AS METÁFORAS DA MORTE NA POESIA BRASILEIRA: UM ESTUDO À LUZ DA LINGUÍSTICA COGNITIVA

Silvana Maria Calixto de Lima

Resumo


Neste artigo, a partir de uma visão sistematicamente cognitiva da metáfora, com base nos pressupostos da teoria da metáfora conceitual (LAKOFF; JOHNSON, 1980, 1999; LAKOFF; TURNER, 1989; LAKOFF, 1987,1993; KÖVECSES, 2005), apresentamos um inventário de dez metáforas conceituais usadas no licenciamento do conceito MORTE na construção de poesias de autores da literatura brasileira de diferentes escolas literária. O seu foco principal está na análise das relações das metáforas conceituais inventariadas com os diferentes modelos culturais que integram as construções textuais analisadas. Tal empreendimento possibilitou a identificação e descrição de diversificados modelos cognitivos/culturais subjacentes à construção do conceito MORTE, os quais, em linhas gerais, revelam tanto a concepção ocidental de morte como um fato inevitável da condição humana, quanto uma releitura dessa condição por meio da capacidade criativa dos poetas de (re)apresentar a morte sob diferentes facetas nem sempre tão aterrorizantes, provavelmente numa tentativa de atenuar o terror que lhe é característico pela sua natureza de mistério.Palavras-chave: Metáfora conceitual. Conceito Morte. Poesia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



ISSN Impresso: 0101-8051

ISSN Eletrônico: 2358-4793


Indexadores e diretórios:


BASE Logo  width=    Resultado de imagem para EZ3 journals  

              

Licença Creative Commons
Revista de Letras - UFC de http://www.periodicos.ufc.br/index.php/revletras/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.