Julio Araújo Universidade Federal do Ceará

Resumo

Este artigo objetiva refletir sobre a importância da leitura para formação docente no tocante a aspectos relacionados à frequência, aos objetivos e aos interesses de leitura acadêmica. Para tanto, fundamentamo-nos, principalmente, nas obras de Kramer (2002), Cavalcante Jr. (2005a,b), Freire (1993) e Matêncio (1994). Para sua execução, contamos com a participação de alunos de um curso de Pedagogia, matriculados em uma disciplina do sétimo semestre da Universidade Estadual do Ceará. Os estudantes preencheram um questionário com questões relacionadas ao seu perfil-leitor e às dificuldades e possibilidades de leitura acadêmica na universidade. Os resultados demonstram que a leitura de textos acadêmicos deve ser um componente para que os alunos possam obter novos aprendizados. Além do mais, a leitura acadêmica de textos que relacionam teoria e prática deve ser constante para que o futuro profissional possa basear, conforme Farias (2009), a sua ação docente no conhecimento elaborado e na realidade dada a fim de formar habilidades interlocutivas na leitura. Assim, os professores universitários devem priorizar textos do interesse dos alunos para que estes possam lê-los estabelecendo seus objetivos de leitura e também percebendo laços com sua prática profissional, uma vez que o uso frequente de procedimentos metacognitivos são exigidos durante a leitura de textos acadêmicos.Palavras-chave: Leitura; formação de professores; discurso acadêmico.
Como Citar
DUARTE, A. L. M.; PINHEIRO, R. C.; ARAÚJO, J. A LEITURA ACADÊMICA NA FORMAÇÃO DOCENTE: DIFICULDADES E POSSIBILIDADES. Revista de Letras, v. 1, n. 31, 11.